Trump afirma não ter pressa em fazer acordo com a China 0 274

acordo com a china guerra comercial

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na sexta-feira que não tem pressa em assinar um acordo com a China, enquanto Washington impõe um novo conjunto de tarifas sobre os produtos chineses e negociadores começaram um segundo dia de negociações para tentar salvar um acordo.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O potencial acordo com a China é protelado

acordo com a china guerra comercial

Na sexta-feira, os Estados Unidos elevaram suas tarifas de US $ 200 bilhões em bens chineses para 10%, de 10%, o que já preocupava a guerra comercial de 10 meses entre as duas maiores economias do mundo. Nesse sentido, um acordo com a China está cada vez mais longe.

Leia também:Três conchadas de galinha:menino do áudio viral comenta o caso.

A medida, que deve levar à retaliação chinesa, entrou em vigor apenas algumas horas antes do representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e do vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, iniciarem um segundo dia de negociações em Washington.

Leia também:MC Mirella é investigada pelo MPF por tráfico internacional de crianças.

Liu foi visto saindo do escritório do representante comercial dos EUA perto do meio-dia e não ficou imediatamente claro se isso sinalizava o fim da atual rodada de negociações para a obtenção de um acordo com a China.

A postura de Trump

Em uma série de tweets matutinos, Trump defendeu o aumento da tarifa e disse que estava “absolutamente sem pressa” para finalizar um acordo, acrescentando que a economia dos EUA ganharia mais com as contribuições do que com qualquer acordo.

Leia também:Dia do Trabalho:conheça as origens da celebração do 1º de maio.

“As tarifas trarão MAIOR riqueza para o nosso país do que até mesmo um negócio fenomenal do tipo tradicional”, disse Trump em um dos tweets.

Apesar da insistência de Trump de que a China absorverá o custo das tarifas, as empresas dos EUA vão pagá-las e, provavelmente, repassá-las aos consumidores. Os gastos do consumidor respondem por mais de dois terços da atividade econômica dos EUA.

As ações globais, que caíram nesta semana com o aumento das tensões entre os EUA e a China, sofreram nova pressão na sexta-feira. Os principais índices de ações dos EUA caíram mais de 1% e os preços da dívida do governo dos EUA aumentaram. O dólar americano escorregou contra uma cesta de moedas.

Trump, que adotou políticas protecionistas como parte de sua agenda “América Primeiro” e criticou a China por práticas comerciais que ele rotulou injustas, disse que as negociações comerciais, que deveriam terminar na sexta-feira, podem se arrastar para além desta semana.

“Continuaremos a negociar com a China na esperança de que eles não tentem novamente refazer o acordo”, disse Trump, que acusou Pequim de renegar os compromissos assumidos durante meses de negociações.

Após o aumento das tarifas dos EUA, o Ministério do Comércio da China disse que tomaria contramedidas, mas não deu mais detalhes.

A China respondeu às tarifas de Trump no ano passado com impostos sobre uma série de produtos norte-americanos, incluindo soja e carne de porco, que prejudicaram os agricultores dos EUA em um momento em que sua dívida atingiu seu mais alto nível em décadas.

O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, disse na sexta-feira que Trump lhe pediu para criar um plano para apoiar os agricultores. O Departamento de Agricultura dos EUA já lançou US $ 12 bilhões para ajudar a compensar as perdas relacionadas aos agricultores chineses.

Fonte:Reuters.

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Primeira mulher a pisar em Marte pode ser Alyssa Carson 0 161

Alyssa Carson primeira mulher em marte

A primeira mulher que pode pisar em Marte já tem nome, é Alyssa Carson. A jovem americana de 18 anos é uma das fortes candidatas a explorar pessoalmente o planeta vermelho através do programa espacial da NASA.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Ela é uma das mais jovens a obter o treinamento e certificação para realizar experiências espaciais. Ela que esteve recentemente no Brasil, disse que já está se preparando para realizar seu maior sonho, pisar em Marte até 2033.

Innovation Lab

A jovem americana veio palestrar no evento de conhecimento Experience Club, através do Innovation Lab. Durante seu discurso ela disse que já está realizando seu planejamento a longo prazo e que o seu interesse pelo espaço veio de forma natural, já que ninguém da família é do meio científico.

Ela conta que aos 15 anos já iniciou a dedicação ao seu sonho. Durante as férias de verão ela participou de acampamentos científicos. Depois aos 16 já era formada na Advanced Space Academy, um importante programa de treinamento da Nasa para astronautas.

Então ao chegar em 2019 com 18 anos, ela está dedicando seus dias a construir um currículo que seja capaz de entrar no programa de treinamento oficial da Nasa. Ela vem estudando astrobiologia na Florida Institute of Technology.

Seu objetivo principal de vida é integrar a missão para o Planeta Vermelho, que está sendo projetada pela Nasa e que deve acontecer até 2033. A viagem e a missão devem durar cerca de 3 anos e este será um grande passo para a humanidade, assim como pouso na lua.

Dedicação para chegar em Marte

Se preparar para a missão em Marte é um dos pontos mais difíceis segundo Alyssa Carsson. Ela disse que é preciso ter um currículo muito forte, com uma graduação exemplar em STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), além de muita experiência no ramo.

Hoje ela se dedica a horas de treino através do projeto PoSSUM, onde é responsável por estudar camadas superiores da atmosfera de Marte e também algumas pesquisas astronáutica.

Mas o sonho de Alyssa não é fácil, pois além dos estudos, a concorrência para participar de um dos programas da Nasa é extremamente acirrada. Hoje já são mais de 18 mil inscritos e o programa deve escolher apenas 12 deles.

A jovem se diz preocupada com o exame físico, onde além do preparo, a Nasa irá avaliar todos os danos que uma viagem espacial poderá causar ao seu corpo. Hoje grande parte dos candidatos contam com vivências na área militar. Mas é bem provável que ao longo dos próximos anos a prioridade seja treinar cientistas, que deverão coletar dados sobre o planeta vermelho e o seu meio ambiente.

Pele humana será fabricada em laboratório brasileiro.

Possível colonização de Marte

Todos os estudos tem como objetivo entender melhor como irá funcionar uma possível colonização de Marte.

Alyssa explica que a viagem de ida deve durar ao menos 6 meses. Depois o tempo de permanência no planeta vermelho deverá ser de 18 meses e o retorno mais nove meses. Mas nesta primeira viagem, o objetivo principal deverá ser entender como funciona o meio ambiente e trazer o máximo de informações possíveis de volta para a Terra.

Ela disse que se fosse necessário ficar para sempre por lá, não teria problema nenhum, pois se trata de um projeto muito maior do que ela.

Último parente vivo de Hitler é preso por pedofilia 0 198

romano lukas hitler preso pedofilia

O último parente vivo de Adolf Hitler, pelo menos é o que diz Romano Lukas Hitler, foi preso por pedofilia nesta quinta-feira (05/09), após beijar uma adolescente de 13 anos. Ele que mora na cidade de Goerlitz na Alemanha, tem 69 anos.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Tudo começou quando Romano Lukas foi até uma residência onde o dono era responsável por vender objetos usados. Mas Lukas não tinha interesse nos objetos, apenas na filha do trabalhador.

O beijo foi dado nas bochechas e no pescoço da garota, após alguns dias levando doces, roupas e outros presentes até a sua casa. Segundo o pai, Piotr, Lukas Hitler chegou a levar flores de plástico e pedir a moça em casamento. Logo após os beijos ele foi denunciado à polícia por pedofilia.

Durante seu depoimento no tribunal, o parente de Hitler se defendeu dizendo que era um beijo inofensivo e que este era um costume alemão de “boas vindas”. Mas o juiz responsável pelo caso não levou em consideração e condenou o réu. Ele teve que pagar uma multa de 800 euros e está em liberdade.

O juiz decidiu que ele não poderá também se aproximar da adolescente.

Último parente vivo do nazista Hitler

Romano Lukas de Goerlitz, diz que o pai de Adolf Hitler, Alois, teve um irmão mais novo, onde o seu neto acabou migrando para a Eslováquia após o fim da Segunda Guerra Mundial. Esse neto é o seu pai, que veio a falecer e Lukas foi encaminhado para um monastério e depois adotado por uma família polonesa.

O alemão Hitler diz não se incomodar com o sobrenome, onde o mesmo se encontra na sua carteira de identidade, cartões de crédito e até no passaporte. Sua maior dificuldade com isso é na hora de procurar emprego, pois acaba gerando um certo “temor”. Mas ele diz que esta é uma “cruz que precisa carregar”.

Most Popular Topics

Editor Picks