Damares Alves diz NÃO para boato sobre saída do Governo! 0 217

damares alves twitter

A atual Ministra Damares Alves, responsável pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, está sob rumores de deixar o Governo de Jair Bolsonaro. A representante da bancada evangélica e alvo de diversos temas polêmicos nos meses de governo realizou uma reunião com o presidente para definir o seu futuro na política.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Segundo informações Damares após realizar um levantamento de seus dias como Ministra, acabou concluindo que o melhor para sua saúde será deixar o cargo, mesmo que isso ainda leve algum tempo, pois anda bem debilitada e irá dedicar os dias fora dos compromissos para recuperar a sua saúde física e mental.

O fardo do Ministério

Após assumir o controle dos Direitos Humanos no dia primeiro de janeiro de 2019, todos os dias tem sido bem estressantes, principalmente após estar a frente de diversos assuntos polêmicos. Além da debilitação na saúde, a ministra relata que está sofrendo duras ameaças de morte, sendo um dos principais objetivos para deixar o governo.

Hoje Damares deixou a sua residência oficial em Brasília e está morando em um hotel, onde pelo bem de sua vida, o endereço faz parte de um sigilo total. A agenda e rotina da ministra também não é seguida a risca, onde sempre sofrem alterações de última hora para evitar o contato com possíveis situações.

Ao circular por Brasília ela depende de uma escolta armada e em sua sala de trabalho um segurança fica de plantão na porta e sempre que necessário outros realizam rondas pelas intermediações do prédio.

Essas constantes ameaças vem sendo um dos fatores principais para que a ministra cogite a saida do governo.

É 100% de certeza de que ela irá sair?

Os rumores são bem grandes sobre sua saída, principalmente pelo fato das ameaças. Mas na manha desta sexta-feira, dia 03 de maio, a ministra acabou divulgando uma nota com a seguinte frase em seu Twitter pessoal:

@DamaresAlves

“…Esclareço que não pedi para deixar o governo. Fico até quando o presidente @jairbolsonaro quiser e Deus me der saúde. E olha, tenho muita. Também estou com muita disposição para ajudar a mudar o país…”

tweet damares alves

Foto divulgação: Twitter.

Há sim a possibilidade de sua saída, mas a ministra tem planos de revisar todos os principais programas de seu Ministério e no que depender de Bolsonaro ela permanece até o fim de seu mandato.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça o Future-se, novo programa do governo para educação 0 123

programa future se governo federal

O programa Future-se foi lançado na última semana pelo Ministério da Educação e tem como prioridade reestruturar o cenário financeiro do ensino superior público no Brasil.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Ele será responsável por ampliar a participação de verbas privadas no orçamento universitário, onde em um primeiro momento contratará apenas organizações sociais (OS) que já estejam qualificadas pelo MEC ou por outros órgãos do governo Federal.

Ao longo dos próximos meses as instituições poderão realizar parcerias PPP’s, ou seja, público/privadas, criando fundos com doações, empréstimo de edifícios e outras propostas que serão avaliadas mediante uma consulta pública antes da adesão.

Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, os alunos não serão obrigados a pagar mensalidades em universidades públicas, respondendo a um rumor que houve nos últimos dias. Segundo ele a regra é válida independentemente da faixa de renda familiar do aluno.

Ele ainda relatou que os momentos de crise fazem com que sejam criadas novas oportunidades, basta aproveita-las para desenvolver, crescer e até mesmo revolucionar.

Programa Future-se

Este lançamento veio para conter um pouco do alarido sobre o contingenciamento de verbas às universidades que foi anunciado pelo governo no último mês de abril. A Andifes, associação representante dos reitores de universidades federais, o contingenciamento deve atingir de 15 a 54% dos recursos nas instituições.

Mas o programa irá permitir que universidades possam:

  • Celebrar contratos de gestão compartilhada do patrimônio imobiliário da universidade e da União. As reitorias poderão fazer PPPs, comodato ou cessão dos prédios e lotes;
  • Criar fundos patrimoniais (endowment), com doações de empresas ou ex-alunos, para financiar pesquisas ou investimentos de longo prazo;
  • Ceder os “naming rights” de campi e edifícios, assim como acontece nos estádios de futebol que levam nomes de bancos ou seguradoras;
  • Criar ações de cultura que possam se inscrever em editais da Lei Rouanet ou outros de fomento.

Consulta pública do MEC

Porém antes de poder participar do programa Future-se, as universidades deverão passar por uma consulta pública do MEC, onde ela será feita através da internet nos próximos 30 dias. O jurídico do ministério ainda está estudando quais deverão ser os pontos aprovados pelo Congresso Nacional, para que o programa esteja funcionando em 100%.

Organizações sociais do Future-se

Inicialmente poderão aderir ao programa as Organizações Sociais que tenham atividades dirigiras as áreas de ensino, pesquisa, proteção, desenvolvimento, inovação, saúde, cultura e preservação do meio ambiente.

BRT do Rio inicia sistema para multar caloteiros 0 97

fiscalizacao contra calote brt rio de janeiro

A partir desta segunda-feira (22/07) o BRT (Bus Rapid Transit) do Rio de Janeiro irá começar uma forte fiscalização nas estações através de máquinas contra calotes. Diversos fiscais espalhados pelas estações do BRT irão pedir o cartão do passageiro (Riocard), onde através de uma leitura na máquina, deverão conferir o último uso do bilhete, identificando passageiros que entraram sem pagar.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A multa para quem estiver aplicando o calote no sistema, desde que identificado pela máquina será de R$ 170.

No Twitter oficial do BRT Rio foi publicado o seguinte tweet:

“… A partir da próxima segunda-feira, 22, máquinas serão utilizadas para fiscalizar a validação do cartão Riocard nas roletas de acesso. A medida é um importante mecanismo para coibir os calotes no BRT…”

Testes finais

Os últimos testes antes da fiscalização começar foram realizados nesta sexta-feira (19/07). Agentes do sistema e guardas municipais saíram em duplas e fizeram a verificação dos bilhetes dos passageiros em busca de calotes nas estações. Eles não ficaram em pontos fixos, surpreendendo ainda mais os passageiros.

Durante a fiscalização “teste” uma pessoa foi identificada sem pagar na estação do Barra Shopping. A multa é gerada no próprio cartão e pode levar o nome para os sistemas de proteção ao crédito.

Outro sistema que vem sendo testado pela BRT Rio é um de monitoramento. Através do Terminal Alvorada, agentes irão verificar por meio de câmeras quais são os passageiros que entram sem pagar, além de verificar a segurança dos equipamentos.

Fiscalização desde outubro

Apesar das fiscalizações do BRT terem sido iniciadas nesta segunda-feira (22/07) a Guarda Municipal do Rio já está fazendo a fiscalização por contra própria contra calotes desde o último mês de outubro de 2018. Todos os dias cerca de 120 agentes circulam nas estações, principalmente nos horários com maior índice de calote.

Até este mês os agentes já aplicaram quase 3300 multas referentes à fiscalização.

Most Popular Topics

Editor Picks