Skip to content

Richard Branson informou que Virgin está enfrentando colapso sem empréstimo de £ 500 milhões

20 de abril de 2020
virgin pode falir e despedir milhares de funcionarios sem ajuda do governo

A companhia aérea Virgin Atlantic que está com praticamente todos os seus voos cancelados e aeronaves estacionadas, poderá entrar em colapso se não receber um aporte de 500 milhões de libras do governo britânico.

Quem falou publicamente do assunto foi o seu próprio fundador, Richard Branson, onde em tom “desesperador” disse que a companhia precisa da ajuda dos contribuintes como uma forma de empréstimo comercial para que seja possível sobreviver à crise do coronavírus.

Acontece que não somente a Virgin Atlantic está nesta situação. Diversas outras companhias aéreas do Reino Unido e do mundo todo estão passando pelo menos problema, já que são raros os voos neste período de isolamento social.

Carta aberta aos funcionários do Virgin Group

Richard publicou uma carta aberta aos seus funcionários dizendo: “Faremos tudo o que pudermos para manter a companhia aérea funcionando – mas precisaremos de apoio do governo para conseguir isso diante da grave incerteza em torno das viagens hoje e sem saber por quanto tempo os aviões deverão ficar parados.”

Mas segundo Richard isso não seria um dinheiro “dado” pelo governo, é apenas um empréstimo comercial, onde a empresa devolveria os valores assim que fosse possível.

Muitas companhias aéreas ao redor do mundo precisam do apoio do governo e inclusive muitas já receberam valores para que se mantenham em meio à crise.

Richard continua dizendo que sem essa ajuda, centenas de milhares de empregos serão perdidos. A Virgin onde Richard é dono de 51%, ao lado dos 49% da companhia aérea americana Delta, informou que outras medidas de corte de custos devem oferecer aos seus funcionários um pacote de indenização voluntária para quem optar por sair.

No Reino Unido, torres de tecnologia 5G são incendiadas por boatos sobre pandemia!

Branson disse que deve injetar 215 milhões de libras de seu “próprio bolso” para manter o funcionamento da Virgin, responsável por empregar 70 mil funcionários no mundo todo. Mas mesmo assim para sobreviver, vai precisar da ajuda do governo.

Logo no início deste mês, foi solicitado um pedido ao governo para que houvesse facilidade de crédito no setor aéreo britânico, em valores que poderiam chegar em até 7,5 bilhões de libras. Porém o chanceler Rishi Sunak, disse que este pacote específico para o setor não será criado.

Enorme desafio pela frente

Além da Virgin, todas as companhias aéreas do mundo vão sofrer duras consequências em razão da pandemia, já que o turismo/viagens foi o primeiro setor a ser afetado e deve ser um dos últimos a se restabelecer daqui pra frente.