Mourão afirma que Brasil deseja que China invista em infra estrutura 0 19

Mourão afirma que Brasil deseja que China invista em infra estrutura 1

O Brasil quer investimentos chineses em projetos de infra-estrutura, desde que os investidores criem empregos locais e cumpram as regras brasileiras, disse o vice-presidente Hamilton Mourao à Reuters em uma entrevista.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Leia também:

A reunião de Mourão com o líder chinês

Mourao se reuniu com o líder chinês Xi Jingping na China no mês passado como parte dos esforços para manter um relacionamento caloroso com o principal parceiro comercial do Brasil. Enquanto fazia campanha no ano passado, o presidente Jair Bolsonaro havia alertado que a China estava tentando “comprar o Brasil”, mas desde então adotou uma abordagem mais pragmática.

Em uma entrevista na quarta-feira em Brasília, Mourão disse que a infra-estrutura brasileira está atrapalhando a produtividade e que o investimento chinês é bem-vindo, desde que siga as regras locais.

“Uma empresa chinesa não pode chegar aqui e trazer 100 mil chineses para trabalhar no Brasil”, disse ele.

Ele acrescentou que não falou com os chineses sobre quaisquer projetos de infraestrutura em particular durante sua viagem, mas que viu espaço para investimentos chineses em projetos ferroviários, rodoviários e portuários.

Em relação à guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, Mourao descreveu a posição do Brasil como “pragmática e flexível”, buscando tomar decisões no interesse brasileiro sem tomar partido.

Apesar de um acordo com Washington para os Estados Unidos salvaguardarem a tecnologia espacial norte-americana no local de lançamento de Alcantara, no Brasil, perto do equador, a China também pode se tornar um parceiro na base, disse ele.

Mourão disse que a China não manifestou nenhum interesse particular em tal acordo, mas observou que a cooperação científica e tecnológica era uma área de crescimento potencial entre as nações.

A atuação da Huawei

Mourão também reiterou que a empresa chinesa de telecomunicações Huawei Technologies não seria excluída da operação de uma rede de telecomunicações móveis de quinta geração (5G) na maior economia da América Latina, mas seria esperada uma disputa justa.

Mourão, que se reuniu com o presidente-executivo da Huawei, Ren Zhengfei, em uma viagem à China no mês passado disse: “Falei claramente com o CEO da Huawei e disse que eles têm que nos dar confiança de que … os dados que eles têm não serão colocar nas mãos dos chineses (governo). ”

Previous ArticleNext Article
Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal TV É Brasil. Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma. Uma verdadeira amante da cultura, arte e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banco Central preza pela manutenção da taxa de juros 0 41

Banco Central preza pela manutenção da taxa de juros 7

O Banco Central do Brasil deixará sua taxa básica de juros inalterada nesta semana, de acordo com uma pesquisa da Reuters com economistas, mas o crescimento econômico cada vez mais fraco e as pressões inflacionárias sugerem que pode não demorar muito para que a política seja flexibilizada.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

As taxas do Banco Central

A taxa Selic do banco central está em baixa recorde de 6,50% há mais de um ano, e 18 dos 19 economistas entrevistados pela Reuters disseram que ainda estará lá depois que o comitê de políticas do banco, conhecido como “Copom”, se reunir em 18 de junho. 19

Um economista prevê um corte de taxa.

O viés de baixa está se formando rapidamente. A economia do Brasil está estagnada e pode até estar em recessão, a perspectiva global está se deteriorando e há sinais de que a inflação está voltando para a meta de 4,25% do banco central.

Dos 19 economistas entrevistados, treze disseram que a inclinação para as taxas no próximo ano é de queda, cinco disseram neutros e apenas um disse que está no topo.

Isso é muito mais do que a pesquisa anterior em maio, quando cinco dos quinze economistas disseram que o viés era descendente, nove eram neutros e um dizia positivo.

“A fraqueza da economia brasileira e a rápida queda da inflação significam que esperamos agora um corte nas taxas de juros, e acreditamos que há uma janela de oportunidade para o Copom atuar (nesta) reunião”, Edward Glossop, economista da América Latina na Capital Economics. escreveu em uma nota do cliente.

“Tudo dito, a reunião do Copom de quarta-feira será bem de perto, mas, no geral, achamos que um corte de 25 pontos-base (para 6,25%) é mais provável do que o contrário”, disse ele.

A previsão do Glossop é a mais agressiva na pesquisa, mas reflete a visão geral sobre a economia e o caminho para as taxas. Diversos economistas esperam que o Copom insira mais linguagem dovish em sua declaração de política, abrindo caminho para um eventual corte.

Grande parte do debate do Copom deve centrar-se em quão sérios os formuladores de políticas pensam que a atual desaceleração econômica é e como estão confiantes de que a inflação chegou ao máximo.

A economia encolheu no período de janeiro a março, sua primeira contração desde 2016. Os indicadores de abril e maio até agora mostraram pouco sinal de que as coisas mudaram muito, se é que sugerem, que a economia poderia estar tecnicamente em recessão.

O índice de atividade econômica IBC-Br mais recente do banco central pode ter desviado o equilíbrio para alguns membros do Copom. Mostrou que a atividade econômica caiu novamente em abril – o maior período de declínio da atividade desde a última recessão.

A economia do Brasil deve crescer menos de 1,0% este ano, segundo uma pesquisa do banco central divulgada na segunda-feira, enquanto os economistas cortaram suas projeções para a 16ª semana consecutiva em novas baixas e reduziram drasticamente suas perspectivas de taxa de juros.

Os mercados financeiros reduziram agressivamente suas visões de taxa de juros. Na quinta-feira, os contratos futuros de taxas de juros de 2020 caíram abaixo de 6,0% pela primeira vez, sugerindo que a taxa Selic será 50 pontos base mais baixa em cerca de 12 meses.

O desempenho da economia

Mesmo que contorne a recessão, a economia está com desempenho abaixo do esperado. A incerteza em torno da reforma previdenciária, a proposta do governo de 1.237 trilhões de reais (US $ 319 bilhões) para equilibrar os livros do Brasil e retomar o crescimento, também não está ajudando.

A inflação anual caiu para 4,66% em maio, de 4,92% em abril, a primeira queda neste ano, proporcionando algum alívio após quatro meses de alta.

Segundo Paulo Rabello, Caixa Preta do BNDES não passa de ilusão 0 86

paulo rabello caixa preta bndes

Segundo Paulo Rabello de Castro, o novo presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, terá um grande desafio pela frente pois além de ter que agilizar a devolução de recursos para o Tesouro Nacional, também irá precisar abrir a “Caixa Preta” do BNDES.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

O problema está no fato de que para ele, Paulo Rabello, essa história de caixa preta não existe, necessitando que Montezano dedique parte do seu tempo para tentar atender o gosto pessoal de Jair Bolsonaro, pois esta era uma das promessas de campanha do atual presidente.

Rabello foi o presidente do BNDES durante o governo MIchel Temer e comentou recentemente sobre a escolha do engenheiro Gustavo Montezano para o lugar de Joaquim Levy.

Uma das prioridades do governo Bolsonaro é principalmente com relação aos contratos de exportação de serviços para a Venezuela e também para Cuba, onde há supostas evidências de que os valores foram enviados com diversas irregularidades, mas que foram ignoradas por Levy.

Para Rabello, Montezano deverá tomar muito cuidado nos próximos dias, pois corre o risco de ficar queimado no cenário nacional, caso invente alguma fake news só para atender os gostos do atual governo.

Não existe caixa preta do BNDES

Para o economista Paulo Rabello, que já foi presidente do banco BNDES, o discurso do governo que está a todo instante nas mídias é fictício, não passando de uma repetição para chamar a atenção da população, que também deseja que tenha algo errado na instituição. Ele saiu no último mês de março de 2018, mas antes realizou uma análise detalhada de como funciona o BNDES. Na ocasião queria descobrir se o banco falhava em alguns aspectos ou se a gestão não dava conta de fechar todas as pontas soltas.

Após todas estas análises, o resultado foi publicado na versão impressa Livro Verde. Nele estavam todos os relatórios sobre as atividades executadas no banco. Nele Rabello cita que o banco conta com um trabalho íntegro, atendendo todas as regras pré estabelecidas por lei e que mesmo dedicando um tempo precioso para buscar irregularidades,segundo Rabello, elas não serão encontradas.

Most Popular Topics

Editor Picks