Reforma: 40 anos de contribuição para aposentadoria integral 0 509

aposentadoria-reforma-inss

A reforma da previdência é um dos assuntos mais mencionados pelo Governo de Michel Temer nos últimos dias, o tema é bem debatido, pois trás grandes consequências para boa parte da população trabalhadora. E após uma reunião no Palácio da Alvorada, do presidente com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e os governadores dos estados brasileiros, foi definido que com o novo texto da reforma, será possível economizar 60% ao longo dos próximos anos.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O efeito fiscal proposto nesta reforma, através do relatório do deputado Arthur Maia do PPS da Bahia, que já foi inclusive aprovado na comissão da Reforma da Previdência, estima que ao longo dos próximos 10 anos, serão economizados quase R$ 800 bilhões. Embora toda a população brasileira, não sabe para qual finalidade essa economia seria revertida.

Através dos cálculos feitos para o novo texto da reforma, os 60% podem ser um pouco maior ou menor, pois ainda é necessário realizar alguns ajustes, para deixar a reforma benéfica, segundo Meirelles, para toda a população.

As principais informações sobre a reforma, neste novo texto.

No novo texto da reforma da previdência, a regra de transição para aqueles que estão próximos de se aposentar, ainda está válida, afinal neste tempo de instabilidade, nada mais justo do que manter a esperança daqueles que estão tão próximos. Outra regra que foi mantida em relação às anteriores, foi que o tempo mínimo de contribuição ainda será de 15 anos e não de 25 anos como na proposta inicial do governo, que gerou uma boa discussão. Mas ainda sim, a regra dos 15 anos foi alterada, pois quem se aposentar com 15 anos, terá direito somente a 60% do salário vigente.

E é neste caso que a reforma vem trazendo uma discussão acalorada. Para que seja possível receber 100% do valor do salário na aposentadoria, será necessário realizar uma contribuição de 40 anos e não mais 35 como antes. O salário mínimo servirá como base para o piso dos benefícios.

Segundo Meirelles, atualmente cerca de 20% da população em estado de pobreza, não conseguem fazer a contribuição pelo tempo necessário para o INSS, mas de acordo com ele, a regra de transição será o ponto fundamental, para que essa faixa se aposente mais cedo nos primeiros anos da reforma da previdência.

Outro ponto bem debatido é a questão da idade mínima para aposentadoria. Neste novo texto, a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens, também será mantida, estando inclusive na regra de transição. Ainda em relação a idade, o tempo será igual para trabalhadores públicos e privados. Entretanto, até que a reforma seja aprovada, as idades mínimas, estarão sempre em pauta, pois alguns governantes defendem uma idade menor e outros uma idade maior, de acordo com a nova expectativa de vida dos brasileiros.

Itens que foram retirados da reforma

Algumas regras que faziam parte da reforma foram retiradas, por não ser o foco principal desta economia e também para atender aos pedidos de algumas bases do governo. Entre as regras que não terão mudanças, são os Benefícios de Prestação Continuada o BPC e também as aposentadorias de trabalhadores rurais.

O porquê desta reforma?

A Reforma da Previdência vem sendo um dos principais assuntos do governo atual, pois segundo a previsão dos dados atuais para daqui a 10 anos, a despesa previdenciária irá consumir 80% do orçamento brasileiro. Isso porque atualmente e por consequência nos próximos anos, haverá menos pessoas contribuindo e mais aposentados.

As reuniões vêm sendo positivas e diversos pontos vêm sendo discutidos, para que a reforma venha a agradar a todos, mas principalmente a população, por conta das represálias e futuras candidaturas. Os governantes também se dizem preocupados com as finanças do país em um futuro próximo.

Em resumo, o governo vem estudando uma melhor forma de ajudar os cofres públicos, atendendo a necessidade das bases aliadas, do governo e também da população.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

45 mil litros de combustível são apreendidos pela PRF em Seropédica 0 99

45 mil litros combustivel preso pela prf

Uma apreensão considerada grande de combustíveis foi feita pela Polícia Rodoviária Federal na manhã deste último dia de novembro (30/11). A PRF parou três carretas carregadas com etanol e encontrou irregularidades nas notas fiscais.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A carga foi apreendida durante uma blitz que os agentes federais realizavam no quilômetro 208 da via Dutra. Este quilômetro fica localizado na cidade de Seropédica, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

As carretas estavam carregadas de etanol e durante o flagrante foi constatado a irregularidade nas notas fiscais dos três veículos. Elas foram apreendidas juntas pois seguiam em comboio para a capital, Rio de Janeiro.

Museu Grünes Gewölbe é invadido por ladrões na Alemanha e bilhões são levados.

45 mil litros de combustível irregular

Os policiais abordaram os motoristas e solicitaram as notas fiscais das mercadorias. Então elas foram consultadas nos sistemas de segurança da PRF e então foi constatado irregularidades tributárias nos documentos. Todos os veículos eram responsáveis pelo transporte de 45 mil litros de etanol pronto para uso.

Após constatar as irregularidades, a questão foi encaminhada para o Posto Fiscal da Secretaria de Fazenda Estadual (SEFAZ), que é localizada em Nhangapi, na região de Itatiaia, Rio de Janeiro.

Os motoristas estão prestando depoimento para a polícia rodoviária, mas devem ser liberados nas próximas horas.

Imagem divulgação: Extra.com

Ex diretor do Detran no Paraná é preso em operação da Gaeco 0 123

preso ex diretor do detran pela gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, a Gaeco, prendeu na manhã desta quarta feira através da operação Taxa Alta, o ex-diretor-geral do Detran no Paraná, Marcello Panizzi.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Marcello era atualmente o diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). Ele era um dos cinco alvos da Gaeco nesta operação, onde foram emitidos os mandados de prisão preventiva para Curitiba, Maringá e Brasília.

Esta operação é focada na investigação de irregularidades em um edital do Detran com a finalidade de credenciar empresas responsáveis pelo registro de financiamentos de veículos no Paraná.

Agora a cota para compras no Paraguai será de US$ 500 e US$ 1000.

Os policiais da Gaeco chegaram a casa de Panizzi, que fica localizada no bairro São Lourenço, em Curitiba, logo pela manhã. Além da prisão, os policiais também estavam executando um mandado de busca e apreensão.

Outros que receberam a visita dos policiais nesta quarta foram três servidores comissionados da época do edital e um ex-assessor da Governadoria do Estado do Paraná.

Operação Taxa Alta

Esta operação está responsável por apurar o suposto direcionamento dos credenciamentos do edital de 2018 pelo Departamento de Trânsito do Paraná. Os registros de contratos eram feitos eletronicamente, onde haviam cláusulas restritivas à venda, como reserva de domínio, penhor, alienação fiduciária ou arrendamento.

Todo o processo foi manipulado para beneficiar uma das vencedoras. A empresa que venceu a licitação, faturou entre novembro de 2018 e junho de 2019, nada menos do que R$ 77 milhões. Ela pediu seu credenciamento para o serviço um dia após a publicação do edital e por um grande período praticamente monopolizou toda a operação.

Antes do credenciamento desta empresa, o preço cobrado dos donos de automóveis no Paraná eram de R$ 143. Após a inclusão da vencedora do edital para assumir a documentação dos financiamentos, o preço pelo serviço subiu para R$ 350.

Most Popular Topics

Editor Picks