O crescimento de financiamento de veículos graças aos smartphones 0 614

financiamentos de veiculos-smartphones

Uma das modalidades de crédito que mais cresce no país, o financiamento para veículos, tem se tornado uma espécie de laboratório de inovações das grandes instituições financeiras. Para os bancos do país, ao contrário dos automóveis, o acelerador para os negócios não fica nos pés, mas nas mãos dos clientes.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Com uso de tecnologia mobile e recursos como “big data”, de processamento de informações maciças, “machine learning“, no qual os sistemas aprendem com os dados coletados, e georreferenciamento, que permite conhecer hábitos e até prever intenções de consumo, as instituições entram em uma nova era para o crédito.

Um dos bancos que mais têm investido em soluções no segmento, o Santander tem ampliado a dianteira na corrida do crédito para veículos nos últimos anos. Segundo dados mais recentes do Banco Central, coletados em março, mas referentes a dezembro de 2017, a instituição lidera o mercado brasileiro com uma carteira de R$ 35,5 bilhões.

O banco espanhol tem uma fatia de 23,5% do mercado, ou seja, está 3,7 pontos percentuais à frente do segundo colocado, o Votorantim, com presença muito grande no financiamento de modelos usados. Em 2016, a diferença de participação entre os dois líderes estava em 1,4 ponto percentual.

Outros bancos, como Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil, por contraste, exibem números pouco exuberantes. Maior conglomerado financeiro privado do país, o Itaú tem apresentado declínio no saldo da carteira desde 2014 e fechou o ano passado com participação de 9,3% ante 10,6% do exercício anterior.

A carteira de crédito para veículos do Bradesco também mostrou desaceleração nos últimos anos. Em dezembro de 2017, o saldo do banco no segmento atingia R$ 20,8 bilhões, com uma fatia de mercado de 13,8%, segundo dados do BC. No mesmo período de 2016, o estoque estava em R$ 20 bilhões, o equivalente a 13,7% de participação.

O BB pisou ainda mais forte no freio. A carteira de financiamentos de veículos do banco estatal saiu de R$ 5,5 bilhões em dezembro de 2016 para R$ 4,2 bilhões no mesmo mês do ano passado. Com isso, sua participação de mercado caiu de 3,8% para 2,8%, conforme informações do BC.

O segmento como um todo tem crescido. Dados da autoridade monetária mostram alta de 21,3% nas concessões a pessoas físicas para aquisição de veículos neste ano até março e expansão de 22,8% em 12 meses. Em termos de saldo, o aumento no primeiro trimestre alcançou 2,7%. Em 12 meses, a carteira avançou 7,6%.

O juro médio mensal da modalidade ficou em 1,65% em março, ou seja, uma taxa anual de 21,75%, a menor desde janeiro de 2014. O custo do financiamento para veículos já está menor do que a do consignado, que, no caso de trabalhadores do setor privado, alcançou, em março, 2,9% ao mês e 41,3% ao ano, segundo o BC.

As taxas médias por instituição mostram competição acirrada. De acordo com dados do BC, coletados entre 18 e 24 de abril, as operações do Santander tiveram taxa média de 1,55% ao mês e 20,28% ao ano. O Itaú cobrou 1,72% no período, ou seja, 22,75% anuais. O Bradesco apresentou um juro médio de 1,41%, ou 18,35% ao ano. Já o BB teve taxa de 1,66% mensal e 21,87% anual.

A inadimplência geral da modalidade atingiu 3,6% em março, no menor valor da série histórica do BC, que remonta a março de 2011. Na comparação com a taxa de atrasos do crédito para aquisição de outros bens, o segmento de veículos exibe um índice mais de duas vezes menor.

Os atrasos hoje estão praticamente na ponta oposta do pico de inadimplência vivido pelo segmento após a euforia dos financiamentos vivida entre 2011 e 2012. A inadimplência total do crédito de veículos para pessoa física atingiu 7,23% em junho de 2012, segundo o BC, e acionou o sinal de alerta das instituições.

Os grandes bancos entraram em um período de restrição ao crédito, que começou a ser parcialmente revertido no ano passado.

André de Carvalho Novaes, diretor da financeira do Santander, credita grande parte do crescimento recente da participação de mercado do banco à implementação de soluções integradas que atendem, principalmente, o lojista. “Temos 15 mil lojistas ativos em todo o país que usam um aplicativo desenvolvido pelo banco para gerenciar as consultas on-line de potenciais clientes [conhecidas no mercado como ‘lead’]”, diz o executivo.

Com o aplicativo do Santander, o lojista sabe, assim que um potencial cliente entra no local, que tipos de veículos ele tem buscado na internet e o crédito disponível para a aquisição. “Desse modo o vendedor consegue direcionar o negócio de maneira mais efetiva”, disse.

Na ponta da pessoa física, o usuário entra no local de venda com uma linha pré-aprovada, já com conhecimento do limite financeiro disponível para a transação e pode até mesmo fechar a compra totalmente pelo celular. “O processo é 100% sem papel e o crédito pode ser oferecido para qualquer interessado, seja correntista ou não do banco”, diz.

De acordo com o diretor do Santander, o desenvolvimento de uma plataforma que integrasse aplicativos para o lojista e o cliente ao sistema de crédito do banco e ao portal de anúncios WebMotors, que a instituição financeira comprou em 2007, começou há dois anos. Segundo Novaes, a ampliação da liderança do banco reflete o investimento.

O lojista Davi Casty, dono da concessionária Casty Motors, em São Paulo, vê com bons olhos as novidades. “O cliente mesmo pode fazer uma simulação da compra no site ou no celular e contratar [o financiamento] no aplicativo”, relata. Segundo o empresário, além da informação sobre o limite de crédito, o potencial comprador também já consegue saber, nos sites especializados, quanto vale o próprio carro que pretende usar na troca. “O sistema dos bancos hoje em dia amarra todas as pontas do negócio.”

O Itaú Unibanco, também dono de um portal de anúncios, o iCarrros, tem seguido por um caminho parecido ao do rival Santander. “Hoje só com o CPF e mais o carro escolhido a gente já diz se ele tem um crédito pré-aprovado ou não”, afirma Rodnei Bernardino de Souza, diretor de veículos.

De acordo com o executivo, a instituição já tem mapeadas 35 milhões de pessoas com crédito pré-aprovado. “Desse total, apenas 7 milhões ou 8 milhões são correntistas do Itaú”, diz. Souza afirma que a plataforma do iCarros já representa 25% da originação de contratações de crédito para veículos do Itaú Unibanco. “E 80% disso é feito pelo canal mobile”, acrescenta.

O Banco do Brasil tem uma solução de financiamento de veículos totalmente pelo celular desde o ano passado. Mas a plataforma continua em evolução, diz Orlando Costa, gerente-executivo da diretoria de empréstimos e financiamentos. A solução do BB, diferentemente de outras instituições, está restrita aos correntistas. Conforme Costa, em 2017, 28% das contratações de financiamento de veículos vieram do mobile. Neste ano, o percentual subiu para 55%.

Fonte: Redebomdia.com.br – http://www.valor.com.br/

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preço das apostas da Mega da Virada devem subir para R$ 4,50 0 319

Preço das apostas da Mega da Virada devem subir para R$ 4,50 2

A Mega Sena da Virada deve ter seu preço por aposta mínima elevado de R$ 3,50 para R$ 4,50 neste fim de ano. Os reajustes foram autorizados através da Portaria 8.061 do Ministério da Economia e foi publicado através do Diário Oficial da União no último dia 31 de outubro.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Além do preço das apostas da Mega Sena/Mega Sena da Virada, subirem, o reajuste que começa a ser aplicado a partir do próximo dia 10 de novembro de 2019, deve atingir também outras 7 loterias da Caixa Econômica Federal.

A Dupla Sena e a Loto Fácil, devem subir R$ 0,50 na aposta mínima. Hoje ambas custam R$ 2 e devem se igualar ao preço da Lotomania, que é de R$ 2,50.

A aposta mínima da Quinta também irá subir cinquenta centavos, indo dos atuais R$ 1,50 para R$ 2.

Duas apostas podem sofrer mais de uma alteração. A Lotogol e Loteca devem ter a sua aposta simples elevada para R$ 1,50, mas no caso da Loteca ainda será estudado a exigência de uma aposta múltipla mínima obrigatória, onde o mínimo deverão ser duas apostas, custando R$ 3.

Bancos terão 30 dias para encerrar contas de clientes insatisfeitos.

A aposta única da Timemania também deve subrir e vai de R$ 2 para R$ 3 já a partir desta próxima segunda-feira, dia 11 de novembro.

Mega da Virada

As mudanças pegaram muitos de surpresa, que já planejavam seus bolões para a Mega da Virada deste ano.

Apesar do aumento do valor das apostas, a Caixa Econômica Federal também informou que os prêmios devem por consequência também serem aumentados. Devemos ter um recorde nesta mega 2020.

A partir do próximo ano os ajustes dos preços das apostas poderão ser feitos com base na inflação acumulada ao longo dos 12 meses.

 

Nascidos entre maio e agosto podem sacar dinheiro do FGTS nesta sexta 0 289

caixa economica saque imediato do fgts nascidos maio e agosto

Nesta sexta-feira (27/09), a Caixa Econômica Federal irá começar a liberar o saque imediato de até R$ 500 das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para nascidos entre maio e agosto. Mas atenção! Os saques para quem nasceu neste período só são para quem for correntista da Caixa.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Os valores devem ser depositados automaticamente para quem tiver conta poupança individual da Caixa. Quem tiver conta corrente individual, fácil, ou conta corrente ou poupança conjunta, só terá o crédito automático em conta se realizaram uma autorização de recebimento até o último dia 22 de setembro.

A Caixa ainda informa que os valores só serão liberados antecipadamente para correntistas que abriram suas contas até o último dia 24 de julho de 2019.

13º, férias e horas extras não são mais indenizatórios em ações trabalhistas.

Trabalhadores que não se enquadrem nas regras acima e que tenham nascidos entre maio e agosto, só poderão receber conforme o calendário de pagamento do saque imediato do FGTS, onde para estes meses o recebimento será entre os meses de dezembro de 2019 e janeiro de 2020.

12 milhões de beneficiados

A Caixa informou que serão R$ 5 bilhões liberados nesta sexta, beneficiando cerca de 12 milhões de trabalhadores com conta no FGTS.

A Caixa Econômica Federal estará funcionando em horário estendido nesta sexta-feira. Confira os horários de abertura das agências:

  • Agências que abrem normalmente às 10h, irão funcionar a partir das 8h;
  • Agências que abrem normalmente às 9h, irão funcionar das 8h às 16h;
  • Agências que abrem normalmente às 11h, irão funcionar a partir das 9h;
  • Já agências que abrem às 8h, deverão abrir 8h, mas o horário de funcionamento será estendido em 2h, normalmente até as 16h.

Não quero fazer o saque imediato

Quem possui conta poupança individual e não queira fazer o saque dos valores, deverá informar até o dia 30 de abril de 2020 que deseja permanecer com o dinheiro na conta do FGTS.

Se os valores já foram feitos automaticamente e o beneficiário não quer fazer o saque, o mesmo deverá informar à Caixa e ela terá o prazo de 60 dias para retornar os valores à conta do FGTS.

É preciso lembrar que o saque imediato não tem relação com o saque aniversário.

Most Popular Topics

Editor Picks