políticas de austeridade econômica

Políticas de austeridade econômica são uma violência estrutural, de acordo com pesquisa inglesa

A despeito das falas de pessoas ligadas ao governo tentando convencer da necessidade da Reforma, uma pesquisa da universidade inglesa de Lancaster afirma que políticas de austeridade econômica são uma espécie de violência estrutural, um “assassinato social”.  Essa reflexão é valiosa em meio à um contexto de proposta de Reforma da Previdência, onde o debate acerca do bem-estar social e do papel do Estado nisso tem sido acalorado.

Leia também Impeachment Bolsonaro, uma realidade? Ao menos no Twitter sim!

Continue lendo adiante para entender a pesquisa.

As políticas de austeridade econômica como forma de violência estrutural na sociedade

políticas de austeridade fiscal chris grover
Dr.Chris Grover, da Universidade de Lancaster, no Reino Unido.

O impacto das políticas de austeridade econômica no sistema de previdência social, como, por exemplo, amplos cortes nos benefícios e o enrijecimento das condições para obtenção dos benefícios é uma modalidade de violência estrutural, conforme informações de uma nova pesquisa da Universidade de Lancaster, no Reino Unido.

Leia tambémPrimeira Ministra do Reino Unido é pressionada para estabelecer data de sua saída no governo.

O Dr. Chris Grover, chefe do Departamento de Sociologia da Universidade, fala que as políticas de austeridade econômica podem ser compreendidas como uma tipo de violência estrutural, ato esse que é incorporado à sociedade. Segundo ele, essas políticas de austeridade econômica acabam acentuando as desigualdades entre as classes sociais e aumentando a pobreza.

O artigo científico chamado “Proletarização violenta: assassinato social, o exército de reserva de austeridade trabalhista e previdenciária” na Inglaterra “, indica que, como fruto da violência contra a classe trabalhadora, as pessoas enfrentam danos ao seu bem-estar físico e mental e, em alguns casos. são “assassinados socialmente”.

Leia também Brasil busca a aprovação chinesa para cana geneticamente modificada.

“Para lidar com a proletarização violenta, o que é necessário não é o ajuste das políticas existentes, mas a mudança fundamental que elimina a necessidade econômica de as pessoas trabalharem pelos menores salários que os empregadores podem pagar”, conforme enuncia Grover.

O estudo, que foi publicado no periódico Critical Social Policy, o Dr.Grover fala ainda sobre alguns exemplos de como as políticas de austeridade econômica impactam negativamente a sociedade. De acordo com Grover, há um aumento de suicídios, crescimento do contingente de pessoas morrendo por má nutrição, ampliação da quantidade de pessoas indo morar nas ruas.

Leia tambémDonald Trump propõe plano meritocrático para imigração nos EUA.

A austeridade como ferramenta para degradação do trabalho

A referida pesquisa ainda sustenta que as políticas de austeridade econômica, as difíceis condições econômicas criadas pelo governo ao diminuir os gastos públicos trouxeram cortes e mudanças maléficas à política de previdência social, o que quer dizer que a Grã-Bretanha foi vítima de uma abordagem violenta para forçar as pessoas a aceitarem trabalhos que pagam muito mal.

Você pode ler o artigo científico do Dr. Grover, da Universidade de Lancaster aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *