Mulher de PF sofria abusos psicológicos e era multada quando cometia erros 0 202

policial federal cobrava multas da mulher no piaui

Um caso muito curioso ocorreu no estado do Piauí nesta quinta-feira (03/10). Um policial federal está sendo investigado por praticar violência doméstica contra sua esposa, onde além da violência física, ele também exercia violência moral, psicológica e patrimonial.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Infelizmente no Brasil muitas mulheres sofrem este tipo de abuso em seus lares, onde os mesmos podem ser denunciados através da Central de Atendimento à Mulher pelo número 180. Mas o que chamou a atenção é que o policial cobrava “multas” da vítima, sempre que ela cometia algum erro dentro de casa.

Segundo seu depoimento, as multas serviam para ela “aprender a ser mãe”.

Denúncia

A denúncia de maus tratos foi feita pela própria vítima, através da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher localizada no centro de Teresina. A delegada Vilma Alves, disse que o policial confessou toda a denúncia, onde ela era humilhada, agredida e também precisava pagar estas multas.

Os valores eram cobrados a mais de dois anos, onde cada uma das multas tinham um valor entre R$ 20 e R$ 50. Entre os motivos das multas estavam casos como “banhar o filho e a água respingar no móvel, deixar resto de alimento na mesa, etc”.

O policial deve a princípio responder em liberdade. Um acordo feito entre o casal estabelece que ela irá permanecer na casa até que encontre um outro lugar para morar. A instrução é que ela faça o quanto antes.

Cunhado e mulher de Lessa do caso Marielle Franco foram presos.

Humilhação

A vítima relata que está muito afetada psicologicamente, e a Delegada informou que os abusos vão muito além do abuso emocional que ela vinha sofrendo nos últimos anos.

Ao realizar a denúncia, a mulher chorava muito, estava visivelmente abalada e durante o depoimento a situação se agravou ainda mais. Ela desabafou com a delegada e disse que ele já tinha expulsado ela de casa, porém o policial exigia que a criança ficasse.

Ela só podia sair de casa com autorização e tudo que fazia dentro de casa, desde o simples fato de assistir televisão, precisava de seu consentimento.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

45 mil litros de combustível são apreendidos pela PRF em Seropédica 0 104

45 mil litros combustivel preso pela prf

Uma apreensão considerada grande de combustíveis foi feita pela Polícia Rodoviária Federal na manhã deste último dia de novembro (30/11). A PRF parou três carretas carregadas com etanol e encontrou irregularidades nas notas fiscais.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A carga foi apreendida durante uma blitz que os agentes federais realizavam no quilômetro 208 da via Dutra. Este quilômetro fica localizado na cidade de Seropédica, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

As carretas estavam carregadas de etanol e durante o flagrante foi constatado a irregularidade nas notas fiscais dos três veículos. Elas foram apreendidas juntas pois seguiam em comboio para a capital, Rio de Janeiro.

Museu Grünes Gewölbe é invadido por ladrões na Alemanha e bilhões são levados.

45 mil litros de combustível irregular

Os policiais abordaram os motoristas e solicitaram as notas fiscais das mercadorias. Então elas foram consultadas nos sistemas de segurança da PRF e então foi constatado irregularidades tributárias nos documentos. Todos os veículos eram responsáveis pelo transporte de 45 mil litros de etanol pronto para uso.

Após constatar as irregularidades, a questão foi encaminhada para o Posto Fiscal da Secretaria de Fazenda Estadual (SEFAZ), que é localizada em Nhangapi, na região de Itatiaia, Rio de Janeiro.

Os motoristas estão prestando depoimento para a polícia rodoviária, mas devem ser liberados nas próximas horas.

Imagem divulgação: Extra.com

Ex diretor do Detran no Paraná é preso em operação da Gaeco 0 127

preso ex diretor do detran pela gaeco

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, a Gaeco, prendeu na manhã desta quarta feira através da operação Taxa Alta, o ex-diretor-geral do Detran no Paraná, Marcello Panizzi.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Marcello era atualmente o diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). Ele era um dos cinco alvos da Gaeco nesta operação, onde foram emitidos os mandados de prisão preventiva para Curitiba, Maringá e Brasília.

Esta operação é focada na investigação de irregularidades em um edital do Detran com a finalidade de credenciar empresas responsáveis pelo registro de financiamentos de veículos no Paraná.

Agora a cota para compras no Paraguai será de US$ 500 e US$ 1000.

Os policiais da Gaeco chegaram a casa de Panizzi, que fica localizada no bairro São Lourenço, em Curitiba, logo pela manhã. Além da prisão, os policiais também estavam executando um mandado de busca e apreensão.

Outros que receberam a visita dos policiais nesta quarta foram três servidores comissionados da época do edital e um ex-assessor da Governadoria do Estado do Paraná.

Operação Taxa Alta

Esta operação está responsável por apurar o suposto direcionamento dos credenciamentos do edital de 2018 pelo Departamento de Trânsito do Paraná. Os registros de contratos eram feitos eletronicamente, onde haviam cláusulas restritivas à venda, como reserva de domínio, penhor, alienação fiduciária ou arrendamento.

Todo o processo foi manipulado para beneficiar uma das vencedoras. A empresa que venceu a licitação, faturou entre novembro de 2018 e junho de 2019, nada menos do que R$ 77 milhões. Ela pediu seu credenciamento para o serviço um dia após a publicação do edital e por um grande período praticamente monopolizou toda a operação.

Antes do credenciamento desta empresa, o preço cobrado dos donos de automóveis no Paraná eram de R$ 143. Após a inclusão da vencedora do edital para assumir a documentação dos financiamentos, o preço pelo serviço subiu para R$ 350.

Most Popular Topics

Editor Picks