aprovação chinesa para cana geneticamente modificada

Brasil busca a aprovação chinesa para cana geneticamente modificada

A ministra da Agricultura do Brasil terá uma reunião na quinta-feira a fim de buscar a aprovação chinesa para cana geneticamente modificada, que deverá ser amplamente usada no Brasil nos próximos anos.

Ministra da agricultura dialogará para obtenção da aprovação chinesa para cana geneticamente modificada

aprovação chinesa para cana geneticamente modificada
Reprodução/Cana Online

A ministra Tereza Cristina Dias disse à Reuters em Pequim nesta quarta-feira, em sua primeira visita ao maior comprador de produtos agrícolas do Brasil, que levantaria a questão dos transgênicos durante uma visita à Administração Geral das Alfândegas da China na quinta-feira. Em outras palavras, ele debaterá com autoridades para conseguir aprovação chinesa para cana geneticamente modificada.

+Donald Trump propõe plano meritocrático para imigração nos EUA.

As autoridades brasileiras argumentaran que o açúcar não tem traços de genes modificados depois que a cana GM é processada, semelhante ao óleo de soja feito de soja transgênica.

“Exportamos açúcar e exportamos açúcar produzido a partir de cana transgênica. O açúcar em si não é geneticamente modificado, então vamos explicar sobre o processo científico e explicar por que o açúcar não deve ser considerado pela ciência como um produto transgênico ”, disse Dias à Reuters por meio de um tradutor.

+Forças de segurança paquistanesas vasculharam hotel após ataque fatal em Gwadar.

O CTC (Centro de Tecnologia de Cana) do Brasil desenvolveu a variedade de cana GM que é resistente à broca da cana, o que poderia reduzir os custos com pesticidas.

As usinas do maior exportador de açúcar do mundo já estão testando a variedade.

O governo do Brasil aprovou o uso comercial de cana GM, e a Food and Drug Administration dos EUA determinou que é seguro consumir açúcar produzido a partir dessa cana.

+35 corpos encontrados enterrados ao redor da cidade de Guadalajara.

“A produção dessas variedades aumentará muito no Brasil, então é algo que precisamos discutir”, disse Dias.

As relações comerciais com a China e a exportação de cana

A China tem sido lenta na aprovação de alimentos geneticamente modificados em geral. No mês passado, um funcionário do Ministério da Agricultura do Brasil reclamou que as aprovações chinesas levam de cinco a seis anos, em comparação aos 240 dias de 2010.

A ministra disse que também levantaria a questão de 79 frigoríficos buscando aprovação para exportar carne bovina, aves, suínos e outras carnes para a China. Apenas 10 deles foram inspecionados por oficiais chineses de qualidade de alimentos até o momento.

“Uma coisa que vamos discutir é se é necessário visitar todas as plantas ou se elas podem selecionar uma amostra”, disse Dias.

Ela acrescentou que o ministério estava construindo um novo relacionamento com a administração alfandegária da China, que só recentemente assumiu o papel de aprovar as importações depois de uma mudança do governo chinês.

O Brasil é um dos poucos países capazes de suprir a China com quantidades significativas de carne quando experimenta uma grande queda na produção de carne suína esperada para o final deste ano devido ao surto de peste suína africana, disse Dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *