Ranking 2020 com as melhores cidades para fazer intercâmbio é divulgada 0 372

melhor cidade do mundo intercambio

O ranking com as melhores cidades do Mundo para fazer intercâmbio foi divulgado e Londres é eleita pelo segundo ano consecutivo como a melhor para estudantes. O ranking foi divulgado pela consultoria britânica Quacquarelli Symonds (QS) e faz parte do caso sobre “Melhores Cidades para Estudar”.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Neste ranking a capital do Reino Unido acabou ficando à frente de outras duas excelentes cidades do mundo, Tóquio no Japão e Melbourne na Austrália. Este é o top 3 preferido e que oferecem as melhores condições para estudantes do mundo todo.

Lista atualizada de melhores cidades para fazer intercâmbio

A pesquisa foi feita e chegou a conclusão destes números após obter a resposta de mais de 87 mil estudantes do mundo todo. Inclusive muitos já fazem intercâmbio e outros demonstram interesse em aprimorar suas atividades, principalmente o idioma, fora de seu país de origem.

A pesquisa segue um criterioso sistema para pontuar todas as principais cidades do mundo. Entre as perguntas estão as principais atividades dos empregadores, quais são as diversidades estudantis, custos de estudo, número de universidades, quais fazem parte de um alto nível e muito mais.

Londres é caro

Estudantes de intercâmbio reclamam de Londres apenas com relação ao custo de vida no ambiente. Ela é uma das mais caras, porém conta com as melhores pontuações em todos os outros critérios. Segundo o ranking e até mesmo os próprios intercambistas do Reino Unido, todas as outras qualidades compensam os altos valores.

Ranking com as 10 melhores cidades para estudar

Neste ano as melhores cidades para fazer intercâmbio são:

  1. Londres (Grã-Bretanha)
  2. Tóquio (Japão)
  3. Melbourne (Austrália)
  4. Munique (Alemanha)
  5. Berlim (Alemanha)
  6. Montreal (Canadá)
  7. Paris (França)
  8. Zurique (Suíça)
  9. Sydney (Austrália)
  10. Seul (Coreia do Sul)

Mas e o Brasil?

Não é surpresa não ter nenhuma cidade no TOP 10 da Quacquarelli Symonds, mas como a empresa se preocupa em fazer uma pesquisa de qualidade há cerca de 150 cidades e então o Brasil aparece com duas opções neste resultado mais abrangente.

A primeira melhor cidade do Brasil para fazer intercâmbio ou até mesmo para os próprios brasileiros estudarem é São Paulo, hoje ela está na 76ª colocação. O Rio de Janeiro conta com a 102ª colocação.

Porém na lista de cidades da América Latina, São Paulo está em 4º.

TOP 7 melhores cidades da América Latina para intercâmbio

  1. Buenos Aires (Argentina) (31)
  2. Cidade do México (México) (53)
  3. Santiago (Chile) (54)
  4. São Paulo (Brasil) (76)
  5. Bogotá (Colômbia) (82)
  6. Monterrey (México) (91)
  7. Lima (Peru) (98)

O mercado de intercâmbio no Brasil vem crescendo nos últimos ano, sempre superando a margem de 15%. Um número interessante sobre esta pesquisa é que cerca de 356 mil intercambistas do último senso mudaram-se para países ou regiões cujo o idioma predominante é o inglês.

Muitos foram para cidades dos EUA, Canadá, Reino Unido, Irlanda, Malta e também Austrália.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

#TsunamiDaEducação – Protestos contra cortes por todo o país 0 321

greve educacao 15 de maio

Esta quarta-feira, dia 15 de maio, amanheceu com diversos protestos pelo país, onde o objetivo é demonstrar descontentamento com os cortes na área da educação feitos ao longo dos últimos 20 dias pelo Governo Federal.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

No Twitter a hashtag #tsunamidaeducação já conta com mais de 10 mil tweets, sendo o primeiro no trending topics nacional.

Segundo os manifestantes os cortes das verbas para a educação já ultrapassaram os muros das universidades e institutos federais, apoiando o futuro do Brasil e mobilizando milhares de familiares, professores, estudantes, pesquisadores e todos que acabaram sendo atingido pelos cortes.

Guilherme Boulos do Psol publicou que os cortes atingem verbas destinadas ao pagamento de itens básicos para a educação como a água, luz, internet e até mesmo o de bolsas de pesquisa. Segundo ele as aulas serão nas ruas hoje.

As paralisações deste dia 15 de maio devem atingir 75 instituições federais.

Entenda os cortes feitos pelo MEC

O Ministério da Educação realizou o bloqueio de 30% das verbas destinadas às instituições de ensino federais, valendo para todas as universidades e institutos do país. O bloqueio aconteceu no último dia 30 de abril de 2019 e desde então vem sendo alvo de muita crítica por acadêmicos e especialistas na área.

Segundo a Casa Civil, o corte no MEC neste ano deve girar em torno dos R$ 5,8 bilhões, onde a justificativa é que este procedimento faz parte do decreto de programação orçamentária. O secretário de Educação Superior informou que o orçamento total para 2019 é de R$ 149 bilhões, onde este corte de 5,8 bilhões de reais só poderá ser feito em despesas não obrigatórias, onde o próprio orçamento destina R$ 24 bilhões para despesas discricionárias.

Os protestos estão focados em que o governo ao menos explique o porque dos cortes. Está previsto que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, vá ao plenário para falar sobre os bloqueios de recursos ainda nesta quarta, 15 de maio.

Most Popular Topics

Editor Picks