STF adia decisão sobre recurso da defesa de Lula 0 123

STF adia decisão sobre recurso da defesa de Lula 1

O STF adiou na terça-feira até agosto sua decisão sobre o apelo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que argumentou que ele deveria ser libertado porque vazou mensagens privadas que mostravam que o juiz que o condenou não era imparcial.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O recurso da defesa de Lula e a rejeição do STF

Cinco juízes no tribunal de 11 membros ouviram o apelo. Depois de rejeitar em 3 a 2 votos a proposta de um juiz de que Lula seja libertado até que tenha mais tempo para avaliar o recurso, os juízes decidiram adiar uma decisão até agosto, após um recesso judicial.

O esquerdista Lula foi o líder do Brasil de 2003 a 2010 e deixou o cargo com 87% de aprovação. Mas o Partido dos Trabalhadores que ele fundou caiu quando os promotores brasileiros em 2014 iniciaram a investigação de corrupção “Car Wash” e outros. Eles são sondagens sem precedentes para a corrupção, centradas em propinas políticas em contratos em empresas estatais.

Lula foi condenado em julho de 2017 no primeiro de pelo menos oito processos de corrupção que enfrenta. Ele foi preso em abril de 2018 com uma sentença de 12 anos e permanece na prisão. Ele já foi condenado em um segundo julgamento de enxerto.

A primeira condenação impediu Lula, um ícone esquerdista que continua sendo um dos políticos mais influentes do Brasil, de concorrer à presidência no ano passado. Mesmo depois de ser preso, as pesquisas mostraram que ele teria sido facilmente eleito pelo rival de extrema-direita Jair Bolsonaro, que conquistou a presidência.

O juiz que condenou Lula, Sergio Moro, agora serve como ministro da Justiça de Bolsonaro.

Nas últimas semanas, ele foi pressionado a se demitir depois que o site de notícias Intercept Brasil publicou o primeiro do que disse que serão meses de histórias baseadas em mensagens privadas vazadas entre Moro e promotores.

Essas mensagens levantam sérias dúvidas sobre a imparcialidade de Moro enquanto ele presidia o julgamento de Lula. As mensagens mostravam-no orientando os promotores sobre o momento dos ataques e prisões, pedindo-lhes que publiquem press releases para criticar a defesa de Lula e enviar dicas investigativas, enquanto ele era legalmente obrigado a permanecer imparcial.

Com base nas mensagens, o advogado de Lula, Cristiano Zanin, argumentou perante os juízes da Suprema Corte na terça-feira que Lula deve ser libertado imediatamente.

“Hoje sabemos que a defesa foi tratada como uma mera formalidade”, disse Zanin, referindo-se à assistência de Moro aos promotores federais. “Desde o início do julgamento, a acusação recebeu tratamento favorável”.

Em declarações judiciais, Zanin disse que as reportagens do The Intercept “revelam em detalhes completos e assustadores” que Moro violou a ética para condenar Lula e impedi-lo de recuperar a presidência.

Moro disse inicialmente que as mensagens vazadas não mostravam erros. Como The Intercept publicou mais histórias, ele mudou de tática para dizer que não podia verificar se as notas eram autênticas e que não conseguia se lembrar se as havia enviado.

Os advogados de Lula há anos sustentam que Moro estava agindo com o desejo de impedir que Lula e o Partido dos Trabalhadores retornassem à presidência. Eles recorreram repetidamente ao Supremo Tribunal, mas todos os pedidos foram negados.

Fonte:Reuters

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ex diretor do Detran no Paraná é preso em operação da Gaeco 0 126

preso ex diretor do detran pela gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, a Gaeco, prendeu na manhã desta quarta feira através da operação Taxa Alta, o ex-diretor-geral do Detran no Paraná, Marcello Panizzi.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Marcello era atualmente o diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). Ele era um dos cinco alvos da Gaeco nesta operação, onde foram emitidos os mandados de prisão preventiva para Curitiba, Maringá e Brasília.

Esta operação é focada na investigação de irregularidades em um edital do Detran com a finalidade de credenciar empresas responsáveis pelo registro de financiamentos de veículos no Paraná.

Agora a cota para compras no Paraguai será de US$ 500 e US$ 1000.

Os policiais da Gaeco chegaram a casa de Panizzi, que fica localizada no bairro São Lourenço, em Curitiba, logo pela manhã. Além da prisão, os policiais também estavam executando um mandado de busca e apreensão.

Outros que receberam a visita dos policiais nesta quarta foram três servidores comissionados da época do edital e um ex-assessor da Governadoria do Estado do Paraná.

Operação Taxa Alta

Esta operação está responsável por apurar o suposto direcionamento dos credenciamentos do edital de 2018 pelo Departamento de Trânsito do Paraná. Os registros de contratos eram feitos eletronicamente, onde haviam cláusulas restritivas à venda, como reserva de domínio, penhor, alienação fiduciária ou arrendamento.

Todo o processo foi manipulado para beneficiar uma das vencedoras. A empresa que venceu a licitação, faturou entre novembro de 2018 e junho de 2019, nada menos do que R$ 77 milhões. Ela pediu seu credenciamento para o serviço um dia após a publicação do edital e por um grande período praticamente monopolizou toda a operação.

Antes do credenciamento desta empresa, o preço cobrado dos donos de automóveis no Paraná eram de R$ 143. Após a inclusão da vencedora do edital para assumir a documentação dos financiamentos, o preço pelo serviço subiu para R$ 350.

Bolivianos passam fome e enfrentam filas para conseguir comida no país 0 126

fome na bolivia

Praticamente nos mesmos moldes da população venezuelana, os bolivianos fazem enormes filas nas ruas de La Paz, capital da Bolívia, para poder comprar comida e gás, pois há um enorme bloqueio nas estradas do país.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A busca neste domingo é por frango, ovos e também combustível para poder fazer o alimento da semana. O bloqueio está sendo feito por apoiadores de Evo Morales, impedindo que os carregamentos vindos das regiões metropolitanas possam chegar até a capital.

Diante desta ação, hoje um avião militar Hercules pousou com produtos para a população. Ainda neste sábado, o ministro da Presidência, Jerjes Justiniano, informou que o governo criou uma “ponte aérea” para a capital boliviana. Em pouco tempo o mesmo deve ser feito a outras cidades que tiveram a entrega de suprimentos isoladas pelas estradas.

Caos na Bolívia

Desde o último dia 20 de outubro, a Bolívia vem vivendo momentos de tensão. Isso porque Evo Morales acabou vencendo as eleições com fraudes comprovadas pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Então ele acabou renunciando a presidência no último domingo (10/11) e pedindo asilo político no México.

Foi então que diversos arruaceiros foram as ruas armados com pistolas, granadas e até armamento mais pesado, enfrentando as forças de segurança do país.

Mesmo com salário de 20 mil, noiva de Lula larga tudo para se casar.

Diante da violência, muitas regiões acabaram ficando sem gás liquefeito, passando a cozinhar com lenha e tendo que ficar horas em filas para conseguir pouquíssima comida.

Moradores da região estão dizendo que estão sem comida ou combustível e esperam que as coisas se acalmem nos próximos dias, pois não é possível saber quais serão as reais consequências para toda a população.

Most Popular Topics

Editor Picks