Skip to content

Fim da bossa nova? João Gilberto de Chega de Saudade, faleceu neste sábado

6 de julho de 2019
morre joao gilberto pai bossa nova

É claro que a bossa nova não deve chegar ao fim, afinal a música é uma das artes que nunca morre. Mas neste sábado, dia 06 de julho de 2019, a bossa nova teve uma enorme perda, João Gilberto, um dos fundadores desse estilo musical e autor de um dos mais aclamados sucessos, o álbum “Chega de saudade” de 1959, faleceu em sua residência no Rio de Janeiro.

João Gilberto já estava com 88 anos e a alguns anos sofria com problemas de saúde. Ele deixa João Marcelo Gilberto, que atualmente mora nos Estados Unidos e também Bebel e Luisa, seus filhos.

Marcelo Gilberto chegou a lançar um tweet em seu perfil oficial, dizendo o seguinte:

“… My father has passed. His fight was noble, he tried to maintain dignity in light of losing his sovereignty. I thank my family (my side of the family) for being there for him, and Gustavo for being a true friend to us, and caring for him as one of us. Lastly, I’d like to thank Maria do ceu for being by his side until the end. She was his true friend, and companion…”

“… Meu pai morreu. Sua luta foi nobre, ele tentou manter sua dignidade ao perder sua soberania”, escreveu João Marcelo no Facebook. “Gostaria de agradecer a Maria do Ceu por estar a seu lado no final. Ela foi sua verdadeira amiga e companheira… “

A Bossa Nova perde seu pai

O cantor e violonista baiano, João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, nasceu no dia 10 de junho de 1931 na cidade de Juazeiro, na Bahia. Recém havia completado 88 anos de vida. É considerado um gênio da música popular brasileira, onde em 1961 concluiu a trilogia dos álbuns que apresentaram a bossa nova ao mundo.

O primeiro álbum desse estilo genuinamente brasileiro foi lançado em 1959, com o título de “Chega de Saudade”. Logo em seguida veio “O amor, o sorriso e a flor” de 1960 e fechando essa etapa da carreira o álbum “João Gilberto” de 1961.

O álbum inicial trouxe as composições de Tom Jobim e Vinicius de Morais, apresentadas em um LP por Elizeth Cardoso no mês de abril de 1958. Após estes três lançamentos o artista continuou compondo, fazendo shows e outros discos como “Amoroso”, gravado pela Warner Music nos Estados Unidos em 1977, que também é um sucesso até os dias de hoje pelos amantes do gênero.

Este mesmo disco foi relançado no Brasil, onde celebrou os 60 anos da Bossa Nova, com a presença ilustre do maestro alemão Claus Ogerman.

João Gilberto era tão gênio, que foi um dos maiores influentes do jazz americano no século XX. Ganhou diversos prêmios nos Estados Unidos e Europa, como o próprio Grammy. Isso tudo em uma época onde os Beatles eram os mais queridos da música mundial.