Tag

entretenimento

Browsing

Paraíso

Padre Bento e Otávio distribuem o jornal pela cidade. Zeca torce para Otávio esquecer Maria Rita e se envolver com o jornal. Maria Rita admite estar orgulhosa de Otávio. Terêncio não aceita ir com Zé Camilo para cidade. Das Dores fala para Rosinha que sua teimosia a impediu de ficar com Terêncio.

Caminho das índias

Júlia revela sua mágoa e raiva para Raul, achando que é Ramiro. Depois, desmaia ao vê-lo vivo. Tarso conta ao delegado tudo que presenciou e diz que Júlia estava com o grupo que vigiava sua casa. Silvia assiste ao DVD do encontro de Mike com Nanda enquanto espera por Yvone, deduz que a amiga é cúmplice do golpista e chama a polícia.

Malhação

Suzana perde o bebê e Osvaldo fica abalado. Marcelo abre mão do concurso ao escrever uma nova história da Fenômena e faz as pazes com Felipa. Yasmin fica chateada por Peralta dedicar a maior parte do tempo à Quadribanda. Osvaldo recebe intimação para depor e João diz que não pagará um advogado para defendê-lo.

Caras e bocas

Cássio fica revoltado ao ser demitido por Judith e reage. Tatiana é informada de que será readmitida. Amarilys recebe o especialista contratado para avaliar os quadros. Nicholas diz a Milena que irá dormir na casa da mãe e ela fica arrasada. André arma um plano para desmascarar Léo. Bianca ouve a festa na casa de Denis e decide entrar.

Record

Poder paralelo

Lígia percebe que roubaram o gravador e apagaram os arquivos. Baruel tenta culpar Tony. Maura aconselha Vânia a não enfrentar Bruno. Amanda é morta e seu corpo é atirado em um rio. Armando e Neide transam. Fernanda flagra Rudi com Laila. Tony pede que o nome dele fique fora do relatório. Renato topa.

Bela, a feia

Verônica confirma que contou tudo para Adriano. Rodrigo fica impaciente. Bela conta para Luzia que Rodrigo e Cíntia não vão mais se casar. Bela diz para Luzia e Hortência que está com ódio de Verônica, por ela ter contratado Nelson. Bela dá o endereço de Rodrigo para Hortência.

SBT

Vende-se um véu de noiva

Fabrício liga para Daniel, que joga o telefone fora. Cris vai pegar o carro na oficina. Eunice finge aceitar o namoro de Gustavo e Eliana. Rubens e Tia Cora estranham. Klauss questiona Cauã a respeito do casamento de Ulisses e Irani. Eliana conta a Gustavo que Daniel não é seu irmão. Irani chama Ulisses de Klauss. Eunice finge se importar com Eliana. Gustavo fica impressionado com a atitude. Na mesa do café da manhã, Gustavo diz a Rubens, Tia Cora e Eunice que Fabrício não é pai de Daniel. Eunice sente um desconforto.

Quem está acostumado a associar a cantora Wanderléa às músicas ligeiras, herança da Jovem Guarda, movimento que surgiu na segunda metade dos anos 60, num misto de atitude, música e moda, da qual ela foi uma das principais estrelas, estranha um pouco a performance da artista no DVD Nova Estação Ao Vivo, gravado no ano passado, no teatro Fecap, em São Paulo, e que acaba de chegar às lojas de todo país numa parceria entre a gravadora Lua Music e o Canal Brasil.

O repertório do DVD é baseado no disco Nova Estação, de 2008, que ganhou o prêmio de melhor CD de música popular brasileira da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), e traz as participações especiais de Arnaldo Antunes e Ubaldo Bersolado e do grupo Ó do Borogodó. No DVD, Wanderléa mostra que ainda é senhora do palco e não perdeu a afinação, cantando com voz suave gêneros que passeiam entre a canção e o samba, às vezes com uma exagerada carga de intimismo que deve incomodar seus fãs.

Wanderléa selecionou um cardápio musical variado para oferecer ao público, começando com ‘Nova Estação’ (Luiz Guedes e Thomas Roth), passando por ‘Dia Branco’ (Geraldo Azevedo e Renato Rocha), ‘Samba da Preguiça’ (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), ‘Chiclete com Banana’ (Jackson do Pandeiro e Almira), ‘Eu e a Brisa/O Que É Amar’ (Johnny Alf), ‘Mil Perdões’ (Chico Buarque) e Brasileirinho (Waldir Azevedo), até fechar com a emblemática ‘Todos Estão Surdos’ (Roberto Carlos e Erasmos Carlos).

Mineira de Governador Valadares, onde nasceu em 5 de junho de 1946, Wanderleá foi morar no Rio de Janeiro aos 9 anos de idade, e aos 10 já vencia concursos em emissoras de rádio cariocas. Projetou-se nacionalmente durante a Jovem Guarda, movimento capitaneado pela dupla Roberto Carlos e Erasmo Carlos, e, entre outros filmes, atuou como atriz em Juventude e Ternura (1968), dirigido por Aurélio Teixeira, e contracenou com o ‘Rei’ e ‘O Tremendão’ em Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa (1968), de Roberto Farias.

A artista gravou o seu primeiro compacto em 1962, e, no ano seguinte, estreou em LP com Wanderléa, com selo da CBS. Foi nesta gravadora que conheceu e namorou Roberto Carlos e também tornou-se amiga de Erasmo Carlos. Dois anos depois, passou a apresentar o célebre programa dominical Jovem Guarda pela TV Record de São Paulo, uma das maiores audiências da época e responsável pelo lançamento de vários ícones do movimento.

A crítica considera Wanderléa e Celly Campelo as duas primeiras estrelas do rock brasileiro. Com o fim da Jovem Guarda, a artista prosseguiu a carreira, nos anos 70, como cantora pop, mais seus grandes sucessos continuam sendo ‘Pare o Casamento’ (versão de Luís Keller), ‘Ternura’ (Rossini Pinto) e ‘Prova de Fogo’ (Erasmo Carlos), à exceção de ‘Te Amo’, que emplacou na trilha sonora nacional da novela Caras & Bocas, da Rede Globo (a mesma canção já fizera sucesso nos anos 90, compondo a trilha da novela Pedra Sobre Pedra, que voltou a reacender os holofotes sobre ela).

Foto da capa: queroir.com


Com boa ação e um show de estrelas musicais paraibanas será celebrada hoje a reabertura da Academia Paraibana de Música, a partir das 19h30 no Teatro Paulo Pontes do espaço Cultural, em João Pessoa. O evento será marcado por ato solene, homenagens póstumas e contará com a presença de personalidades importantes para a cultura local e apresentações musicais que irão compor o show Som de Estrelas, montado especialmente para essa noite. O ingresso custa 2 quilos de alimento não perecível, a serem doados às entidades assistenciais Vila Vicentina e Vila Criança Feliz.


O presidente da Fundação Espaço Cultural (Funesc), Maurício Burity, foi o responsável pela reabertura da Academia ao presentear os acadêmicos com um local onde eles pudessem voltar a se reunir. “Esse foi o grande incentivo para que nós voltássemos a nos encontrar”, comentou Ricardo Anísio, um dos membros da Academia. “Depois da morte do presidente Domingos de Azevedo, ficamos dispersos. Agora, é o momento de retomar os trabalhos e essa parceria com a Funesc está sendo fundamental”, acrescentou.

A apresentação desta noite no show Som das Estrelas vai reunir artistas consagrados como Jessier Quirino, Oliveira de Panelas, Diana Miranda, José Bezerra Filho, Elpídio Ferreira, Isa y Plá, Pérola Negra e a cantora lírica Ana Gouveia, atual vice-presidente da Funesc, que se apresentará com a Orquestra de Violões. O maestro Gladson Carvalho um dos fundadores e membro da Academia Paraibana de Música irá reger a Orquestra de Violões.

O jornalista Ricardo Anisio, responsável pela produção artística da festa, explicou que o evento irá “celebrar a reabertura da Academia Paraibana de Música com uma noite de festa para as pessoas. Esse show demonstra o novo perfil que a nossa entidade quer apresentar que é uma Academia mais dinâmica, menos formal e muito mais produtiva. Por isso a diversidade dos artistas convidados para o show.”

A programação terá início com as homenagens. Foram escolhidos dez nomes de importante contribuição artística para o Estado. São eles: Sivuca, Jackson do Pandeiro, Livardo Alves, Canhoto da Paraíba, José Alberto Kaplan, Genival Macedo, Gerardo Parente, Domingos de Azevedo, maestro Vilô e Isabel Burity. As famílias desses artistas serão presenteadas com diplomas no momento da homenagem.

A retomada dos trabalhos da Academia deve ser determinada por várias inovações. Segundo Ricardo Anísio, novos projetos serão revestidos com o objetivo de tornar a entidade mais dinâmica. “Queremos deixar de ser aquela entidade estática, extremamente formal, para sermos dinâmicos e produzirmos projetos”, afirmou.

Segundo ele, entre as novidades está a produção de eventos, concertos, festivais e a produção de um selo para publicação de livros. “Vamos propor ainda o intercâmbio de músicos com as academias de música existentes em outros estados”, explicou. Novidade será a produção de um programa de rádio, com o acordo entre a Academia e a Rádio Tabajara com o objetivo de criação de um programa exclusivo com música instrumental.

A atual presidência da Academia Paraibana de Música é ocupada pela professora Nereuza Nery de Luna Freire, em substituição ao fundador Domingos de Azevedo, que faleceu em maio de 2009. A intenção é que sejam feitas eleições para a ocupação de cadeiras vazias, bem como a abertura de novas vagas.