forca aerea americana bombardeia milia iraquiana

Milícia Iraquiana ameaça Estados Unidos após ataque neste domingo

Os Estados Unidos realizaram ataques aéreos contra uma área em que se encontrava um grupo do Kataib Hezbollah, que são apoiados pelo Irã. Os ataques aconteceram neste domingo (29/12) e logo depois a milícia iraquiana se manifestou sobre o caso e informou que haverá dura reação contra os militares americanos no país.

Os aviões dos EUA atingiram regiões do Iraque e também da Síria, onde acabaram matando ao menos 25 integrantes do grupo que é publicamente apoiado pelo Irã. Estados Unidos e Irã vem vivendo uma guerra nos últimos meses, onde o último a tomar uma atitude mais drástica, foi o Irã quando derrubou um drone americano de milhares de dólares.

Outro motivo recente dos Estados Unidos ter realizado este ataque no domingo, foi a morte de um dos prestadores de serviços civil norte-americano. Ele foi morto logo após um ataque contra a base militar iraquiana na região.

Taj Mahal é evitado por turistas por conta de protestos na Índia.

Mortos e feridos

Segundo as fontes locais, ao menos 25 morreram e outros 55 estão feridos. No total foram três ataques aéreos na região.

O comandante sênior, Jamal Jaafar Ibrahimi, que é conhecido na região como Abu Mahdi al-Mohandes, disse que o sangue dos milicianos não será em vão. Eles prometeram uma reação dura contra as forças americanas no Iraque.

Jamal é o responsável pelas Forças de Mobilização Popular do Iraque (PMF), um grupo de paramilitares que contam com integrantes principalmente das milícias xiitas que são apoiadas pelo Irã. O grupo foi inclusive recentemente integrado às Forças Armadas Iraquianas.

O governo do Irã também se manifestou e disse que os bombardeios feito pelos Estados Unidos são classificados como “terrorismo”.

Estados Unidos

Nesta segunda-feira (30/12), os Estados Unidos reforçou a segurança em Nívive, uma região localizada ao norte do Iraque. Há diversos jatos liderados por Washington, garantindo a segurança do perímetro das bases militares localizadas em Qayarah e Mosul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *