Proposta do Flamengo para vítimas equivale a 1 mês de salário de estrelas do elenco 0 304

Proposta do Flamengo para vítimas equivale a 1 mês de salário de estrelas do elenco 1

O Clube de Regatas do Flamengo divulgou a proposta de indenização que será oferecida às famílias das vítimas da tragédia no centro de treinamento do clube no dia 8 de fevereiro, onde morreram dez atletas da categoria de base do clube.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Segundo a Câmara, a proposta que foi repassada para as famílias é de R$ 300 a R$ 400 mil para cada família, mais uma pensão no valor de um salário mínimo para cada família por 10 anos.

Levando-se em consideração o percentual de aumento do salário mínimo ano longo dos anos, que quase sempre fica abaixo da inflação, o valor total pago pelo Flamengo às famílias das vítimas giraria em torno de R$1.437.851,39, que daria uma média de R$143.785,14 para cada família em 10 anos.

O valor fica bem abaixo do que é pago para algumas estrelas do elenco, como o Uruguaio Arrascaeta, que recebe salário por volta de R$1 milhão, e de Gabriel Barbosa, que também tem vencimentos milionários.

Somente a soma dos salários de Arrascaeta e Gabigol, por 1 mês, já ultrapassam o valor total oferecido como indenização pelo Flamengo à todas famílias, por 10 anos.

Entenda as propostas

Proposta da Câmara de Conciliação:

Indenização: 2 milhões de reais para cada família
Pensão: mínimo de R$ 10 mil para cada família por cerca de 30 anos (até que os atletas completassem 45 anos)

Proposta do Flamengo, segundo a Câmara:
Indenização: R$ 300 a R$ 400 mil para cada família
Pensão: salário mínimo para cada família por 10 anos

Leia a íntegra da nota do Flamengo:

O Clube de Regatas do Flamengo, em relação às tratativas com o MP-RJ, a Defensoria Pública e o Ministério Público do Trabalho, esclarece que:

– No primeiro dia do trágico acidente, o Flamengo tomou a iniciativa de procurar as autoridades e se pôr à disposição para, independentemente das investigações acerca de culpa, indenizar as famílias de seus jovens atletas no menor prazo possível.

– Para este fim, o Clube se prontificou a participar de um processo de composição amistosa. Trouxe familiares da vítimas para o Rio de Janeiro, com o objetivo de que estes pudessem se reunir com a Defensoria Pública e, assessorados por ela, tivessem a oportunidade de participar diretamente do processo amistoso de negociação.

– Paralelamente, o Flamengo participou de reuniões com as autoridades, buscando estabelecer critérios comuns para a negociação.

– Nestes encontros, foi solicitado ao Clube que este apresentasse uma proposta de valor que pudesse balizar as conversas. Isso foi feito, embora não atendesse ao princípio de uma mediação aberta.

– Nesta terça-feira (19), após reunião com autoridades daqueles órgãos, o Flamengo – independentemente de processo judicial – ofereceu, por fim, um valor que está acima dos padrões que são adotados pela Justiça brasileira, como forma de atender com brevidade as famílias de seus jovens atletas.

– O Flamengo teve o cuidado de oferecer valores maiores dos que estão sendo estipulados em casos similares, como, por exemplo, o incêndio da boate Kiss, ocorrido em 2013. Até hoje, vale lembrar, famílias não receberam a indenização.

– A atuação do Flamengo, no Brasil, é praticamente inédita, até onde se tem notícia.

– Diante disso, o Flamengo reitera o propósito de se antecipar e informa que vai instaurar procedimento de mediação no Núcleo de Mediação do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, coordenado pelo Desembargador Cesar Cury, e para o qual convidará as famílias – e deixando claro que as autoridades também serão convidadas.

Previous ArticleNext Article
Direto do Repórter Social, amantes de internet, redação e publicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BRT do Rio inicia sistema para multar caloteiros 0 86

fiscalizacao contra calote brt rio de janeiro

A partir desta segunda-feira (22/07) o BRT (Bus Rapid Transit) do Rio de Janeiro irá começar uma forte fiscalização nas estações através de máquinas contra calotes. Diversos fiscais espalhados pelas estações do BRT irão pedir o cartão do passageiro (Riocard), onde através de uma leitura na máquina, deverão conferir o último uso do bilhete, identificando passageiros que entraram sem pagar.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A multa para quem estiver aplicando o calote no sistema, desde que identificado pela máquina será de R$ 170.

No Twitter oficial do BRT Rio foi publicado o seguinte tweet:

“… A partir da próxima segunda-feira, 22, máquinas serão utilizadas para fiscalizar a validação do cartão Riocard nas roletas de acesso. A medida é um importante mecanismo para coibir os calotes no BRT…”

Testes finais

Os últimos testes antes da fiscalização começar foram realizados nesta sexta-feira (19/07). Agentes do sistema e guardas municipais saíram em duplas e fizeram a verificação dos bilhetes dos passageiros em busca de calotes nas estações. Eles não ficaram em pontos fixos, surpreendendo ainda mais os passageiros.

Durante a fiscalização “teste” uma pessoa foi identificada sem pagar na estação do Barra Shopping. A multa é gerada no próprio cartão e pode levar o nome para os sistemas de proteção ao crédito.

Outro sistema que vem sendo testado pela BRT Rio é um de monitoramento. Através do Terminal Alvorada, agentes irão verificar por meio de câmeras quais são os passageiros que entram sem pagar, além de verificar a segurança dos equipamentos.

Fiscalização desde outubro

Apesar das fiscalizações do BRT terem sido iniciadas nesta segunda-feira (22/07) a Guarda Municipal do Rio já está fazendo a fiscalização por contra própria contra calotes desde o último mês de outubro de 2018. Todos os dias cerca de 120 agentes circulam nas estações, principalmente nos horários com maior índice de calote.

Até este mês os agentes já aplicaram quase 3300 multas referentes à fiscalização.

Vulcão Ubinas fica ativo no Peru e 30 mil moradores são evacuados 0 103

vulcao ubinas em atividade

O vulcão Ubinas localizado no país do Peru iniciou suas atividades desde a última quinta-feira (18/07). E por conta do perigo que suas atividades representam para a região o governo peruano decretou estado e emergência neste domingo para sete distritos da região sul do país.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

De quinta-feira até este domingo cerca de 30 mil pessoas tiveram que deixar as suas casas. As regiões que tiveram as casas evacuadas foram Moquegua, Arequipa, Tacna e Puno. Nelas as cinzas do vulcão cobriram 617 escolas e 20 unidades de saúde.

O balanço acabou de ser divulgado pelo Centro de Operações de Emergência Nacional (Coen), onde neste domingo informou que o maior número de desabrigados está localizado na região de Puno, fronteira com a Bolívia. Por lá já foram evacuadas 19 mil pessoas de suas casas.

A segunda região mais atingida foi Moquegua, que já passa dos 9 mil desalojados.

Estado de emergência no Peru

O governo peruano decretou estado de emergência neste domingo para poder acelerar a retirada da população que está próxima ao vulcão ativo Ubinas, iniciando o ponto de ajuda aos que estão sendo afetados.

As atividades do Ubinas se intensificaram deste a última quinta-feira, quando o vulcão lançou ao ar uma fumaça com mais de cinco quilômetros de altura. Então o vento acabou dispersando as cinzas e há relatos de que elas chegara a atingir a Bolívia.

Um especialista do Instituto Geológico de Mineração e Metalurgia (Ingemmet), Jersy Mariño, informou que a erupção do vulcão Ubinas é moderada. O vulcão é bem ativo na região, sendo comum que tenha atividades a cada cinco anos.

A recomendação é que a população próxima deixe suas residências e ao se locomover utilize máscaras para não respirar as impurezas da fumaça tóxica.

Ele é apenas um dos oito vulcões localizados no sul do Peru. Já o país todo conta com 16 vulcões, onde os principais são:

  • Misti;
  • Sabancaya;
  • Nevado Coropuna;
  • Ampato;
  • Huaynaputina;
  • Jenchaña;
  • Chachani.

Most Popular Topics

Editor Picks