Coreia do Norte faz teste com míssil lançado de submarino e atinge mar do Japão 0 55

misseis coreia do norte lancado submarino contra japao

Nesta quarta-feira (02/10) o governo do Japão informou que a Coreia do Norte realizou testes com dois mísseis na costa, atingindo águas internacionais muito próximas ao país.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Os projéteis de curto alcance marcam o sétimo lançamento desde que os testes do regime de Kim Jong-un foram retomados a partir de julho, mesmo com os avanços propagados pelos Estados Unidos.

A agência sul coreana Yonhap informou que os mísseis voaram por cerca de 910 quilômetros de altura, a uma distância de 450 quilômetros desde o seu local de lançamento. Acredita-se que os mísseis foram disparados de submarinos e são de categoria 1 SLBM. As informações vieram a partir do comando das forças armadas da Coreia do Sul (JCS).

Coreia do Norte alerta EUA sobre navio de Pyongyang apreendido, durante conferência da ONU.

Alcance cada vez maior

Os testes da Coreia do Norte estão indo cada vez mais longe. Se for confirmada as informações de distância, estes foram os mísseis com maior autonomia desde o recorde alcançado no último mês de novembro de 2018.

O Japão informou através da Guarda Costeira que embarcações fiquem atentas e que não se aproximem dos destroços encontrados no mar. Segundo informações os testes caíram no mar e não há qualquer relato de danos a embarcações e aviões na região.

Os novos lançamentos da Coreia do Norte foram disparados em direção ao Mar do Leste, que é conhecido na região como o “Mar do Japão”. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, condenou os lançamentos, pois os testes violam as resoluções da ONU.

Os testes da Coreia do Norte acabam sendo sempre provocativos, pois não é a primeira vez que os projéteis atingem o espaço japonês.

Estados Unidos

Os responsáveis pelas forças armadas americanas informaram que já estão em contato com seus aliados na região, tanto com o Japão como com a Coreia do Sul. Mas não foi informado qualquer “represália” contra a situação.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Explosão radioativa misteriosa é confirmada na Rússia 0 159

Explosão radioativa misteriosa é confirmada na Rússia 4

Na última quinta-feira (07/08) houve uma explosão de um foguete da Rússia, onde houve indícios de propagação de radioatividade, que haviam sido “escondidos” pelas autoridades russas para a comunidade internacional.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Porém a empresa estatal nuclear Rosatom confirmou a explosão e também a morte de cinco pessoas e outros três feridos, que estão atualmente internados com queimaduras graves. O acidente ocorreu durante testes em um dos motores de foguete com propulsão líquida.

O caso ganhou proporções internacionais pois se tratava de um teste com “fonte de energia do isótopo”, que deveria atuar diretamente no sistema de propulsão. Em outras palavras, a propulsão deveria ser feita com uma fonte de energia nuclear, munido de muita radiação.

Nyonoksa

Uma publicação no site da região de Nyonoksa informou que praticamente todos os sistemas de mísseis usados pela marinha russa são testados por lá, inclusive os mísseis balísticos intercontinentais que são lançados no mar, os mísseis antiaéreos e os mísseis de cruzeiro.

Assim que houve a explosão, autoridades da região de Severodvinsk, que fica a 47 quilômetros a leste de Nyonoksa, obtiveram níveis de radiação muito mais altos do que o normal por um período de 40 minutos. Porém segundo a região, os números voltaram “ao normal”.

explosao em severodvinks russia

Mas desde o episódio de Chernobyl, países vizinhos fazem suas próprias medições para “confiar” melhor nos resultados.

Diante da situação os moradores das cidades de Arkhangelsk e Severodvinsk na Rússia, chegaram a comprar todo o estoque de iodo medicinal das farmácias.

Ameaça radioativa

O desespero na região se deve ao fato de se tratar de uma experiência militar russa, com explosão, confirmação do uso de materiais radioativos no sistema de propulsão e também o uso de roupas de proteção química e nuclear pelos médicos que foram responsáveis por evacuar os feridos em Nyonoksa.

O temor que vem desde o desastre nuclear de Chernobyl, em 1986, na Ucrânia, fez com que todo o iodo acabasse pois houve uma nuvem de radiação espalhada por toda a Europa.

O aumento de radiação nos ares de Severodvinsk chegou a 2 microsieverts por hora, um número muito acima dos 0,11 microsievets que normalmente é computado na região. Porém mesmo diante do temor, os níveis de radiação neste caso são considerados muito pequenos para causar qualquer dano ao corpo humano.

As informações estão bem sigilosas e neste momento estão sob os critérios do Ministério da Defesa. Ele deu uma declaração de que não houve substâncias químicas nocivas lançadas na atmosfera e que os níveis de radiação estão entre o que é considerado “normal”.

Bens da Venezuela foram congelados nos EUA e esta é a 1ª sanção contra o país 0 140

venezuela recebe duras sancoes dos estados unidos

Apesar de sempre ter sido contra o regime ditatorial da Venezuela, os Estados Unidos ainda não havia colocado sanções sobre o país da América do Sul, mas isso mudou nesta terça-feira (05/08). O governo americano anunciou sanções econômicas totais contra o governo venezuelano.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

As sanções congelam todos os bens do regime de Nicolás Maduro no país e proíbe quase todos os tipos de transações com o mesmo, exceto em situações que sejam completamente isentas.

A ordem executiva para as sanções foi assinada ainda nesta segunda-feira (05/08) pelo presidente Donald Trump.

Surpresa no ocidente

Era fato que os EUA estava disposto a intervir contra a política praticada por Maduro contra o país, mas esse tipo de ação contra um governo ocidental aconteceu pela primeira vez em um período de mais de 30 anos. Agora a Venezuela se junta ao grupo de países com duras sanções americanas que conta com a Coreia do Norte, Síria, Irã e Cuba.

“Todas as propriedades e interesses em propriedade do Governo da Venezuela que estão nos Estados Unidos … estão bloqueados e não podem ser transferidos, pagos, exportados, retirados ou de outra forma negociados”

Este foi o comunicado oficial da ordem executiva.

O Wall Street Journal publicou uma matéria onde as sanções que forma inclusas nesta ordem, concede 21 isenções de organizações internacionais e que sejam não governamentais, sobre trabalhos voluntários e distribuição de remédios, internet, alimentos e também correspondências.

Sanções econômicas à Venezuela

Os Estados Unidos havia bloqueado mais de 100 entidades e pessoas ligadas ao regime de NIcolás Maduro, onde boa parte aconteceu no último dia 25 de julho, que incluiu os filhos do presidente. Esta é uma pressão para que Maduro venha a deixar o poder na Venezuela, já que para os americanos Juan Guaidó é considerado o presidente interino do país.

Além dos EUA, o Brasil e outros 50 países também reconheceram Juan Guaidó como presidente. Do outro lado Maduro conta com apoio de outras nações gigantes, como a Rússia, que já até propôs ajuda militar se for o caso, a China e também a Turquia.

Most Popular Topics

Editor Picks