Skip to content

Ex-primeira-dama do Rio, Adriana Ancelmo, chega a 32ª Vara para depor sobre Helicópteros

5 de março de 2020
adriana ancelmo chega para depor na 32 vara do rio

Adriana Ancelmo, ex-primeira-dama do Rio de Janeiro, chegou na tarde desta quinta-feira (05/03) na 32ª Vara Criminal do Rio, para depor sobre o uso irregular de helicópteros do governo para voos pessoais entre 2007 e 2014.

Adriana estava acompanhada apenas de seu advogado Alexandre Lopes. Ela é mulher do ex-governador Sergio Cabral. Ambos prestam depoimento para o juiz André Felipe Veras de Oliveira.

A MP do Rio fez uma denúncia onde eles utilizaram o helicóptero para uso pessoal em 2.500 ocasiões. Em prejuízos para os cofres públicos isso representa quase R$ 20 milhões. O caso vem sendo investigado desde abril de 2018, quando foi aceita pela Justiça.

Depoimento sem imprensa

As outras audiências contaram com a presença de jornalistas, mas desta vez o juiz optou por coletar informações de forma mais restritiva. Isso também era um desejo da defesa de Cabral, que fez um pedido ao magistrado, solicitando que o ex-governador não fosse mais exposto, em decorrência de um acordo de delação premiada.

A delação foi homologada no Supremo Tribunal Federal (STF).

A audiência desta quinta-feira (05/03) quase não aconteceu, mas o adiamento acabou sendo negado pelo juiz André Veras.

Milionário que assassinou esposa para não ter que dar fortuna, ganha na justiça direito a 310 mil libras.

Defesa de processos separados

Sergio Cabral e Adriana Ancelmo ainda estão casados, apesar dela ter comparecido hoje sem aliança para o depoimento. Mas desde o início, os advogados de defesa de ambos são diferentes.

A partir do momento que se tornou delator, Cabral não pode mais proteger a mulher. Ele ainda delatou que ela sabia da existência do caixa 2, caso que é investigado pela operação Lava Jato.