Hoje, terça-feira, dia 29 de janeiro, celebra-se o Dia Nacional da Visibilidade Trans. A atriz transgênero Maria Clara Spinelli comenta a respeito das diversas dificuldades que enfrentou e enfrenta enquanto mulher trans e atriz.

Ela foi uma funcionária pública até o ano de 2019. Fez uma participação no filme brasileiro “Quanto dura o amor?” e a partir de então resolveu ser atriz em tempo integral.

“Meu maior sofrimento, depois de tanto tempo de luta, mais de 15 anos de carreira, é as pessoas dizerem que eu sou uma boa atriz, mas para fazer papéis de personagens transgêneros. Se me achassem realmente boa atriz me dariam a chance de fazer testes para diversos tipos de personagens. A carreira de uma atriz no Brasil é muito difícil, eu não recomendo. É uma carreira sofrida”, comenta a atriz.

“O que me deixa mais triste é que não sou chamada para testes. Quero ter a chance de competir e ter as dificuldades de qualquer outra atriz. Se eu fizesse testes para personagens com o meu tipo físico e a minha idade, e eu não conseguisse trabalhos porque a concorrência é muito grande, eu entenderia. Mas me negam o direito de ser testada. Gostaria de continuar com a carreira de atriz, mas não depende só de mim. É uma situação muito triste. É muito solitário e é muito injusto”, disse Maria Clara Spinelli.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here