Skip to content

Premiê da China se reúne com Khaltmaa Battulga da Mongólia

28 de fevereiro de 2020
encontro premie chines e presidente mongolia

Nesta última quinta-feira (27/02) o premiê chinês, Li Keqiang, se reuniu com o presidente da Mongólia, Khaltmaa Battulga em Pequim. Esta visita demonstra o firme apoio dos mongóis em relação à luta da China contra a nova epidemia de coronavírus e também por toda a amizade ao longo dos últimos anos.

Li disse que a China está pronta para trabalhar em conjunto com a Mongólia, a fim de superar os impactos negativos provenientes do coronavírus, principalmente economicamente. Em breve haverá a retomada gradual de suas cooperações e intercâmbios.

“Após o fim desta epidemia, o relacionamento de nossos países deve criar novas oportunidades de desenvolvimento regional e global”.

O premiê chinês ainda cita que todo o trabalho de prevenção e controle da epidemia vem apresentando mudanças bem significativas, mas reconhece que há ainda um grande trabalho pela frente e que tudo deve ser feito com bastante cautela.

On in Grand Central station Nova York, BTS faz apresentação inesquecível.

Avanços econômicos

Durante a reunião entre as autoridades da China e Mongólia, houve a informação de que a China está avançando em seu trabalho para coordenar a prevenção e controle do desenvolvimento social e econômico. “-Temos a confiança e capacidade para vencer a batalha e abraçar diversas metas sociais e econômicas ainda em 2020”, disse Li Keqiang.

Com relação à saúde pública mundial, a China compartilha todas as informações possíveis com a comunidade internacional. Tudo é feito de maneira transparente e há um grande interesse na cooperação com outros países para colocar um fim a este problema dos últimos meses.

Presidente Mongol

Khaltmaa Battulga disse que admira as medidas que a China vem tomando nos últimos dias e também todos os resultados positivos. E acredita que em pouco tempo o país deve vencer esta batalha.

Ele também expressou toda sua solidariedade ao povo chinês pelas perdas recentes.

“Nós os mongóis estamos dispostos a trabalhar com a China para superar as dificuldades, reforçar a política, ser uma boa vizinhança e também aprofundar a cooperação que trará benefícios para ambos os países hoje e em um futuro próximo.”