Skip to content

IBGE 2020 – Censo deverá ter somente 76 questões já confirmadas

29 de maio de 2019
censo ibge 2020

Nesta terça-feira, dia 28 de maio de 2019, a presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Susana Cordeiro, Guerra, confirmou a notícia de que a quantidade de perguntas no Censo 2020 será reduzida, para que os valores gastos com a pesquisa fiquem dentro do orçamento previsto.

O Censo Demográfico 2020 terá 32% menos perguntas do que o Censo 2010. O IBGE reduziu de 112 questões referentes ao formulário original, para um total de 76 questões. Com essa redução os custos das pesquisas no próximo ano deve ficar em R$ 2,3 bilhões, um valor 25% menor do que o previsto em orçamento, algo que girava em torno dos R$ 3 bilhões.

Censo 2020

O censo no Brasil é realizado a cada dez anos e chega a todas as regiões do país. Por isso é investido um valor alto para obter as informações, pois é preciso que os pesquisadores do IBGE façam visitas em milhares de domicílios do país, onde devem coletar dados sobre as principais características dos moradores. Entre estas informações estão os níveis de escolaridade, atividades laborais, quantidade de membros familiares, religião, entre outras.

No Brasil o último Censo foi realizado em 2010. O IBGE acredita que desde então a população brasileira tenha aumentado cerca de 10%, alcançando hoje a marca de 213 milhões de habitantes.

Em 2010 o formulário básico, que é feito em todas as residências visitadas, tinha um total de 34 questões. Para 2020 estes formulário terá apenas 25 perguntas. Já o de amostra, que deverá ser aplicado em apenas 10% das residências deverá ter 76 perguntas.

A presidente do IBGE informou que serão 190 mil pesquisadores nas ruas, com a missão de visitar 5570 municípios do Brasil, obtendo informações de cerca de 71 milhões de residências.

Os temas do questionário básico do Censo 2020 já foram divulgados e entre as questões estão:

  • Lista de moradores;
  • Migração interna e internacional;
  • Fecundidade;
  • Identificação étnico-racial;
  • Nupcialidade;
  • Núcleo familiar;
  • Deslocamento para trabalho;
  • Religião ou culto;
  • Deficiência;
  • Características do domicílio;
  • Educação;
  • Deslocamento para estudo;
  • Mortalidade;
  • Trabalho e rendimento.

Em uma estratégia adotada pelo próprio IBGE para reduzir custos, Eduardo Rios Neto, atual diretor de pesquisas do IBGE, cita que a redução das questões não irá dificultar o Censo 2020, pelo contrário a finalidade é montar questões de qualidade nos questionários e não um número alto de questões desnecessárias.

Portanto o Censo 2020 será mais preciso e contará com uma qualidade superior ao Censo 2010.

A redução partiu do próprio IBGE e não do Governo Federal, que apenas estipulou um teto orçamentário para as pesquisas. Segundo a diretoria do Instituto, a redução das questões seriam feitas de qualquer maneira.