Skip to content

Cruzeiro é investigado por lavagem de dinheiro pela polícia de Minas Gerais

27 de maio de 2019

Mesmo com os títulos das últimas duas edições da Copa do Brasil e de todos os investimentos realizados no clube, o Cruzeiro acumula uma dívida de 500 milhões de reais. Dívidas em clubes é algo comum, muitos sofrem com os altos e baixos das últimas realizações nos principais campeonatos, mas o que vem chamando a atenção, inclusive das autoridades é a suspeita de irregularidades na administração.

O atual presidente do clube é Wagner Pires de Sá, onde já está a frente do Cruzeiro por um ano. Sob indícios de irregularidades a Polícia Civil de Minas Gerais acabou instaurando um inquérito para investigar e apurar denúncias de lavagem de dinheiro, falsificação de documento particular e também de falsidade ideológica.

Nesta investigação já foram ouvidas 15 pessoas, das quais todas contam com um forte envolvimento com o Cruzeiro. Entre eles estão dirigentes, empresas e prestadores de serviços, funcionários e ex-funcionários. A investigação está focada principalmente em transações e pagamentos suspeitas, onde alguns estão superfaturados e outros que não chegaram a nem serem executados.

Quem está a frente do caso é o delegado Domiciano Monteiro, atual chefe da Divisão de Investigação de Fraudes e Crimes contra a Administração Pública.

Cruzeiro

O clube foi procurado por repórteres do Fantástico, que exibiu uma matéria na noite deste domingo, 26/05, mas não obteve respostas inicialmente. Porém o presidente Wagner Pires emitiu uma nota oficial onde relata que um pequeno grupo da oposição do clube está plantando informações falsas juntamente com outros profissionais de reportagem.

Todos os pagamentos feitos pelo Cruzeiro em 2018 estão sendo analisados pela investigação. São contratos, planilhas e outros documentos contábeis que estão sendo avaliados com minuciosidade. Em certos pontos dos documentos há indícios de que o clube burlou as regras do Governo Federal, FIFA e também da CBF no que diz respeito ao Profut, um programa de renegociação de dívidas fiscais com os clubes.

Entre os indícios está um contrato assinado pelo Cruzeiro com um empresário conhecido como Cristiano Richard dos Santos, atual sócio de empresas de equipamentos para proteção individual e também de locação de veículos, assuntos que não estão relacionados com o futebol. Foram emprestados 2 milhões de reais para o clube, dois quais deveriam ser pagos mensalmente, mais a inclusão de juros.