Gangue é presa com armas, drogas e eletrodomésticos roubados 0 390

gangue presa com armas

Uma gangue formada por oito adultos e um menor foi presa por volta de 20h50 desta terça-feira, dia 13, em uma residência na rua Rosa Farias Dantas, no bairro Novo Horizonte, em Campina Grande. Os integrantes do grupo foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de armas, formação de quadrilha e receptação.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A policia recebeu uma denúncia anônima dando conta de que integrantes de uma gangue de arrombadores, liderada pelo homem conhecido por “Jegue”, estaria escondida em uma casa no bairro Novo Horizonte. Ao perceberem a aproximação de policiais no local, os integrantes da gangue tentaram fugir do local, mas acabaram sendo presos.

Com os acusados foram encontrados 71 papelotes de maconha, um revólver calibre 38 municiado, uma pistola 765, de fabricação estrangeira e vários eletrodomésticos que foram reconhecidos pelo mototaxista Gilvan do Nascimento, 25 anos, como sendo produtos de um roubo no qual ele foi vítima no dia primeiro deste mês.

Foram autuados em flagrante pelo delegado plantonista Cledson Ferreira Pinto: Josué Albino da Silva, 37 anos, servente; Lindemberg Silva do Nascimento, vulgo “Jegue”, 20 anos, catador de lixo; Militão Pereira da Silva, vulgo “Júnior”, 20 anos, serigrafista; Drailton Andrade Vicente, 27 anos, servente; Maria do Socorro dos Santos, 19 anos, doméstica; Elke Pámela Gadelha, 18 anos, doméstica; Sueli Taveira dos Santos, 19 anos, balconista e Edilma da Silva Pereira, 19 anos, doméstica, além de um menor com 17 anos de idade.

“Jegue” também é acusado de ter matado o catador de lixo José Germano da Silva, 38 anos, no dia 21 de junho último, crime que ele confessou ter cometido, em depoimento ao delegado de Homicídios, Allan Faustino. Com exceção do menor, os acusados serão encaminhados para a casa de detenção do Monte Santo, enquanto as mulheres estarão sendo transferidas para o Presídio Feminino de Campina Grande.

As informações são da Secretaria de Comunicação do Estado.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Funcionários dos Correios entram em greve a partir desta quarta 11/09 0 45

greve geral correios 2019

Os Correios anunciaram na noite desta terça-feira (10/09) que todos os funcionários entraram em greve geral por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (11/09). Esta é a primeira greve de 2019, algo que se tornou “tradição” durante todos os últimos anos.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Foi decidido que haveria greve a partir de assembleias realizadas em praticamente todos os estados do Brasil.

Mesmo diante de uma possível privatização, os funcionários paralisam o sistema postal do Brasil, sob a exigência de melhores salários e benefícios. Há uma proposta para a redução de salários, pois todos os anos a estatal vem amargando prejuízos bilionários para os cofres públicos.

Rio de Janeiro autoriza uso de aplicativo Buser, o Uber do transporte coletivo.

Privatização

Este não será o tema principal da greve, mas é provável que a categoria tente motivar o governo a não tomar esta decisão que acarretaria em milhares de demissões.

Os Correios foram inclusos no programa de privatizações do governo Bolsonaro.

Greve geral dos Correios de 2019

A melhoria, ou seja, o reajuste salarial, é a principal reivindicação dos funcionários dos Correios. Outros objetivos da greve é que o governo reconsidere a retirada de pais e mães nos planos de saúde, bem como melhores condições de trabalho.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), informou através de uma nota que a decisão foi necessária para poder defender os direitos conquistados nos últimos anos, onde através de lutas os trabalhadores conseguiram seus empregos, salários e o sustendo da família.

A greve geral já foi aderida no estado de São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais e Bahia.

A direção dos Correios disse que já se encontrou com os representantes dos trabalhadores (Findect), onde irá apresentar propostas compatíveis com a atual situação da estatal, já que há um prejuízo acumulado em 3 bilhões de reais.

Os impactos da greve não devem afetar todos os campos de entrega.

Greve no Rio de Janeiro

Na capital do Rio de Janeiro, logo pela manhã desta quarta-feira (11/09), havia uma concentração de funcionários dos Correios no Centro de Tratamento de Encomendas em Benfica, na Zona Norte. Foi atravessado caminhões na Rua Leopoldo Bulhões, para impedir a entrada e saída de encomendas.

A polícia militar está no local.

Rio de Janeiro autoriza funcionamento do app Buser, o Uber de Ônibus 0 79

aplicativo buser volta funcionar no rio de janeiro

O aplicativo Buser, conhecido como o Uber de Ônibus, está a um passo de se tornar uma nova opção para os trabalhadores e cidadãos brasileiros que não queiram depender do transporte coletivo.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O Buser hoje enfrenta ao menos oito ações sobre o seu funcionamento, onde entre os estados em que há uma discussão em estágio avançado é o Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e no Paraná.

A empresa oferece bons preços e descontos em viagens de transporte executivo e isso não está sendo visto com bons olhos pelas empresas de transporte coletivo tradicionais, assim como ocorreu a batalha entre os taxistas e o Uber.

Buser no Supremo Tribunal Federal

A questão do Buser poder ou não funcionar já está no Supremo Tribunal Federal (STF), onde diante das últimas decisões, ao menos no Rio de Janeiro, o funcionamento da plataforma foi autorizado pela Justiça Federal.

A Justiça do Rio da um importante passo para fornecer uma alternativa ao transporte público. Foram duas decisões da Justiça Federal do Rio de Janeiro favoráveis ao aplicativo. Porém estas decisões contam com caráter liminar, ou seja, ainda pode haver recurso.

Quem não gostou da liberação foram os sindicatos e associações de transporte coletivo, alegando que o serviço disponibilizado pelo aplicativo interfere diretamente no serviço público prestado pelo Estado.

Porém a explicação da Buser para este quesito é que o seu principal objetivo é conectar o cidadão à empresas de fretamento, que já existem no mercado e não especificamente com o transporte coletivo.

Nokia volta ao mercado com bateria mais durável.

Buser no Brasil

O aplicativo já conta com 300 mil passageiros cadastrados. Suas operações se iniciaram em 2017 e o que mais chama a atenção é que uma viagem contratada através do app, custa no mínimo 50% a menos do que uma passagem em um ônibus leito ou semileito de uma viação tradicional.

Diante da ação movida pelas empresas concorrentes de transporte, a Justiça entendeu que proibir o uso do aplicativo é contra a constituição, que determina a livre iniciativa e a questão da livre concorrência.

A Justiça do Rio também foi contra a ação do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário Intermunicipais do Rio (Sinterj), que pedia o fim do app pois a empresa não prestava um serviço de ida e volta, apenas o trecho contratado no ato da solicitação pelo app.

Hoje as empresas rodoviárias atendem um circuito fechado, onde é oferecido um sistema de transporte com ida e volta dos passageiros.

Most Popular Topics

Editor Picks