Brasil busca a aprovação chinesa para cana geneticamente modificada 0 165

aprovação chinesa para cana geneticamente modificada

A ministra da Agricultura do Brasil terá uma reunião na quinta-feira a fim de buscar a aprovação chinesa para cana geneticamente modificada, que deverá ser amplamente usada no Brasil nos próximos anos.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Ministra da agricultura dialogará para obtenção da aprovação chinesa para cana geneticamente modificada

aprovação chinesa para cana geneticamente modificada
Reprodução/Cana Online

A ministra Tereza Cristina Dias disse à Reuters em Pequim nesta quarta-feira, em sua primeira visita ao maior comprador de produtos agrícolas do Brasil, que levantaria a questão dos transgênicos durante uma visita à Administração Geral das Alfândegas da China na quinta-feira. Em outras palavras, ele debaterá com autoridades para conseguir aprovação chinesa para cana geneticamente modificada.

+Donald Trump propõe plano meritocrático para imigração nos EUA.

As autoridades brasileiras argumentaran que o açúcar não tem traços de genes modificados depois que a cana GM é processada, semelhante ao óleo de soja feito de soja transgênica.

“Exportamos açúcar e exportamos açúcar produzido a partir de cana transgênica. O açúcar em si não é geneticamente modificado, então vamos explicar sobre o processo científico e explicar por que o açúcar não deve ser considerado pela ciência como um produto transgênico ”, disse Dias à Reuters por meio de um tradutor.

+Forças de segurança paquistanesas vasculharam hotel após ataque fatal em Gwadar.

O CTC (Centro de Tecnologia de Cana) do Brasil desenvolveu a variedade de cana GM que é resistente à broca da cana, o que poderia reduzir os custos com pesticidas.

As usinas do maior exportador de açúcar do mundo já estão testando a variedade.

O governo do Brasil aprovou o uso comercial de cana GM, e a Food and Drug Administration dos EUA determinou que é seguro consumir açúcar produzido a partir dessa cana.

+35 corpos encontrados enterrados ao redor da cidade de Guadalajara.

“A produção dessas variedades aumentará muito no Brasil, então é algo que precisamos discutir”, disse Dias.

As relações comerciais com a China e a exportação de cana

A China tem sido lenta na aprovação de alimentos geneticamente modificados em geral. No mês passado, um funcionário do Ministério da Agricultura do Brasil reclamou que as aprovações chinesas levam de cinco a seis anos, em comparação aos 240 dias de 2010.

A ministra disse que também levantaria a questão de 79 frigoríficos buscando aprovação para exportar carne bovina, aves, suínos e outras carnes para a China. Apenas 10 deles foram inspecionados por oficiais chineses de qualidade de alimentos até o momento.

“Uma coisa que vamos discutir é se é necessário visitar todas as plantas ou se elas podem selecionar uma amostra”, disse Dias.

Ela acrescentou que o ministério estava construindo um novo relacionamento com a administração alfandegária da China, que só recentemente assumiu o papel de aprovar as importações depois de uma mudança do governo chinês.

O Brasil é um dos poucos países capazes de suprir a China com quantidades significativas de carne quando experimenta uma grande queda na produção de carne suína esperada para o final deste ano devido ao surto de peste suína africana, disse Dias.

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

STF manda abastecer navio do Irã mesmo contra vontade da Petrobras 0 82

bavand navio iraniano

Após os problemas com os Estados Unidos e Reino Unido, a Petrobras estava barrando o abastecimento do navio iraniano Termeh, que deveria sair durante esta semana do Porto de Paranaguá, no litoral paranaense totalmente abastecido para retornar ao seu país de origem, o Irã.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Mas neste sábado (27/07) a mando do Supremo Tribunal Federal (STF), Termeh e outro navio iraniano, o Bavand, a Petrobras teve que iniciar o abastecimento ainda na madrugada. A fornecedora havia recusado o abastecimento por que temia uma repressão americana, levando em consideração os últimos problemas com o país árabe.

Termeh foi abastecido e já a partir das 13h seguia rumo ao litoral catarinense, quando deve finalmente seguir viagem para o Irã. Já Bavand deve seguir viagem ainda nesta madrugada de sábado para domingo.

A decisão partiu de Dias Toffoli, o presidente do STF, que já havia resolvido o caso na última quarta-feira (24/07), mas somente neste final de semana os navios iranianos começaram o abastecimento.

Termeh e Bavand

MV Bavand, petroleiro do Irã, seguirá viagem para o porto de Bandar Iman Khomeini (IRBIK). Ele chegou no porto de Paranaguá no último dia 08 de junho, onde foi carregado com 48 mil toneladas de milho e cerca de 1,3 mil toneladas de combustível para o Irã. A viagem até Bandar deve durar 37 dias.

Termeh estava no porto paranaense desde o último dia 09 de junho, onde carregará 600 toneladas de combustível e aproximadamente 60 mil toneladas de milho. Antes de seguir até Bandar, ele passará pelo Porto de Imbituba em Santa Catarina.

Programação de abastecimento

A empresa responsável por efetuar o abastecimento dos navios, que é uma terceirizada da Petrobras, disse que Bavand e Termeh estão sob a agenda da agência marítima e precisaram esperar na fila do porto para o abastecimento.

Neste ano ao todo seis navios estrangeiros passaram por Paranaguá apenas para abastecer o combustível fornecido pela Petrobras. Eles seguiram viagem para os seus países de origem que eram além do Irã, também a Dinamarca, Libéria e Bahamas.

O bloco em favor da reforma da Constituição não atinge a maioria necessária no Senado japonês 0 35

O bloco em favor da reforma da Constituição não atinge a maioria necessária no Senado japonês 6

O bloco governista do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, obteve uma maioria sólida nas eleições para a Câmara Alta no domingo, mas sua coalizão e seus aliados não alcançaram a maioria de dois terços necessária para começar a reformar a constituição pacifista, disse no canal de Televisão NHK.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A derrota governista

Abe, que tomou posse em dezembro de 2012 com o compromisso de revitalizar a economia e fortalecer os serviços de defesa, está a caminho de se tornar o primeiro-ministro do Japão com mais anos no cargo, se permanecer no poder até novembro. que é uma ressurreição impressionante depois de terminar o seu primeiro mandato de um ano em 2007.

No entanto, a participação caiu pela primeira vez em 50% nas eleições nacionais desde 1995, um sinal de que muitos eleitores não sentem que têm uma opção atraente. Este seria o segundo nível mais baixo desde que os registros começaram após a Segunda Guerra Mundial, disse o governo.

O Partido Liberal Democrático (PLD) de Abe e seu sócio menor, o partido Komeito, conquistaram 71 dos 124 assentos que são disputados na Câmara Alta do Parlamento, nos quais há 245 assentos, mostrou a NHK.

No entanto, a NHK disse que o bloco dominante e seus aliados não alcançaram os 85 assentos necessários para manter a “super maioria” de dois terços necessária para começar a rever o artigo 9 da constituição pacifista, a fim de legitimar ainda mais as forças. armado, uma medida muito controversa.

Abe disse que o tamanho da vitória mostra que os eleitores querem discutir a mudança da Magna Carta pela primeira vez desde sua promulgação após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial.

“É claro que não podemos dar o momento certo por garantido, mas eu gostaria de alcançá-lo (reforma constitucional) de alguma forma durante o meu mandato”, disse Abe na televisão no domingo à noite. Seu mandato como presidente do PLD se estende até setembro de 2021.

Mudar a constituição seria um passo de grande valor simbólico, que destacaria a distância que o país está experimentando em relação ao pacifismo pós-guerra.

O Artigo 9, se tomado literalmente, proíbe a manutenção de um exército, mas foi estendido para permitir às forças armadas acusadas de autodefesa.

Sem uma maioria de dois terços, Abe provavelmente tentará atrair outros parlamentares da oposição para apoiar sua proposta de consagrar os militares à constituição, mas a tentativa pode ser complexa em face das eleições para a Câmara dos Deputados, que serão realizadas em em algum momento nos próximos dois anos.

Fonte:Reuters Latin America

 

Most Popular Topics

Editor Picks