Tag

wanderléa

Browsing

Quem está acostumado a associar a cantora Wanderléa às músicas ligeiras, herança da Jovem Guarda, movimento que surgiu na segunda metade dos anos 60, num misto de atitude, música e moda, da qual ela foi uma das principais estrelas, estranha um pouco a performance da artista no DVD Nova Estação Ao Vivo, gravado no ano passado, no teatro Fecap, em São Paulo, e que acaba de chegar às lojas de todo país numa parceria entre a gravadora Lua Music e o Canal Brasil.

O repertório do DVD é baseado no disco Nova Estação, de 2008, que ganhou o prêmio de melhor CD de música popular brasileira da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), e traz as participações especiais de Arnaldo Antunes e Ubaldo Bersolado e do grupo Ó do Borogodó. No DVD, Wanderléa mostra que ainda é senhora do palco e não perdeu a afinação, cantando com voz suave gêneros que passeiam entre a canção e o samba, às vezes com uma exagerada carga de intimismo que deve incomodar seus fãs.

Wanderléa selecionou um cardápio musical variado para oferecer ao público, começando com ‘Nova Estação’ (Luiz Guedes e Thomas Roth), passando por ‘Dia Branco’ (Geraldo Azevedo e Renato Rocha), ‘Samba da Preguiça’ (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), ‘Chiclete com Banana’ (Jackson do Pandeiro e Almira), ‘Eu e a Brisa/O Que É Amar’ (Johnny Alf), ‘Mil Perdões’ (Chico Buarque) e Brasileirinho (Waldir Azevedo), até fechar com a emblemática ‘Todos Estão Surdos’ (Roberto Carlos e Erasmos Carlos).

Mineira de Governador Valadares, onde nasceu em 5 de junho de 1946, Wanderleá foi morar no Rio de Janeiro aos 9 anos de idade, e aos 10 já vencia concursos em emissoras de rádio cariocas. Projetou-se nacionalmente durante a Jovem Guarda, movimento capitaneado pela dupla Roberto Carlos e Erasmo Carlos, e, entre outros filmes, atuou como atriz em Juventude e Ternura (1968), dirigido por Aurélio Teixeira, e contracenou com o ‘Rei’ e ‘O Tremendão’ em Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa (1968), de Roberto Farias.

A artista gravou o seu primeiro compacto em 1962, e, no ano seguinte, estreou em LP com Wanderléa, com selo da CBS. Foi nesta gravadora que conheceu e namorou Roberto Carlos e também tornou-se amiga de Erasmo Carlos. Dois anos depois, passou a apresentar o célebre programa dominical Jovem Guarda pela TV Record de São Paulo, uma das maiores audiências da época e responsável pelo lançamento de vários ícones do movimento.

A crítica considera Wanderléa e Celly Campelo as duas primeiras estrelas do rock brasileiro. Com o fim da Jovem Guarda, a artista prosseguiu a carreira, nos anos 70, como cantora pop, mais seus grandes sucessos continuam sendo ‘Pare o Casamento’ (versão de Luís Keller), ‘Ternura’ (Rossini Pinto) e ‘Prova de Fogo’ (Erasmo Carlos), à exceção de ‘Te Amo’, que emplacou na trilha sonora nacional da novela Caras & Bocas, da Rede Globo (a mesma canção já fizera sucesso nos anos 90, compondo a trilha da novela Pedra Sobre Pedra, que voltou a reacender os holofotes sobre ela).

Foto da capa: queroir.com