Skip to content

Funcionários dos Correios entram em greve a partir desta quarta 11/09

11 de setembro de 2019
greve geral correios 2019

Os Correios anunciaram na noite desta terça-feira (10/09) que todos os funcionários entraram em greve geral por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (11/09). Esta é a primeira greve de 2019, algo que se tornou “tradição” durante todos os últimos anos.

Foi decidido que haveria greve a partir de assembleias realizadas em praticamente todos os estados do Brasil.

Mesmo diante de uma possível privatização, os funcionários paralisam o sistema postal do Brasil, sob a exigência de melhores salários e benefícios. Há uma proposta para a redução de salários, pois todos os anos a estatal vem amargando prejuízos bilionários para os cofres públicos.

Rio de Janeiro autoriza uso de aplicativo Buser, o Uber do transporte coletivo.

Privatização

Este não será o tema principal da greve, mas é provável que a categoria tente motivar o governo a não tomar esta decisão que acarretaria em milhares de demissões.

Os Correios foram inclusos no programa de privatizações do governo Bolsonaro.

Greve geral dos Correios de 2019

A melhoria, ou seja, o reajuste salarial, é a principal reivindicação dos funcionários dos Correios. Outros objetivos da greve é que o governo reconsidere a retirada de pais e mães nos planos de saúde, bem como melhores condições de trabalho.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect), informou através de uma nota que a decisão foi necessária para poder defender os direitos conquistados nos últimos anos, onde através de lutas os trabalhadores conseguiram seus empregos, salários e o sustendo da família.

A greve geral já foi aderida no estado de São Paulo, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins, Minas Gerais e Bahia.

A direção dos Correios disse que já se encontrou com os representantes dos trabalhadores (Findect), onde irá apresentar propostas compatíveis com a atual situação da estatal, já que há um prejuízo acumulado em 3 bilhões de reais.

Os impactos da greve não devem afetar todos os campos de entrega.

Greve no Rio de Janeiro

Na capital do Rio de Janeiro, logo pela manhã desta quarta-feira (11/09), havia uma concentração de funcionários dos Correios no Centro de Tratamento de Encomendas em Benfica, na Zona Norte. Foi atravessado caminhões na Rua Leopoldo Bulhões, para impedir a entrada e saída de encomendas.

A polícia militar está no local.