Eleições 2020 terão regras diferentes dos últimos anos 0 36

eleicoes 2020 novas regras

Algumas regras serão alteradas para as eleições municipais de 2020. Confira neste artigo quais serão as principais mudanças.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

As eleições 2020 serão realizadas em um único mês. O primeiro turno acontece no dia 04 de outubro e o segundo turno, se for necessário, será realizado no dia 25 do mesmo mês. Nestas eleições serão escolhidos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Os partidos dever registrar os candidatos com seis meses de antecedência, ou seja, até 04 de abril de 2020. O registro é feito no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As coligações irão continuar, mas será proibida coligações para eleições proporcionais de vereadores. Até a última eleição, todos os votos dados aos partidos da aliança faziam parte do cálculo na distribuição dos cargos.

Todos os partidos deverão reservar pelo menos 30% das vagas para mulheres e fica proibido as famosas candidaturas avulsas, mesmo quando há ligação a algum partido.

Um vereador precisa ter no mínimo 18 anos para disputar o cargo. Já para prefeito é preciso ter no mínimo 21 anos.

Remuneração do UBER, 99, Cabify e outros deve ser de 10% segundo projeto de Lei.

Gastos com a campanha

Os limites de gastos serão iguais aos de 2016, sendo corrigidos pela inflação. Essa medida foi aprovada recentemente. Só será permitido o autofinanciamento de uma candidatura com no máximo 10% do limite.

Com relação as doações apenas pessoas físicas podem fazer doações nas campanhas. E as doações não podem ultrapassar 10% de seus rendimentos no ano que antecedeu o ano das eleições, no caso 2019.

Através de vaquinha eletrônica será possível fazer uma arrecadação de recursos, mas somente após o dia 15 de maio de 2020. O dinheiro só será liberado se for aprovado e houver o registro da candidatura.

Propagandas eleitorais

Todas as propagandas eleitorais estarão permitidas a partir do dia 15 de agosto de 2020. Mas não serão aceitas publicidades que peçam voto explicitamente. Não é considerado uma propaganda eleitoral, o anúncio de pré candidatura ou o anúncio de qualidades pessoais do candidato, e estas duas opções poderão ser feitas antes do dia 15.

Na rádio e televisão as propagandas eleitorais só poderão ser feitas durante os 35 dias que antecedem as eleições. Esta é a propaganda gratuita.

Não será aceito propagandas eleitorais fantasiosas e repletas de efeitos especiais, apenas o candidato falando pelo tempo determinado para cada partido e expondo o seu número.

As propagandas na imprensa poderão ser feitas a partir do dia 15 de agosto. Elas podem acontecer até dois dias antes das eleições. O candidato poderá investir em divulgações.

Na rua os candidatos ficam proibidos de fazer publicidade em outdoors (normais e eletrônicos). Na rua é proibido fazer propagandas de qualquer natureza em locais como clubes, cinemas, centros comerciais, templos, estádios e ginásio, mesmo que faça parte de uma propriedade privada.

Não é permitido propagandas de rua em postes de iluminação, semáforos, viadutos, pontes, passarelas, pontos de ônibus, muros, cercas e árvores da via pública.

Eleições 2020 na internet

Os candidatos poderão fazer campanha através de sites, redes sociais e blogs. Será possível também contratar impulsionamento de conteúdo para que haja um alcance maior nestas redes. Porém o impulsionamento fica vetado por pessoas físicas, apenas por partidos e candidatos em nome próprio.

Será considerado crime a contratação de pessoas e/ou grupos para incitar ódio e denegrir a imagem de candidatos, partidos e coligações.

Todas as regras estão disponíveis para consulta através do site do TSE!

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Governador de Porto Rico diz que não buscará a reeleição, mas se recusa a renunciar 0 81

Governador de Porto Rico diz que não buscará a reeleição, mas se recusa a renunciar 3

O governador de Porto Rico disse no domingo que não buscará a reeleição no próximo ano, mas se recusou a renunciar após nove dias de protestos, às vezes violentos, exigindo sua saída por um escândalo baseado em uma série de mensagens de chat vulgares.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A polêmica de Rosselló

Um dia antes de uma greve geral e mais manifestações planejadas no território dos EUA, Ricardo Rosselló disse que respeitava os desejos dos porto-riquenhos e não concorreria a outro período nas eleições de novembro de 2020.

Ele também disse que renunciaria como chefe do Novo Partido Progressivo (PNP), mas permaneceria governador até o final de seu mandato em janeiro de 2021.

“Eu sei que não é o suficiente para se desculpar. Somente meu trabalho ajudará a restaurar a confiança desses setores no caminho da verdadeira reconciliação ”, disse Rosselló em um vídeo do Facebook ao vivo.

Resta saber se as ações de Rosselló vão tranquilizar os detratores que exigem sua renúncia.

As mensagens vulgares que foram publicadas em 13 de julho desencadearam ressentimento sobre a manipulação dos furacões devastadores de 2017, a alegada corrupção em seu governo e a fraca recuperação da ilha da falência.

A decisão de Rosselló de não se demitir foi recebida com indignação no Twitter, onde muitos porto-riquenhos se comprometeram a ir às ruas na segunda-feira para exigir sua saída.

As manifestações para a saída do governante

“#Renunciação Ricky não é apenas um convite para deixar a festa, mas também de sua posição como o principal oficial”, twittou Linda Michelle, engenheira industrial e personalidade de rádio de Porto Rico. “Quem não tinha certeza de ir para a marcha amanhã, agora decidiu ir.”

Nos bate-papos on-line publicados em 13 de julho, o governador de centro-direita e seus principais aliados se referiram a políticos comuns, celebridades e porto-riquenhos em termos misóginos, homofóbicos e vulgares.

Fonte:Reuters Latin America

Agenda oficial de Bolsonaro no G20 realizado em Osaka no Japão 0 257

bolsonaro agenda oficial cupula g20 de 2019

Pela primeira vez como presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro irá representar o país na cúpula do G20, onde os líderes das 20 maiores economias do mundo deverão estar presentes no encontro que acontece no próximo dia 28 de junho, sexta-feira, em Osaka no Japão.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O presidente brasileiro realizou seu embarque na noite deste dia 25/06, terça-feira, onde tanto a transferência de cargo para o vice, Hamilton Mourão, como o embarque na aeronave foi transmitido pela Presidência.

O desembarque de Bolsonaro está previsto para acontecer no próximo dia 27/06, já com alguns compromissos marcados. Entre os principais encontros propostos para esta reunião, está a com o presidente chinês, Xi Jinping e com o primeiro ministro da Índia, Narendra Modi.

Bolsonaro deve discursar na área de inovação e tecnologia.

Agenda oficial de Bolsonaro no G20

Confira todas as datas e horas do brasileiro em sua viagem para o Japão:

Data: Quinta-feira 27/06/19

  • Chegada em Osaka, Japão: 13h35;
  • Participação em jantar privado: 19h.

Data: Sexta-feira 28/06/19

  • Participação em audiência com o presidente do Banco Mundial, David Malpass: Às 9h10;
  • Reunião com os principais líderes do BRICS: às 10h20;
  • Reunião bilateral com o líder chinês, Xi Jinping: às 11h10;
  • Participação na primeira sessão plenária da cúpula com os líderes do G20: às 12h;
  • Participação em reunião paralela dos líderes do G20, com o assunto sobre economia digital: às 14h05;
  • Início da segunda sessão plenária da cúpula do G20: às 14h55;
  • Participação em jantar oferecido pelo primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, como uma homenagem aos líderes do G20: às 18h45.

Data: Sábado 29/06/19

  • Reunião bilateral realizada com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi: às 9h20;
  • Participação em reunião paralela dos líderes do G20, com o tema sobre o empoderamento das mulheres: às 9h40;
  • Realização da terceira sessão plenária da cúpula de líderes do G20: às 10h;
  • Reunião bilateral com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman: às 11h30;
  • Realização da Quarta sessão plenária da cúpula de líderes do G20: às 12h15;
  • Participação na Sessão de encerramento da cúpula de líderes do G20: às 13h45;
  • Última reunião bilateral realizada com o primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien-Loong: às 14h05;
  • Realização do embarque de retorno ao Brasil: às 18h.

Most Popular Topics

Editor Picks