Skip to content

859 produtos da China devem ter tarifas reduzidas a partir de janeiro de 2020

23 de dezembro de 2019
china reduz tarifas de importacao

Em busca de aumentar as importações e exportações por conta da desaceleração da economia e também pela guerra comercial instaurada nos últimos meses com os Estados Unidos, a China deve em 2020 reduzir as tarifas de diversos produtos, inclusive a carne suína congelada e semicondutores.

No total devem sofrer alterações nas tarifas, cerca de 859 produtos. A informação de que estas tarifas de importação temporária irá cair, veio do próprio Ministério das Finanças, nesta segunda-feira (23/12).

Esses quase 900 produtos representaram cerca de US$ 389 bilhões das importações em 2018, cerca de 18% do total do acumulado anual. Essa mudança representa uma esperança da retomada econômica no próximo ano. Tudo está sendo feito com muita estratégia, indo na “contra mão” do que aconteceu em 2019, quando houve o aumento na taxação de produtos.

Tarifas do Aço impostas por EUA podem aproximar ainda mais Brasil da China.

Crise interna

O país enfrenta uma escassez doméstica com relação à importações. E a diminuição destas taxas deve promover o aumento nas importações de produtos. A falta de importações, acaba refletindo nas exportações, pois os países que fazem negociações com a China, esperam que haja ao menos uma troca significativa no comércio internacional.

Entre os principais produtos que a China deseja importar mais estão carnes variadas, já que a produção de suínos deve ser o seu carro chefe em 2020. Há uma série de medidas para que a produção seja elevada, onde o objetivo é atender a demanda local com ela e importar outras variedade.

Somente neste mês de novembro foram importadas cerca de 230 toneladas de carne de porco, um número 150% maior do que no mesmo período de 2018. Até o momento já foram importadas mais de 1,8 milhão de toneladas, quase 60% a mais do que em 2018.

Entre os principais países produtores de suínos, está o Brasil.

Tarifas do aço

Temporariamente o governo chinês pretende reduzir as tarifas de importação sobre o ferronióbio, que é usado como um aditivo na produção de aço de baixa liga e também de aço inoxidável de alta resistência. A tarifa deve cair de 1% para 0 (zero) em 2020.

Além de melhorar a economia, essa redução visa o desenvolvimento de alta tecnologia no país.

A guerra com os Estados Unidos também entrou em uma fase onde haverá algumas reduções por parte dos americanos. Mas para desfrutar deste benefício os chineses deverão comprar mais produtos agrícolas dos EUA e outros produtos ligados ao setor.

Donald Trump já se manifestou, dizendo que o acordo está muito próximo de ser fechado.