Governo da Nova Zelândia irá doar 100 mil dólares para Southland 0 41

southland otago nova zelandia

Diante das catástrofes que atingiram a região de Southland na Nova Zelândia, o Governo disse que fará uma doação de 100 mil dólares neozelandeses, cerca de 64 mil dólares americanos, para o Mayoral Relief Fund, responsável por estar à frente do apoio as comunidades que vem sofrendo com as inundações em Southland.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Além do anúncio do apoio à região, o ministro da Defesa Civil, Peeni Henare, disse nesta sexta-feira (07/02) que as inundações desta última semana causaram prejuízos bem significativos nas mais variadas comunidades locais.

“O clima severo desta semana e as subsequentes inundações afetaram os meios de subsistência das pessoas, levaram à evacuação de comunidades inteiras, encalharam viajantes e turistas e danificaram propriedades”

“Eu sei que este será um período difícil para muitas pessoas, mas foi ótimo que as pessoas tomassem medidas para manter a si e suas famílias em segurança e escutassem os conselhos oficiais”

Estas foram a palavras do Ministro durante o seu discurso e ainda agradeceu a todos os amigos e vizinhos que ajudaram os prejudicados em um bonito ato de um cuidando do outro.

China deve tomar mais medidas para garantir suprimentos no controle de epidemias.

Ajuda financeira

Peeni Henare ainda disse que a assistência financeira proposta pelo governo irá ajudar as comunidades que foram afetadas pelas enchentes em um processo de recuperação. Mas os fundos do auxílio Mayoral, são apenas uma maneira adicional de ajudar o povo local para se reerguer após o fim das inundações.

Todos os outros serviços de emergências e outras instituições ficaram contentes com o apoio do governo. Entre um que está mais trabalhando nos últimos dias é a Agência de Transportes da Nova Zelândia, pois ela vem fazendo um grande trabalho para reabrir as estradas e reparar os danos causados pelas catástrofes.

Ainda nesta sexta-feira, o Governo disponibilizou um financiamento extra de 100 mil dólares neozelandeses, que servirá de fundo para o apoio rural nas regiões de Southland e Otago. Assim os negócios agrícolas da região, devem receber um amparo diante das catástrofes.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Greta Thunberg faz pronunciamento em DAVOS pedindo que ouçam os jovens 0 79

greta thunberg falas em davos 2020

É notório o que Greta Thunberg vem fazendo nos últimos dias em relação a alertas sobre preservação ambiental. A ativista também vem inspirando uma nova geração de jovens que estão preocupados com o planeta, o que fez com que vários fossem até ao Fórum Econômico Mundial de 2020, pedir mais ações dos principais governantes do mundo.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Nesta terça-feira (21/01) a sueca pediu que os líderes mundiais sejam capazes de ouvir a nova geração e a juventude como um todo.

Durante seu discurso ela disse que não é uma pessoa que pode reclamar por não ser ouvida, afinal ela é conhecida no mundo todo, mas há muitos jovens que possuem boas ideias, que precisam ter voz ativa no futuro do planeta.

“É sobre nós e as futuras gerações e aqueles que são afetados hoje. Precisamos trazer a ciência para a conversa”.

Suas falas ocorreram durante o painel “Construindo um caminho sustentável para um futuro coletivo”.

Ela continua falando que a ciência e a voz dos jovens hoje não são o centro das conversas em reuniões como as de Davos na Suíça, mas elas precisam ser.

A presença de diversos ativistas em Davos é um efeito que Greta vem causando nos jovens ultimamente.

Taj Mahal é evitado por turistas por conta de protestos na Índia.

Presenças ilustres

Além de Greta, o Fórum deste ano está contando com a presença do jovem cientista Fionn Ferreira, responsável por desenvolver um sistema de prevenção contra a chegada de microplásticos até os oceanos.

Outro herói do clima, como são chamados, é a sul africana Ayakha Melithafa, com 17 anos e a canadense Autum Peltier, responsável por uma luta relacionada à prevenção de água no planeta, desde seus oito anos.

Judeus sobreviventes do Holocausto ainda sofrem para recuperar casas na Polônia 0 78

casas de judeus na polonia antes da guerra

Já não basta todo o sofrimento vivido durante a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto, diversos judeus sobreviventes, ainda sofrem pois perderam suas casas na Polônia e até hoje não conseguiram recuperá-las.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Uma sobrevivente chamada Lea Evron, que hoje está com 85 anos, é uma destas vítimas. Sua família possuía um prédio de três andares antes da Segunda Guerra Mundial, em uma cidade ao sul da Polônia, chamada de Zywiec.

Suas lembranças da época é este prédio e uma fábrica de produtos de pele no local. Mas algo que está bem vivo é o retorno após a guerra, onde a grande maioria de sua família foi morta durante o Holocausto.

Mas este não é um drama exclusivo de Evron. Milhares de judeus tinham propriedades na Polônia e as mesmas foram confiscadas por nazistas e depois mantidas por governantes comunistas após a guerra.

Cobra no vaso sanitário ataca mulher na Tailândia, confira imagens.

Polônia não dá suporte

De todos os países da União Europeia, a Polônia foi o único que não criou leis de restituição de propriedades aos judeus. Isso que diversas cidades do país contavam com as maiores comunidades do mundo antes da guerra.

Além da falta de leis, preconceitos que vivem até os dias de hoje, muitos dos judeus com propriedades na Polônia tiveram os documentos comprobatórios destruídos durante a guerra, o que dificulta ainda mais a grande maioria dos casos.

Judeus pressionam a Polônia

No próximo dia 27 de janeiro, acontece o 75º aniversário da libertação de Auschwitz, o principal campo de concentração e extermínio da era nazista.

Para o povo judeu, chegou a hora da Polônia criar leis realmente eficazes e que contribuam para o acesso de seus donos a estes imóveis.

O marido de Lea Evron, Jehuda Evron, que atualmente está com 88 anos, disse que os sobreviventes do Holocausto não deveriam mais sofrer, principalmente com relação a direitos que são seus. Mas não é isso o que acontece e muitos estão morrendo sem qualquer justiça do governo Polonês.

Most Popular Topics

Editor Picks