Skip to content

Pelo menos 40 pessoas morrem em bombardeio em um centro de migrantes em Trípoli

3 de julho de 2019

Um ataque aéreo na terça-feira chegou a um centro de detenção para imigrantes, a maioria africanos, em um subúrbio de Trípoli, a capital da Líbia, com saldo de pelo menos 40 mortos e 80 feridos, informou um funcionário da saúde.

Ataque em Trípoli

Este é o maior número de vítimas de um ataque aéreo ou bombardeio desde que as forças do leste leais a Khalifa Haftar lançaram, há três meses, uma ofensiva com tropas terrestres e aviões para tomar a capital do governo internacionalmente reconhecida.

O conflito faz parte do caos no país produtor de petróleo e gás depois da queda das tropas de oposição, com o apoio da Otan, Muammar Gaddafi em 2011.

Malek Mersek, porta-voz dos serviços médicos de emergência do estado, disse que 40 pessoas morreram e 80 ficaram feridas no ataque ao centro de detenção no subúrbio de Tajoura, localizado perto de um campo militar.

O governo de Trípoli disse em um comunicado que dezenas de pessoas foram mortas e feridas em um ataque aéreo atribuído ao “criminoso de guerra Khalifa Haftar”.

Fotos publicadas mostraram migrantes africanos submetidos a cirurgia em um hospital após o ataque. Outros se deitaram em camas, algumas cobertas de poeira ou com membros enfaixados.

A Líbia é o principal ponto de partida para os imigrantes africanos que fogem da pobreza e da guerra e tentam chegar à Itália de barco, mas muitos deles são interceptados pela guarda costeira da Líbia, apoiada pela União Europeia, que quer impedir fluxo migratório

Milhares de migrantes estão detidos em centros de detenção administrados pelo governo no oeste da Líbia, em condições muitas vezes desumanas, de acordo com organizações humanitárias e as Nações Unidas.