Bruna Linzmeyer desabafa sobre escolha de parar de se depilar: “Aprendi que liberdade e amor é respeitar” 0 13

A atriz Bruna Linzmeyer posou para a revista Marie Claire deixando à mostra as axilas com pêlos, recebeu criticas das mulheres classificadas como ‘mais conservadoras’ e fez um desabafo em suas redes sociais.

Comecei a fazer depilação com cera muito novinha. sempre doeu muito. mas sempre achei que aquilo era o certo e o belo a ser feito. nos últimos anos, entendendo a construção dessa visão me esforcei pra ver os pêlos de outros jeitos possíveis. comecei não julgando as mulheres que tinham pêlos, entendendo que cada uma faz o que tem vontade com seu próprio corpo. depois, aos poucos, comecei a achar libertadora essa vontade e atitude delas“, publicou a atriz em seu Instagram.

A sensação de liberdade das outras mulheres fez Bruna se questionar se era o seu real desejo raspar os pelos e chegou a conclusão que, na verdade, era obrigada a seguir a tradição feminina.

Comecei a me perguntar o que eu realmente queria no meu corpo, nunca antes eu tinha me feito essa pergunta. por algumas vezes, respondi a mim mesma que preferia raspar. estava feliz com minha escolha. mas mais ainda, estava feliz em poder escolher raspar. porque, durante todos aqueles anos eu não escolhia, eu só raspava, achava que era obrigatório mulher arrancar os pelos. comecei então a achar mais que libertador, a achar bonito, outras mulheres com pelos. comecei a olhar para os homens e achar estranha essa diferença só por uma questão de serem homens x mulheres. e continuei me perguntando, feliz com meu poder de me perguntar: o que eu quero? o que eu gosto? um dia essa resposta foi diferente. fiquei com vontade de experimentar ter eles. ver eles em mim. tocar neles enquanto passo creme no corpo. não ter mais que lidar com aquela dor insuportável, nem com o preço da depilação, nem com o tempo gasto nisso, nem com aqueles chatissímos pelos encravados. e de um jeito que eu não esperava comecei a achar muito bonito pelos em mim também“, acrescentou.

Por fim, a atriz avisou que a decisão de ter ou não ter pêlos nas áxilas é uma decisão individual de cada um e se diz livre com a sua opção.

Aprendi que liberdade e amor é respeitar a escolha das outras pessoas, quando essas escolhas não violentam ninguém. e poder acessar meu coração e responder sem amarras: o que eu quero? o que eu gosto? de que jeito me sinto bem?“, finalizou.

VEJA A PUBLICAÇÃO DA ATRIZ NO SEU INSTAGRAM:

View this post on Instagram

comecei a fazer depilação com cera muito novinha. sempre doeu muito. mas sempre achei que aquilo era o certo e o belo a ser feito. nos últimos anos, entendendo a construção dessa visão me esforcei pra ver os pêlos de outros jeitos possíveis. comecei não julgando as mulheres que tinham pêlos, entendendo que cada uma faz o que tem vontade com seu próprio corpo. depois, aos poucos, comecei a achar libertadora essa vontade e atitude delas. e me perguntar o que eu realmente queria no meu corpo, nunca antes eu tinha me feito essa pergunta. por algumas vezes, respondi a mim mesma que preferia raspar. estava feliz com minha escolha. mas mais ainda, estava feliz em poder escolher raspar. porque, durante todos aqueles anos eu não escolhia, eu só raspava, achava que era obrigatório mulher arrancar os pêlos. comecei então a achar mais que libertador, a achar bonito, outras mulheres com pêlos. comecei a olhar para os homens e achar estranha essa diferença só por uma questão de serem homens x mulheres. e continuei me perguntando, feliz com meu poder de me perguntar: o que eu quero? o que eu gosto? um dia essa resposta foi diferente. fiquei com vontade de experimentar ter eles. ver eles em mim. tocar neles enquanto passo creme no corpo. não ter mais que lidar com aquela dor insuportável, nem com o preço da depilação, nem com o tempo gasto nisso, nem com aqueles chatíssimos pelos encravados. e de um jeito que eu não esperava comecei a achar muito bonito pêlos em mim também. aprendi que liberdade e amor é respeitar a escolha das outras pessoas, quando essas escolhas não violentam ninguém. e poder acessar meu coração e responder sem amarras: o que eu quero? o que eu gosto? de que jeito me sinto bem? ♡ #livresim

A post shared by bruna linzmeyer (@brunalinzmeyer) on

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo esportivo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale. Contato: petersongneves@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Apresentador da Band chama Bruna Marquezine de ”interesseira” 0 29

Famosos – O apresentador de um game show transmitido por uma afiliada da Band fez um comentário extremamente machista durante o programa #OMaisRápidoGameShow.

Você também pode se interessar por:

Durante a exibição do programa realizada ontem, sábado, 16 de março, uma das perguntas do referido game show era a seguinte: “Bruna Marquezine foi namorada de qual jogador?”. Em um dado momento, o apresentador dispara o seguinte comentário: “Você acha que a Bruna Marquezine vai namorar o cara porque é inteligente? Ela quer namorar cara com grana, bicho”.

Logo em seguida, ele completa: “Eu se fosse a Bruna Marquezine só ia querer namorar cara com grana”.

O comentário, de teor altamente machista, misógino e estereotipado, indignou o jornalista Ricardo Souza e uma série de outros internautas, entre fãs e não-fãs da atriz global.

Essa não é a primeira vez que o apresentador de O Mais Rápido Game Show faz um comentário machista. Em um outro episódio do programa, a sua colega de programa se incomoda com os olhares abusados deles para cima dela e questiona: “Por que você cismou com meu decote?Você pode olhar para outra parte do meu corpo?”.

Ele então responde: “Porque você exagera.Eu não posso, eu sou homem, o que vou fazer? Eu tento olhar nos seus olhos e cai”.

Honey Davenport concede entrevista e fala sobre sua trajetória até o Drag Race 0 60

Famosos – [ALERTA DE SPOILER] A drag queen Honey Davenport, participante da décima primeira temporada de RuPaul’s Drag Race foi a eliminada no episódio 3, cujo desafio principal da semana era montar uma espécie de altar para “cultuar” uma diva pop como religião. Depois de ter sido eliminada, Honey Davenport concede entrevista para a MTV.

Em uma reviravolta inesperada, RuPaul fez com que 6 queens a dublarem umas contra as outras e, em decorrência disso, Honey Davenport acabou sendo eliminada do reality show.

Você também pode se interessar por:

Das ruas para as passarelas: Honey Davenport concede entrevista e fala sobre sua trajetória

Após a sua eliminação de Drag Race, Honey Davenport concede entrevista para a MTV, falando sobre sua participação no programa, o que ela achou do lip sync sextuplo e um pouco sobre a sua vida, de como ela foi de moradora de rua à participante de RuPaul’s Drag Race.

Durante o Untucked, ela literalmente desabou, mostrando o quanto estava chateada por ter sido eliminada. Ela afirma durante a entrevista: “Valentina não foi a única que fez uma telenovela! (risos) Eu estava simplesmente arrasada, porque eu fiquei sentindo como se todos os sonhos que eu tive sobre a minha carreira tivessem terminado bem ali, até perceber que aquilo era apenas o começo”.

A queen diz que ela em si não sabia muita coisa sobre a diva escolhida pelo seu grupo do maxidesafio e até questionou sobre isso, mas como boa parte do grupo persistiu na ideia, alguém pudesse ser um grande fã da cantora, mas na realidade, como se viu, ninguém ali no time de Honey Davenport sabia muita coisa sobre Mariah Carey, o que acabou dando ruim.

Quando ela foi questionada pelo(a) entrevistador(a) se ela não havia achado que tinha saído cedo demais, ela responde o seguinte: “Antes mesmo de eu ter deixado o Drag Race, eu estava lidando com muita coisa em minha vida. Uma das minhas mentoras havia entrado em coma, eu estava morando na rua e tinha que dormir no sofá na casa de amigos. Então quando eu fui chamada para participar de Drag Race (e você não diz ‘não’ quando a mãe [RuPaul] chama, eu realmente não estava em um momento muito bom em minha vida. Dessa forma, eu estou, de verdade, muito emocionada com meu tempo no ar e o que eu mostrei de mim. Eu tinha muita coisa para lidar e tentei desviar minha mente dos problemas enquanto estava lá”.

O lip sync sextuplo

Pela primeira vez em toda a história de Drag Race, houve um lip sync sextuplo, ou seja, Mama Ru fez 6 competidoras dublarem uma contra as outras. Isso não só surpreendeu os fãs e telespectadores em geral, mas as próprias queens ficaram de queixo caído quando isso foi anunciado.

Honey Davenport disse que achou tudo uma verdadeira loucura e que, a despeito das falhas, ela gostou de sua performance durante o lip sync.

A nova canção de Honey Davenport

Não só Honey Davenport concede entrevista para o famoso canal, mas também lança uma nova música, intitulada “The Hive”, que fala não apenas sobre garra e determinação e poder, mas também sobre como é ser uma pessoa negra LGBT nos Estados Unidos hoje em dia. Honey Davenport não só é drag queen há 10 anos, como também canta pelo mesmo período.

Esperamos que sua presença no programa ajuda a impulsionar sua carreira.

Fonte:MTV.

 

 

Most Popular Topics

Editor Picks