Redução de Ministérios de 29 para 22 é aprovada na Câmara 0 176

reducao ministerios

Nesta quinta-feira (23/05) a Câmara dos Deputados recusou a permanência do COAF sob a gestão de Sergio Moro no Ministério da Justiça, passando para o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, do Ministério da Economia de Paulo Guedes, em uma votação que terminou 228 conta 210 votos.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Porém o Governo de Jair Bolsonaro teve uma vitória neste dia de votações. A Câmara aprovou a Medida Provisória (MP) 870, no qual reduz a quantidade de Ministérios de 29 da gestão anterior para atuais 22.

Este que era um ponto muito debatido durante a campanha, onde o objetivo principal não era barganhar poderes durante os quatro anos de gestão. A iniciativa também visa economizar os valores provenientes de tributos para o pagamento dos mesmos.

Destaques da votação

Os deputados nesta votação acabaram recusando a recriação do Ministério da Cultura, exigido por boa parte da oposição ao governo. Foi recusada a recriação do Ministério do Trabalho também. Outro destaque com relação a redução de ministérios foi manter a fusão da Integração Nacional e das Cidades no atual Ministério do Desenvolvimento Regional.

Votação desta quinta-feira 23/05

Nesta quinta os deputados devem votar um trecho separado com relação ao limite da competência de um auditor fiscal. Essa limitação será em matéria criminal, à investigação de crimes contra a ordem tributária ou que estejam relacionados ao controle aduaneiro. Sendo assim todo auditor da Receita Federal não poderá investigar um crime que não seja de ordem fiscal.

Para muitos deputados esta questão irá colocar uma “mordaça” nos auditores, limitando muito o seu trabalho.

Outro destaque para a votação é um artigo que estabelece que o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, também terá atribuições da Secretaria Executiva do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o FNDCT.

A votação desta quinta-feira será iniciada a partir das 9h, onde câmara tentará fechar todas as questões da MP 870 do presidente.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mesmo sob recessão, Mauricio Macri tenta a reeleição na Argentina 0 199

mauricio macri reeleicao argentina

Os últimos meses de mandato de Mauricio Macri, atual presidente da Argentina, não estão fáceis. Porém a recessão econômica no país vizinho não impediu o presidente liberal de lançar a sua candidatura para a reeleição neste sábado (22/06).

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Macri tenta algo para reverter a situação econômica do país em meio a uma das maiores crises dos últimos tempos. Seu adversário será Alberto Férnandez, que ao lado da ex-presidente Cristina Kirchner, está liderando a chapa peronista.

Mais distante da ponta está o centrista Roberto Lavagna, que promete um cenário mais polarizado entre o kichnerismo e o macrismo.

Argentina afunda na crise

As eleições presidenciais irão acontecer diante de uma forte recessão que se iniciou em 2018, onde 32% da população se encontra em situação de pobreza. A inflação já acumula mais de 60%, somando 2018 com os cinco primeiros meses de 2019. Outra situação grave é com relação ao desemprego, que já atinge 10,1% da população.

Milhares de argentinos estão caindo para a situação de pobreza, onde a falta de trabalho e a inflação sobre produtos básicos como o pão, leite e carne, está complicando as coisas por lá.O transporte na região, a água, o gás e a energia elétrica já somam um aumento de 1000% nos últimos meses.

Mesmo o empréstimo obtido através do FMI de US$ 56 bilhões não foi o suficiente para alavancar a economia no país.

Popularidade de Macri

É claro que toda essa crise vivenciada no país está afetando a popularidade de Macri. Mas ela não foi o suficiente para tirá-lo do topo em uma corrida presidencial. Por isso, o atual presidente já confiante de uma reeleição, acabou dando início às suas comitivas para permanecer por mais 4 anos à frente do país.

Com o empréstimo do FMI, a sua popularidade caiu ainda mais. Macri tem este ano de 2019 para conseguir o equilíbrio fiscal para a Argentina e deixar o país com as contas no verde em 2020. Pelo menos esta foi a promessa mediante o empréstimo.

Nas últimas pesquisas, Macri conta com menos de 30% das intenções de voto. Ele pede um voto de confiança, para evitar que o país volte para o período também difícil vivido no governo Kirchner.

Macri contará com o apoio da coalizão da Proposta Republicana (PRO) e da União Cívica Radical (UCR), dos quais deverão ajuda-lo a bater de frente com Fernández.

Principal adversário de Macri na corrida presidencial

A promessa de campanha de seu principal adversário é tornar a Argentina novamente “habitável”. Alberto Fernández, que contará com Cristina Kirchner na chapa e grande parte do centro e da esquerda argentina, está com mais de 30% nas últimas pesquisas.

Fernández promete uma “mobilidade social ascendente” e um cenário completamente diferente da atual crise econômica no país.

Trump oficializa nesta terça-feira sua reeleição para 2020 0 125

eleicoes estados unidos 2020 trump

Na noite desta terça-feira, dia 18 de junho de 2019, o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lançará oficialmente a sua campanha para a reeleição em 2020. A oficialização irá ocorrer em um comício na cidade de Orlando, Flórida.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A escolha da região foi justamente por ser o “palco” de um estado tradicionalmente republicano, onde há 29 assentos no colégio eleitoral americano. A Flórida foi inclusive uma da regiões decisivas na vitória apertada do republicano em 2016, quando Hillary Clinton estava a frente na questão de votos, mas acabou perdendo na quantidade de assentos que lhe apoiavam.

Comício de reeleição de Trump para 2020

O presidente americano informou que houveram mais de 100 mil pedidos de ingressos para participar do comício na Flórida. Porém o Amway Center, local onde será realizado o seu discurso, só tem capacidade para 20 mil pessoas. Para quem chegar tarde, o presidente prometeu que suas palavras serão televisionadas para fora do ambiente através de telões que estão sendo instalados nesta manhã.

Somente os 20 mil primeiros americanos que chegarem ao local e com o ingresso em mãos, terão acesso a parte interna do Amway Center. As portas serão abertas com quatro horas de antecedência, às 16hs desta tarde, onde o evento está marcado para iniciar às 20hs.

Mas para garantir um lugar privilegiado dentro do Amway, alguns eleitores fanáticos do presidente já estavam acampados próximos da região desde a manhã desta segunda-feira (17/06). Diversos apoiadores armaram suas barracas e estão vestidos com camisetas, bonés e outros acessórios com o slogan de Trump, o “Make America Great Again”.

Chances de reeleição

Apesar do grande evento e do avanço econômico nos Estados Unidos dos últimos anos, ao que indicam as pesquisas, Donald Trump não está com vantagens contra seus adversários.

Hoje segundo uma pesquisa divulgada pelo canal Fox News, há cinco pré candidatos do lado democrata, que estão à frente de Trump. Joe Biden é o que aparece em maior vantagem, chegando a estar com 10 pontos à frente de Trump. Bernie Sanders é o segundo, com 9 pontos de vantagem.

Os outros três que estão com uma pequena vantagem nesta pesquisa, são as senadoras Kamala Harris, da Califórnia, Elizabeth Warren, de Massachusetts e o atual prefeito de South Bend no estado de Indiana, Pete Buttigieg.

Mas este é só o início da corrida presidencial americana de 2020.

Most Popular Topics

Editor Picks