Tsunami em El Salvador! População em alerta 0 55

Tsunami em El Salvador! População em alerta 1

Quinta-feira (30/05) está sendo marcada por desastres naturais nas Américas. No Brasil diversas regiões, principalmente no sul do país amanheceram sob fortes tempestades, colocando toda a população em estado de alerta.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Já na América Central, a região de El Salvador amanheceu a quinta-feira sob um terremoto de 6.6 graus de magnitude, levando as autoridades da região a emitirem um alerta de emergência sobre um eventual risco de tsunami.

O terremoto ocorreu por toda a costa do Pacífico. O Instituto de Geofísica Americano (USGS, sigla em inglês), informou que o epicentro do terremoto ocorreu a 40 quilômetros sentido sul da capital do país, San Salvador. A cidade mais próxima a sentir os efeitos do terremoto foi La Libertad, estando a apenas 27 quilômetros do tremor.

Tsunami em El Salvador

O alerta de Tsunami foi emitido pelas autoridades do Meio Ambiente de El Salvador, através de sua conta oficial no Twitter. O Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais, publicou a seguinte mensagem às 6hs desta manhã:

“Sismo Mag. 6.6 ocurrido a las 3:03 hora local. PTWC emite advertencia de Tsunami para El Salvador.”

Tsunami em El Salvador! População em alerta 2

A indicação das autoridades é que todas as famílias busquem um local seguro e fiquem longe de potenciais regiões de quedas de árvores e descargas elétricas.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A China tem o presidente dos Estados Unidos que merece 0 70

A China tem o presidente dos Estados Unidos que merece 4

O The New York Times publicou uma matéria nesta quarta feira (22/05) onde cita que Donald Trump não é o presidente que os Estados Unidos merece, mas que ele é o presidente americano que certamente a China merece.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A matéria cita que o instinto de Donald Trump é que os Estados Unidos tem a obrigação de reequilibrar a relação comercial com Pequim o quanto antes, para que a China não venha a se tornar grande demais (o que já é) e comprometer todo o comércio nacional. Neste ponto ele está corretíssimo, é preciso defender os ideais nacionais, nem que para isso custe toda sua reputação.

Porém é preciso que tanto os EUA como a China reconheçam este momento. Isso porque os laços comerciais entre o eixo EUA/China vem desde os anos 70, quando um país começou a “ajudar” o outro com relação a matéria prima e exportação de trabalho. Antes desta década cada um tinha o seu comércio e isso dificultava a evolução para ambos os lados.

Mas em 2001 a China ingressou na Organização Mundial do Comércio, o que ajudou ela a ser impulsionada para uma potência comercial, pois além de ampliar o poder de exportação, as regras davam à China diversas concessões ligadas ao desenvolvimento econômico.

Guerra Comercial

Porém chegamos a um ponto onde tanto os EUA como a China estão comercializando mundialmente praticamente as mesmas coisas, com indústrias semelhantes, aquisição de matéria prima, tecnologia e tudo se assemelha muito, mesmo a China tendo uma política nacionalista que acaba dificultando um pouco ainda mais a sua expansão.

A Guerra Comercial que está sendo travada entre as duas potências irá definir como os países irão se portar daqui pra frente, basicamente competindo no mesmo mercado e compartilhando de diversas indústrias. O assunto está tão presente na mídia justamente porque está nas mãos deles o futuro do mundo.

A matéria cita que para que tudo termine bem e seja vantagem para ambos os lados, Donald Trump precisa parar com sua provocação infantil através do Twitter, principalmente quando ele em tom de “superioridade” cita que as batalhas comerciais são fáceis de vencer. Ele precisa também criar o melhor acordo de rebalanceamento, mesmo que ele não seja capaz de zerar os problemas entre ambas as nações.

É preciso seguir em frente, não errar nas negociações e não esticar mais do que se deve esta guerra tarifária.

Do outro lado, Xi Jinping, atual presidente chinês, deverá reconhecer que a China não pode mais desfrutar dos privilégios comerciais dos últimos 40 anos. Saber que já foi feito tudo para poder ajudar a nação e que ela já é uma das principais potências mundiais. É preciso ir com calma com as políticas nacionalistas e parar de achar que porque chegou onde chegou, não existe mais “ladeira à baixo”.

Pequim não pode permitir que os Estados Unidos, indústrias e empresários acabem mudando sua produção de lugar, migrando o que foi construído nos últimos anos para qualquer outro lugar, menos a China.

Ambos os presidentes precisam entender que o comércio bilateral só trás vantagens para ambos os países. Então é preciso pensar bem e resolver o quanto antes essas discussões comerciais.

Trump quer usar fundos do TSA para reforçar fronteira 0 77

trump quer usar fundos do TSA

O Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos está considerando investir mais de US $ 230 milhões da Administração de Segurança de Transporte para financiar operações na fronteira EUA-México se o Congresso não aprovar financiamento adicional, disse uma pessoa informada sobre o assunto. Em outras palavras, Trump quer usar fundos do TSA para reforçar fronteira.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Leia também:

Trump quer usar fundos do TSA para reforçar fronteira com o México

A NBC News informou o plano anteriormente, citando documentos de um plano de contingência para financiar US $ 1,1 bilhão em esforços na fronteira sul. Ou seja, Trump quer usar fundos do TSA para aplicar na fronteira com o México.

O Comitê de Apropriações da Câmara dos Deputados dos EUA disse na terça-feira que não recebeu nenhuma notificação do DHS de que planeja transferir os fundos existentes.

A NBC News informou que a TSA poderia transferir US $ 50 milhões que haviam sido reservados para comprar equipamentos avançados de filtragem de aeroportos e US $ 64 milhões de um fundo de compensação para trabalhadores feridos da TSA.

A Casa Branca, no dia 1º de maio, pediu ao Congresso US $ 4,5 bilhões em fundos de emergência para atender ao crescente número de pessoas que cruzam a fronteira sudoeste com o México.

O porta-voz do DHS, Tyler Houlton, disse em um comunicado que a agência “está considerando todas as opções para enfrentar a crise humanitária e de segurança em nossa fronteira sul. Continuaremos a trabalhar com nossa força de trabalho para encontrar soluções dinâmicas e financiamento para resolver esse problema muito sério ”.

Houlton disse que a agência está explorando “mecanismos fiscais que garantirão a segurança e o bem-estar de nossa força de trabalho e da população migrante, o que também se reflete na solicitação suplementar apresentada ao Congresso”.

A Federação Americana de Funcionários do Governo, o sindicato que representa os trabalhadores da TSA, disse em um comunicado que a transferência de fundos da TSA causaria “outra crise gerada pelo governo Trump”.

“A TSA já está subfinanciada e com falta de pessoal, e desviar seus recursos da mesma maneira que entramos na temporada de viagens mais movimentada será um desastre operacional”, disse o presidente do grupo, J. David Cox Sr.

Ações na fronteira do EUA com o México

Na semana passada, a TSA confirmou que planejava redirecionar a equipe para a fronteira sul dos EUA para ajudar nas tarefas de imigração e nos fluxos de migrantes.

Um porta-voz da TSA disse que a agência estava procurando voluntários para apoiar os esforços na fronteira com o México, onde o governo disse que está enfrentando um número recorde de pessoas.

A equipe da TSA incluirá 175 agentes da lei, incluindo agentes aéreos, e cerca de 400 seguranças de seis cidades norte-americanas, mas não incluirá rastreadores de aeroportos, informou a CNN na semana passada, citando duas fontes adicionais não identificadas.

Os policiais prenderam quase 99 mil pessoas que cruzaram a fronteira com o México em abril, o maior número desde 2007, informou o governo dos EUA no início deste mês. Mais de dois terços deles eram crianças ou pessoas viajando como famílias.

No início deste mês, a Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP) informou que estava enviando mais 186 oficiais do CBP para ajudar os agentes da Patrulha de Fronteira em setores na fronteira sudoeste, depois de mais de 300 funcionários mudarem de aeroportos, pontos de controle da fronteira norte e outros locais.

Most Popular Topics

Editor Picks