Skip to content

Mulher de PF sofria abusos psicológicos e era multada quando cometia erros

3 de outubro de 2019
policial federal cobrava multas da mulher no piaui

Um caso muito curioso ocorreu no estado do Piauí nesta quinta-feira (03/10). Um policial federal está sendo investigado por praticar violência doméstica contra sua esposa, onde além da violência física, ele também exercia violência moral, psicológica e patrimonial.

Infelizmente no Brasil muitas mulheres sofrem este tipo de abuso em seus lares, onde os mesmos podem ser denunciados através da Central de Atendimento à Mulher pelo número 180. Mas o que chamou a atenção é que o policial cobrava “multas” da vítima, sempre que ela cometia algum erro dentro de casa.

Segundo seu depoimento, as multas serviam para ela “aprender a ser mãe”.

Denúncia

A denúncia de maus tratos foi feita pela própria vítima, através da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher localizada no centro de Teresina. A delegada Vilma Alves, disse que o policial confessou toda a denúncia, onde ela era humilhada, agredida e também precisava pagar estas multas.

Os valores eram cobrados a mais de dois anos, onde cada uma das multas tinham um valor entre R$ 20 e R$ 50. Entre os motivos das multas estavam casos como “banhar o filho e a água respingar no móvel, deixar resto de alimento na mesa, etc”.

O policial deve a princípio responder em liberdade. Um acordo feito entre o casal estabelece que ela irá permanecer na casa até que encontre um outro lugar para morar. A instrução é que ela faça o quanto antes.

Cunhado e mulher de Lessa do caso Marielle Franco foram presos.

Humilhação

A vítima relata que está muito afetada psicologicamente, e a Delegada informou que os abusos vão muito além do abuso emocional que ela vinha sofrendo nos últimos anos.

Ao realizar a denúncia, a mulher chorava muito, estava visivelmente abalada e durante o depoimento a situação se agravou ainda mais. Ela desabafou com a delegada e disse que ele já tinha expulsado ela de casa, porém o policial exigia que a criança ficasse.

Ela só podia sair de casa com autorização e tudo que fazia dentro de casa, desde o simples fato de assistir televisão, precisava de seu consentimento.