China vai relaxar restrições de residência, apoiar o emprego 0 112

China vai relaxar restrições de residência, apoiar o emprego 2

A China relaxará as restrições de residência em cidades menores e apoiará o emprego em áreas rurais e pequenas empresas, disse o Ministério de Recursos Humanos e Seguridade Social, em um novo ímpeto para reavivar o crescimento econômico.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Incentivo chinês ao emprego

O governo vai remover as restrições sobre as cobiçadas autorizações de registro em casa para graduados em cidades menores, chamadas de nível inferior, disse a carteira em um comunicado na sexta-feira.

Essas autorizações, conhecidas como “hukou”, têm sido usadas para controlar a migração interna na China por muitos anos. Sem um, um morador da cidade não tem acesso a muitos serviços públicos, como educação e atendimento médico, em outra cidade.

Essas restrições têm sido frequentemente listadas como responsáveis ​​por imigrantes que acabam vivendo à margem da sociedade nas cidades da China.

O governo também apoiará o emprego em áreas rurais e pequenas empresas, simplificando o processo de contratação e oferecendo subsídios de seguro, de acordo com a declaração de 3 de julho.

Ele vai apoiar os graduados da universidade para realizar negócios, acrescentou o comunicado.

Uma pesquisa oficial realizada em junho mostrou que as fábricas estão cortando empregos no ritmo mais rápido desde a crise global, uma das principais preocupações de Pequim.

Fonte:Reuters Latin America

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abu Bakr al-Baghdadi líder do Estado Islâmico comete suicídio após ação dos EUA 0 128

abu bakr al baghdadi se mata morre estados unidos

Abu Bakr al-Baghdadi é morto e notícia pode trazer preocupações para outros países da região e do mundo. A morte de seu líder supremo foi confirmada pelo próprio Estado Islâmico através de um jornal local chamado Amaq.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

A confirmação ocorreu na tarde desta quinta-feira (31/10), através de um áudio divulgado logo após um ataque dos Estados Unidos na região, que inclusive foi o responsável pela morte do muçulmano.

Baghdadi era um iraquiano do jihad, que acabou se declarando “califa” (líder) de todos os muçulmanos através do Estado Islâmico no mundo todo.

Cigarro eletrônico mata 7 e propaga 530 doenças nos Estados Unidos.

Donald Trump

O portador de novas através da internet foi o presidente norte-americano, Donald Trump. Ele já havia informado que forças especiais dos EUA estavam em missão no noroeste da Síria e que o resultado seria surpreendente a todos.

Além de Baghdadi que foi morto em Idlib, seu porta-voz Abu al-Hassan al-Muhajir, também teve a sua morte confirmada.

O líder do EI acabou cometendo suicídio quando foi encurralado pelas forças especiais, matando três de seus filhos, logo após explodir um colete fixado ao seu corpo, cheio de explosivos.

Novo líder já foi nomeado

Mas como o Estado Islâmico se tornou um grupo radical de suma importância para os muçulmanos, já há um novo líder eleito. O grupo além de confirmar a morte de Baghdadi, já escolheu Abu Ibrahim al-Hashemi al-Quraishi para continuar os “negócios” pelo oriente.

O EI já controlou diversas regiões pela Síria e Iraque entre 2014 e 2017 e conta com diversos adeptos pelo mundo. O avanço da tecnologia permitiu que o grupo se ramificasse em outras regiões, promovendo o ódio contra as culturas mais modernas, principalmente contra cristãos.

 

Eleição no Reino Unido em 12 de dezembro é aprovada no parlamento 0 103

parlamento britanico novas eleicoes 12 dezembro

Acabou de ser aprovada pelos parlamentares britânicos a antecipação das eleições no país, marcada já para o próximo dia 12 de dezembro. Esta será uma eleição geral no Reino Unido, uma proposta de Boris Johnson, o primeiro-ministro britânico.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Esta foi a solução encontrada para colocar a gestão inglesa em ordem, onde neste ano a primeira-ministra, Theresa May, acabou deixando o seu cargo no dia 24 de maio, diante dos fracassos no caso do Brexit.

Cuba é o próximo alvo das sanções dos Estados Unidos.

Parlamento Britânico

Os parlamentares da Câmara dos Comuns na Inglaterra, fizeram uma votação para a realização das eleições nacionais no próximo dia 12, onde a vitória foi esmagadora, sendo aprovada por 438 votos à favor e 20 contra.

Mas apesar de aprovada, a proposta deve seguir para a câmara alta do Parlamento, que deve analisar melhor o caso e chegar a uma conclusão final. Mas muitos já acreditam que realmente haverá uma votação ainda em 2019 para eleger o novo (a) primeiro-ministro.

Most Popular Topics

Editor Picks