Estudantes de Cabedelo devem revalidar cartão transporte até o dia 30 de julho 0 38

cartao transporte cabeledo

Até esta quarta-feira, dia 14, apenas 511, dos quase cinco mil estudantes do ensino fundamental, médio ou superior que residem no município de Cabedelo, mas estudam em João Pessoa e utilizam os ônibus da Reunidas, se apresentaram para fazer a revalidação de seus cartões transporte.

O prazo final para efetuar o recadastramento do cartão de bilhetagem eletrônico, utilizado no sistema de transporte intermunicipal do município, é o próximo dia 30 de julho.

O processo é gratuito e obrigatório. O estudante que não revalidar seu cartão não poderá usufruir do desconto de 50% na passagem de ônibus de Cabedelo, a partir do dia 1º de agosto.

Para realizar o recadastramento, basta que o estudante apresente o documento de vínculo escolar do ano letivo de 2004, a carteira estudantil e o cartão transporte.

O processo pode ser feito tanto na sede da Reunidas, no bairro de Água Fria, em frente ao viaduto Cristo Redentor, no horário das 8 ao meio-dia e das 14h às 18 horas ou, ainda, no guichê da empresa, no Terminal Rodoviário da Capital, das 8h30 às 16 horas, sem intervalo para almoço. O recadastramento do cartão transporte para estudantes acontece duas vezes ao ano. A primeira delas é realizada no mês de janeiro. A segunda é feita no mês de julho.

O recadastramento é necessário, pois é a partir dele que se tem a segurança de que o direito ao abatimento de 50% nas passagens está sendo utilizado por estudantes.

“O recadastramento beneficia a grande maioria das pessoas que utilizam os ônibus em seus deslocamentos, pois quanto maior for o número de abatimento, mais cara fica a tarifa. Por isso que, quando uma pessoa utiliza o beneficio sem ser estudante, prejudica todo o sistema”, destaca Alberto Pereira, diretor da Reunidas. Com o recadastramento, complementa o empresário, nós temos a certeza de quem está usufruindo do desconto é mesmo o estudante.

De acordo com Ivanildo Souza da Silva Júnior, responsável pelo setor de bilhetagem eletrônica da Reunidas, o estudante que não revalidar seu cartão transporte ficará prejudicado, pois não poderá utilizá-lo nos ônibus de Cabedelo, a partir do dia 1º de agosto.

“Como o sistema utilizado pela empresa é de bilhetagem eletrônica, os cartões inteligentes fazem uma leitura da categoria, depois da validade e, por fim, dos créditos disponíveis. Se algo estiver errado, como a não atualização dos dados do estudante, a catraca do veículo não é liberada”, explica.’

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Imagem de Nossa Senhora Aparecida resiste à compactação em lixão e é encontrada intacta 0 162

nossa-senhora-aparecida-aterro

Uma imagem de Nossa Senhora Aparecida resistiu ao processo de compactação de lixo e foi encontrada intacta no interior de minas. O fato aconteceu na cidade de Patos de Minas, cidade localizada a 400km da capital Belo Horizonte.

Quem encontrou a imagem da Santa foram os funcionários do Aterro Sanitário da cidade. O supervisor do local Amarildo Ribeiro Silva e Osmar Pio operador de roçadeira, foram os primeiros a localizar e imagem de Nossa Senhora.

O que mais impressionou os funcionários, é que a imagem estava localizada junto aos destroços de lixo, que passa por todo um processo de compactação do caminhão de coleta de lixo. Todo o lixo também é processado pelos caminhões, de forma que se tornam uma grande mistura para processamento no aterro.

Além da prensa usada pelos caminhões, o lixo depositado no aterro sofre uma nova compactação executada por tratores de esteiras que pesam mais de 19 toneladas. A santa estava prestes a ser enterrada em meio ao lixo quando foi encontrada pelos funcionários. Nossa Senhora Aparecida estava coberta pela sujeira, mas sem danos.

Construção de capela em homenagem a Santa

Segundo o diretor de operações da empresa responsável pelo Aterro Sanitário, Enio Ferreira, depois de ser desprezada, a imagem vai ganhar lugar de destaque. Os funcionários que encontraram a imagem, pretendem criar uma capela para homenagear Nossa Senhora Aparecida no aterro sanitário. A santa tem de cerca de 60 centímetros.

Fotos: https://www.patoshoje.com.br/

Fim dos estacionamentos privativos 0 59

estacionamento brasil

Procurar um lugar para estacionar na capital está cada vez mais difícil. Quando não é a limitação da Zona Azul, são os estacionamentos ditos exclusivos espalhados pelas calçadas de farmácias, supermercados, clínicas e até bancos. O que muita gente não sabe é que essa prática não é permitida por lei. O Código de Trânsito Brasileiro estabelece que no momento em que a calçada é rebaixada, o espaço para o estacionamento passa a ser de uso público. Para alertar os estabelecimentos sobre o uso inapropriado de correntinhas e placas que restringem o uso das calçadas aos clientes em atendimento, a STTrans vai iniciar nos próximos dias notificações aos estabelecimentos que fazem uso dessa prática.

Empreendimentos têm colocado avisos com ameaça de reboque de carros argumentando que espaços são destinados, especificamente, a clientes em atendimento Foto: Fotos: Rafaela Tabosa/ON/D.A. Press “Algumas pessoas já estão se enquadrando, outras não. Por isso faremos notificações caso a caso. Se não houver adequação por parte dos estabelecimentos, vamos multar”, disse o diretor da Divisão de Estacionamento e Registro da Sttrans, Cristiano Nóbrega. O valor da multa ainda será estabelecido através de Portaria.

O Artigo 93 do Código de Trânsito exige que todo empreendimento com pólo gerador de tráfego é obrigado a ter um estacionamento. Baseado nisto, os responsáveis pelos empreendimentos fazem o recuo do imóvel e rebaixam as calçadas, impedindo que outros motoristas usem a rua para estacionar. “Vamos pensar na seguinte premissa: se todo mundo rebaixar a calçada, o espaço público da cidade vai acabar. Por isso é proibido restringir a calçada para o uso exclusivo de clientes. É como privatizar uma área pública”, explicou Nóbrega.

O professor Cláudio Roberto nunca estacionava em locais com placas que pudessem gerar algum constrangimento e desconhecia o direito de fazer uso da vaga independente de usufruir do estabelecimento em questão. “Gostei muito de saber disso. Espero que os órgãos responsáveis sejam rigorosos na fiscalização. Quando a gente para pra pensar, percebe que não faz sentido ocupar as calçadas, impedindo que as pessoas estacionem nas ruas que é um espaço público”, disse o motorista.

Cerca de 180 mil veículos circulam nas ruas da Capital. A previsão da STTrans é que haja um crescimento na frota de 10% ao ano. Se os estacionamentos das calçadas fossem realmente proibidos, muitos motoristas teriam que deixar seus veículos em casa, porque não conseguiriam um local para estacionar. No Centro da cidade, 1.250 vagas são restritas à Zona Azul. Para estacionar, o motorista é obrigado a pagar uma taxa de R$ 1,30 por duas horas. Se não retirar o veículo dentro do prazo, o motorista está passível a receber multa no valor R$ 53,21, além de perder três pontos na carteira.

Most Popular Topics

Editor Picks