STF adia decisão sobre recurso da defesa de Lula 0 39

STF adia decisão sobre recurso da defesa de Lula 1

O STF adiou na terça-feira até agosto sua decisão sobre o apelo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que argumentou que ele deveria ser libertado porque vazou mensagens privadas que mostravam que o juiz que o condenou não era imparcial.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O recurso da defesa de Lula e a rejeição do STF

Cinco juízes no tribunal de 11 membros ouviram o apelo. Depois de rejeitar em 3 a 2 votos a proposta de um juiz de que Lula seja libertado até que tenha mais tempo para avaliar o recurso, os juízes decidiram adiar uma decisão até agosto, após um recesso judicial.

O esquerdista Lula foi o líder do Brasil de 2003 a 2010 e deixou o cargo com 87% de aprovação. Mas o Partido dos Trabalhadores que ele fundou caiu quando os promotores brasileiros em 2014 iniciaram a investigação de corrupção “Car Wash” e outros. Eles são sondagens sem precedentes para a corrupção, centradas em propinas políticas em contratos em empresas estatais.

Lula foi condenado em julho de 2017 no primeiro de pelo menos oito processos de corrupção que enfrenta. Ele foi preso em abril de 2018 com uma sentença de 12 anos e permanece na prisão. Ele já foi condenado em um segundo julgamento de enxerto.

A primeira condenação impediu Lula, um ícone esquerdista que continua sendo um dos políticos mais influentes do Brasil, de concorrer à presidência no ano passado. Mesmo depois de ser preso, as pesquisas mostraram que ele teria sido facilmente eleito pelo rival de extrema-direita Jair Bolsonaro, que conquistou a presidência.

O juiz que condenou Lula, Sergio Moro, agora serve como ministro da Justiça de Bolsonaro.

Nas últimas semanas, ele foi pressionado a se demitir depois que o site de notícias Intercept Brasil publicou o primeiro do que disse que serão meses de histórias baseadas em mensagens privadas vazadas entre Moro e promotores.

Essas mensagens levantam sérias dúvidas sobre a imparcialidade de Moro enquanto ele presidia o julgamento de Lula. As mensagens mostravam-no orientando os promotores sobre o momento dos ataques e prisões, pedindo-lhes que publiquem press releases para criticar a defesa de Lula e enviar dicas investigativas, enquanto ele era legalmente obrigado a permanecer imparcial.

Com base nas mensagens, o advogado de Lula, Cristiano Zanin, argumentou perante os juízes da Suprema Corte na terça-feira que Lula deve ser libertado imediatamente.

“Hoje sabemos que a defesa foi tratada como uma mera formalidade”, disse Zanin, referindo-se à assistência de Moro aos promotores federais. “Desde o início do julgamento, a acusação recebeu tratamento favorável”.

Em declarações judiciais, Zanin disse que as reportagens do The Intercept “revelam em detalhes completos e assustadores” que Moro violou a ética para condenar Lula e impedi-lo de recuperar a presidência.

Moro disse inicialmente que as mensagens vazadas não mostravam erros. Como The Intercept publicou mais histórias, ele mudou de tática para dizer que não podia verificar se as notas eram autênticas e que não conseguia se lembrar se as havia enviado.

Os advogados de Lula há anos sustentam que Moro estava agindo com o desejo de impedir que Lula e o Partido dos Trabalhadores retornassem à presidência. Eles recorreram repetidamente ao Supremo Tribunal, mas todos os pedidos foram negados.

Fonte:Reuters

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BRT do Rio inicia sistema para multar caloteiros 0 85

fiscalizacao contra calote brt rio de janeiro

A partir desta segunda-feira (22/07) o BRT (Bus Rapid Transit) do Rio de Janeiro irá começar uma forte fiscalização nas estações através de máquinas contra calotes. Diversos fiscais espalhados pelas estações do BRT irão pedir o cartão do passageiro (Riocard), onde através de uma leitura na máquina, deverão conferir o último uso do bilhete, identificando passageiros que entraram sem pagar.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A multa para quem estiver aplicando o calote no sistema, desde que identificado pela máquina será de R$ 170.

No Twitter oficial do BRT Rio foi publicado o seguinte tweet:

“… A partir da próxima segunda-feira, 22, máquinas serão utilizadas para fiscalizar a validação do cartão Riocard nas roletas de acesso. A medida é um importante mecanismo para coibir os calotes no BRT…”

Testes finais

Os últimos testes antes da fiscalização começar foram realizados nesta sexta-feira (19/07). Agentes do sistema e guardas municipais saíram em duplas e fizeram a verificação dos bilhetes dos passageiros em busca de calotes nas estações. Eles não ficaram em pontos fixos, surpreendendo ainda mais os passageiros.

Durante a fiscalização “teste” uma pessoa foi identificada sem pagar na estação do Barra Shopping. A multa é gerada no próprio cartão e pode levar o nome para os sistemas de proteção ao crédito.

Outro sistema que vem sendo testado pela BRT Rio é um de monitoramento. Através do Terminal Alvorada, agentes irão verificar por meio de câmeras quais são os passageiros que entram sem pagar, além de verificar a segurança dos equipamentos.

Fiscalização desde outubro

Apesar das fiscalizações do BRT terem sido iniciadas nesta segunda-feira (22/07) a Guarda Municipal do Rio já está fazendo a fiscalização por contra própria contra calotes desde o último mês de outubro de 2018. Todos os dias cerca de 120 agentes circulam nas estações, principalmente nos horários com maior índice de calote.

Até este mês os agentes já aplicaram quase 3300 multas referentes à fiscalização.

Vulcão Ubinas fica ativo no Peru e 30 mil moradores são evacuados 0 102

vulcao ubinas em atividade

O vulcão Ubinas localizado no país do Peru iniciou suas atividades desde a última quinta-feira (18/07). E por conta do perigo que suas atividades representam para a região o governo peruano decretou estado e emergência neste domingo para sete distritos da região sul do país.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

De quinta-feira até este domingo cerca de 30 mil pessoas tiveram que deixar as suas casas. As regiões que tiveram as casas evacuadas foram Moquegua, Arequipa, Tacna e Puno. Nelas as cinzas do vulcão cobriram 617 escolas e 20 unidades de saúde.

O balanço acabou de ser divulgado pelo Centro de Operações de Emergência Nacional (Coen), onde neste domingo informou que o maior número de desabrigados está localizado na região de Puno, fronteira com a Bolívia. Por lá já foram evacuadas 19 mil pessoas de suas casas.

A segunda região mais atingida foi Moquegua, que já passa dos 9 mil desalojados.

Estado de emergência no Peru

O governo peruano decretou estado de emergência neste domingo para poder acelerar a retirada da população que está próxima ao vulcão ativo Ubinas, iniciando o ponto de ajuda aos que estão sendo afetados.

As atividades do Ubinas se intensificaram deste a última quinta-feira, quando o vulcão lançou ao ar uma fumaça com mais de cinco quilômetros de altura. Então o vento acabou dispersando as cinzas e há relatos de que elas chegara a atingir a Bolívia.

Um especialista do Instituto Geológico de Mineração e Metalurgia (Ingemmet), Jersy Mariño, informou que a erupção do vulcão Ubinas é moderada. O vulcão é bem ativo na região, sendo comum que tenha atividades a cada cinco anos.

A recomendação é que a população próxima deixe suas residências e ao se locomover utilize máscaras para não respirar as impurezas da fumaça tóxica.

Ele é apenas um dos oito vulcões localizados no sul do Peru. Já o país todo conta com 16 vulcões, onde os principais são:

  • Misti;
  • Sabancaya;
  • Nevado Coropuna;
  • Ampato;
  • Huaynaputina;
  • Jenchaña;
  • Chachani.

Most Popular Topics

Editor Picks