casas de judeus na polonia antes da guerra

Judeus sobreviventes do Holocausto ainda sofrem para recuperar casas na Polônia

Já não basta todo o sofrimento vivido durante a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto, diversos judeus sobreviventes, ainda sofrem pois perderam suas casas na Polônia e até hoje não conseguiram recuperá-las.

Uma sobrevivente chamada Lea Evron, que hoje está com 85 anos, é uma destas vítimas. Sua família possuía um prédio de três andares antes da Segunda Guerra Mundial, em uma cidade ao sul da Polônia, chamada de Zywiec.

Suas lembranças da época é este prédio e uma fábrica de produtos de pele no local. Mas algo que está bem vivo é o retorno após a guerra, onde a grande maioria de sua família foi morta durante o Holocausto.

Mas este não é um drama exclusivo de Evron. Milhares de judeus tinham propriedades na Polônia e as mesmas foram confiscadas por nazistas e depois mantidas por governantes comunistas após a guerra.

Cobra no vaso sanitário ataca mulher na Tailândia, confira imagens.

Polônia não dá suporte

De todos os países da União Europeia, a Polônia foi o único que não criou leis de restituição de propriedades aos judeus. Isso que diversas cidades do país contavam com as maiores comunidades do mundo antes da guerra.

Além da falta de leis, preconceitos que vivem até os dias de hoje, muitos dos judeus com propriedades na Polônia tiveram os documentos comprobatórios destruídos durante a guerra, o que dificulta ainda mais a grande maioria dos casos.

Judeus pressionam a Polônia

No próximo dia 27 de janeiro, acontece o 75º aniversário da libertação de Auschwitz, o principal campo de concentração e extermínio da era nazista.

Para o povo judeu, chegou a hora da Polônia criar leis realmente eficazes e que contribuam para o acesso de seus donos a estes imóveis.

O marido de Lea Evron, Jehuda Evron, que atualmente está com 88 anos, disse que os sobreviventes do Holocausto não deveriam mais sofrer, principalmente com relação a direitos que são seus. Mas não é isso o que acontece e muitos estão morrendo sem qualquer justiça do governo Polonês.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *