mst 2011

Representantes do Movimento Sem Terra (MST) de todo o Estado estão acampados na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em João Pessoa, e em três fazendas do interior do Estado desde o final da manhã de ontem. Ao todo, mais de mil famílias estão participando das ocupações, que fazem parte do movimento Abril Vermelho, iniciado no último domingo (10), em todo o Brasil. O movimento reivindica o assentamento das famílias acampadas e a melhoria na infra estrutura das já assentadas.

No Incra, as famílias se acomodaram para a vigília, que deverá durar até o próximo dia 17. Logo na entrada do órgão, mulheres cozinhavam grandes panelas de comida em um fogão a lenha improvisado que encheu todo o ambiente de fumaça. Os corredores foram tomados por colchões onde mulheres e crianças se alimentavam e os saguões que dão acesso às salas foram preenchidos pelas malas e sacolas dos manifestantes, que trouxeram os equipamentos necessários para permanecerem acampados pelo tempo que for necessário.

Além da sede do instituto, três fazendas foram ocupadas no interior do Estado, como informou um dos coordenadores do MST no Estado, Paulo Sérgio Alves. De acordo com ele, 300 famílias estão acampadas em uma propriedade na cidade de Jericó, a 404 quilômetros da Capital, 60 em uma fazenda de Juru (414 km) e outras 50 em uma área localizada na divisa das cidades Bonito de Santa Fé (524 km) e Mauriti, no vizinho Estado do Ceará.

Os principais pontos correspondem à situação dos sem terras no Estado. Eles exigem que o Governo se posicione a respeito das 2.600 famílias que ainda precisam ser assentadas no estado e das 3.200 que já ocupam os 56 assentamentos paraibanos, mas ainda não possuem infraestrutura adequada.

De acordo com o superintendente do Incra/PB, Marcos Faro, a mudança de Governo traz à tona manifestações como essa, já que é preciso conhecer as propostas dos novos líderes a respeito da Reforma Agrária. Segundo ele, as famílias serão recebidas e poderão entregar sua pauta de reivindicações, que será analisada para elaboração de uma proposta concreta. Ontem a tarde, uma reunião foi realizada em Brasília para discutir o tema. “O orçamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário destinado aos assentamentos será debatido, já que a maior parte da verba é destinada a infraestrutura e crédito para produção”, contou.

O Abril Vermelho é um movimento do MST que já existe há 15 anos e leva assentados e acampados a se manifestarem ocupando prédios públicos e propriedades por todo o país. Ele foi desenvolvido para marcar o fato que ficou conhecido como Massacre do Eldorado, quando acampados do Pará interditaram uma rodovia federal e foram alvejados pela Polícia Militar. O episódio deixou cerca de 20 mortos.


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here