Marcelo D2 ironiza apreensão de armas em condomínio na Barra 0 587

Marcelo D2 ironiza apreensão de armas em condomínio na Barra 1

Famosos – O cantor brasileiro Marcelo D2 usou a sua conta oficial no Twitter para tecer uma crítica, com fortes pitadas de ironia, com relação a uma apreensão feita polícia do Rio de Janeiro em um bairro nobre da referida cidade.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Marcelo D2 sempre se mostrou e mostra muito crítico, engajada e politizado. Desde a ascensão de Jair Bolsonaro ele tem apresentado-se como um crítico ferrenho e o continuou sendo após as eleições.

Resumidamente falando, a polícia carioca apreendeu 117 fuzis M16 incompletos na casa do amigo de Ronnie Lessa, o acusado de atirar e matar a vereadora Marielle Franco (PSOL). A mansão está localizada em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, bairro nobre do Rio de Janeiro.

Você também pode se interessar por:

Marcelo D2, ao saber do ocorrido pelos noticiários, faz uma fala certeira e crítica:

Marcelo D2 ironiza apreensão de armas em condomínio na Barra 2

Ele diz: “117 fuzis?A maior apreensão de fuzis no Rio não foi numa favela? Foi no condomínio dos milicianos (presidente) na Barra? Sério? Pode pedir pra parar de dar tiro na favela agora?Obrigado de nada”.

Em outras palavras, ele explicita que há um preconceito elitista e classista muito forte na sociedade, que associa pessoas pobres e favela com o crime, o que implica até mesmo em ações arbitrárias.

A apreensão de fuzis na Barra

A Divisão de Homicídios (DH) da Polícia Civil do Rio de Janeiro encontrou 117 fuzis incompletos, do modelo M-16, na residência de um amigo do policial militar Ronnie Lessa no Méier, na Zona Norte do Rio.

As armas, completamente novas, encontravam-se desmontadas em caixas no interior de um guarda-roupas – só faltavam os canos. A polícia está investigando se Lessa realiza tráfico de armas e escondia lá o material.

Entre os fuzis M-16 apreendidos na residência de Alexandre Mota de Souza, a polícia encontrou alguns com a inscrição adulterada, evidenciando que seriam fuzis HK M27, arma pertencente à Marinha Americana. Segundo informações do delegado Marcos Amin, titular da Delegacia Especializada Armas e Explosivos do Rio (Desarme), trata-se de fato de um fuzil M-16.

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

45 mil litros de combustível são apreendidos pela PRF em Seropédica 0 107

45 mil litros combustivel preso pela prf

Uma apreensão considerada grande de combustíveis foi feita pela Polícia Rodoviária Federal na manhã deste último dia de novembro (30/11). A PRF parou três carretas carregadas com etanol e encontrou irregularidades nas notas fiscais.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A carga foi apreendida durante uma blitz que os agentes federais realizavam no quilômetro 208 da via Dutra. Este quilômetro fica localizado na cidade de Seropédica, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

As carretas estavam carregadas de etanol e durante o flagrante foi constatado a irregularidade nas notas fiscais dos três veículos. Elas foram apreendidas juntas pois seguiam em comboio para a capital, Rio de Janeiro.

Museu Grünes Gewölbe é invadido por ladrões na Alemanha e bilhões são levados.

45 mil litros de combustível irregular

Os policiais abordaram os motoristas e solicitaram as notas fiscais das mercadorias. Então elas foram consultadas nos sistemas de segurança da PRF e então foi constatado irregularidades tributárias nos documentos. Todos os veículos eram responsáveis pelo transporte de 45 mil litros de etanol pronto para uso.

Após constatar as irregularidades, a questão foi encaminhada para o Posto Fiscal da Secretaria de Fazenda Estadual (SEFAZ), que é localizada em Nhangapi, na região de Itatiaia, Rio de Janeiro.

Os motoristas estão prestando depoimento para a polícia rodoviária, mas devem ser liberados nas próximas horas.

Imagem divulgação: Extra.com

Ex diretor do Detran no Paraná é preso em operação da Gaeco 0 130

preso ex diretor do detran pela gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, a Gaeco, prendeu na manhã desta quarta feira através da operação Taxa Alta, o ex-diretor-geral do Detran no Paraná, Marcello Panizzi.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Marcello era atualmente o diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). Ele era um dos cinco alvos da Gaeco nesta operação, onde foram emitidos os mandados de prisão preventiva para Curitiba, Maringá e Brasília.

Esta operação é focada na investigação de irregularidades em um edital do Detran com a finalidade de credenciar empresas responsáveis pelo registro de financiamentos de veículos no Paraná.

Agora a cota para compras no Paraguai será de US$ 500 e US$ 1000.

Os policiais da Gaeco chegaram a casa de Panizzi, que fica localizada no bairro São Lourenço, em Curitiba, logo pela manhã. Além da prisão, os policiais também estavam executando um mandado de busca e apreensão.

Outros que receberam a visita dos policiais nesta quarta foram três servidores comissionados da época do edital e um ex-assessor da Governadoria do Estado do Paraná.

Operação Taxa Alta

Esta operação está responsável por apurar o suposto direcionamento dos credenciamentos do edital de 2018 pelo Departamento de Trânsito do Paraná. Os registros de contratos eram feitos eletronicamente, onde haviam cláusulas restritivas à venda, como reserva de domínio, penhor, alienação fiduciária ou arrendamento.

Todo o processo foi manipulado para beneficiar uma das vencedoras. A empresa que venceu a licitação, faturou entre novembro de 2018 e junho de 2019, nada menos do que R$ 77 milhões. Ela pediu seu credenciamento para o serviço um dia após a publicação do edital e por um grande período praticamente monopolizou toda a operação.

Antes do credenciamento desta empresa, o preço cobrado dos donos de automóveis no Paraná eram de R$ 143. Após a inclusão da vencedora do edital para assumir a documentação dos financiamentos, o preço pelo serviço subiu para R$ 350.

Most Popular Topics

Editor Picks