Emissões chinesas de gases de efeito estufa dispararam 50% no período 2005-2014 0 154

Emissões chinesas de gases de efeito estufa dispararam 50% no período 2005-2014 1

As emissões de gases do efeito estufa da China atingiram 12,3 bilhões de toneladas em 2014, representando um aumento de 53,5% em apenas uma década, disse o Ministério do Meio Ambiente nesta segunda-feira, que usou dados do último “inventário”. de dióxido de carbono do país apresentado às Nações Unidas.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A emissão de carbono na China

Os dados de emissões de carbono da China são extraordinariamente opacos, mas como signatária da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança Climática, Pequim é obrigada a enviar um inventário oficial às Nações Unidas periodicamente. Ele já publicou números para 2005 e 2010.

Como o maior produtor mundial de gases do efeito estufa, a China aspira a ter seu pico total de emissões “por volta de 2030”, embora também tenha prometido mostrar “o máximo possível de ambição” ao revisar seus objetivos no ano que vem. .

O número de 2014, baseado nos cálculos mais recentes do governo chinês, inclui as emissões de gases de efeito estufa da China, como dióxido de carbono e metano, mas não inclui ajustes baseados em mudanças no uso da terra ou aumento na cobertura florestal.

O Ministério do Meio Ambiente disse que se o impacto das florestas e outros “sumidouros de carbono” – depósitos naturais ou artificiais que absorvem dióxido de carbono da atmosfera – fossem levados em conta, as emissões totais teriam sido de 11.186 milhões. toneladas em 2014, o que representa um aumento de 17% em relação a 2010.

As emissões líquidas totais dos Estados Unidos foram estimadas em 5.740 milhões de toneladas de CO2 equivalente em 2017, 0.5% menos que no ano anterior, segundo a Agência de Proteção Ambiental do país.

Um estudo publicado pela revista Nature Geoscience no ano passado estimou que o total de emissões da China atingiu um recorde de 9,530 milhões de toneladas em 2013 e depois declinou nos três anos seguintes.

A diminuição do CO2 entre 2014 e 2016 deveu-se à diminuição do consumo de energia, mas desde então se recuperou.

Níveis recorde de produção em setores intensivos em dióxido de carbono, como o aço, podem significar que as emissões de CO2 continuam a subir e que este ano eles alcançam novos recordes, disse a organização ambientalista Greenpeace.

Fonte:Reuters Latin America

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Taj Mahal é evitado por turistas por conta de protestos na Índia 0 99

taj mahal deve ser evitado por turistas

A Índia vem vivendo dias tenebrosos por conta dos protestos violentos que vem acontecendo em diversos pontos do país. O motivo de tais protestos é em razão da nova lei de cidadania, onde a grande maioria da população não vem aceitando bem as mudanças.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

E por este motivo, milhares de turistas vem evitando o Taj Mahal e diversos outros pontos turísticos da Índia. Muitos estão desistindo das viagens e há países que estão emitindo alertas para que os seus cidadãos não façam viagens para a principais cidades da região.

Cancelamentos

Mais de 200 mil turistas internacionais e também da própria Índia cancelaram ou adiaram as suas viagens nos últimos dias. O principal afetado é justamente uma das atrações turísticas mais populares do mundo, o Taj Mahal.

Cerca de 60% menos turistas visitaram a região em dezembro. É um número muito discrepante em relação a dezembro de 2018.

O Taj Mahal que data do século 17, fica em Uttar Pradesh, um estado ao norte da Índia, onde o número de mortes e explosões violentas por conta dos protestos, foi o maior.

A lindíssima construção de mármore é responsável por atrair cerca de 6,5 milhões de turistas todos os anos. Mais de 14 milhões de dólares são gerados para a economia local, só com ingressos. Quem for visitar o monumento, paga cerca de 15 dólares para entrar (1.100 rúpias).

A Índia já vive um momento de desaceleração da economia, onde o crescimento ficou em 4,5% o menor dos últimos seis anos. E segundo donos de hotéis e pousadas de luxo próximos ao Taj Mahal, o cancelamento na última hora neste período de festas, tem minado ainda mais o crescimento econômico da região.

Irã bloqueia internet do país para evitar novos protestos.

Protestos

Pelo menos 25 pessoas morreram durante os protestos. Policiais e manifestantes se enfrentam nas ruas, por conta da mudança na lei de cidadania.

Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, Israel, Singapura, Canadá e Taiwan estão emitindo alertas para que seus cidadãos evitem visitar as mais variadas regiões da Índia por conta da onda de protestos.

Novembro foi o melhor mês para as indústrias da China 0 74

producao china industria melhora economia novembro 2019

Novembro registrou o maior crescimento nos lucros das indústrias chinesas dos últimos oito meses. A notícia é excelente para a China e também para a economia mundial, já que o país pretende ampliar ainda mais as importações nos próximos meses.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Porém mesmo diante do ritmo acelerado, o país vive uma crise em decorrência da demanda doméstica, oferecendo diversos riscos para os resultados de 2020.

Manifestantes de Hong Kong invadem shoppings nesta quinta-feira.

Indústria chinesa

A área industrial da China vem enfrentando em 2019 uma forte pressão, principalmente pela falta de demanda e também pela guerra comercial instaurada pelos Estados Unidos.

Os dados dos últimos meses na indústria vem sendo animador e há uma boa possibilidade de recuperação no setor, onde o governo vem investindo muito em aceleração de medidas de estímulo e outros benefícios para aquecer a economia.

Até novembro o acumulado geral deste ano de 2019 registrou uma queda de 2,1% no lucro das empresas com relação ao mesmo período de 2018. O número é um pouco melhor do que os 2,9% de queda no acumulado de janeiro a outubro de 2019.

Até o momento a economia chinesa no setor industrial girou 5,61 trilhões de iuanes.

Lucros de novembro

Em novembro os lucros na indústria cresceram cerca de 5,4% em relação ao mês de outubro, que vinha de uma queda de 9,9%. A alta interrompe três meses de queda, fechando o balanço anual até o momento em 84,93 bilhões de dólares.

As ações na produção vem encaminhando para melhora na economia, principalmente nas vendas. Todas as informações foram divulgadas pelo Escritório Nacional de Estatísticas nesta sexta-feira (27/12).

Dezembro deve repetir o bom desempenho, já que é um mês de compras e a produção nacional acaba exportando muito para suprir a demanda mundial.

Most Popular Topics

Editor Picks