Skip to content

Vendas de fim de ano devem bater recorde neste 2019

12 de outubro de 2019
vendas natal e black friday devem crescer

Juros baixos em decorrência da taxa Selic em 5,5%, saque FGTS e melhoria na economia, deve estimular muito as vendas neste fim de ano. Datas como a Black Friday e o Natal devem fomentar o comércio nacional, trazendo um certo alívio para o varejo nacional.

A estimativa é que os grandes eventos de vendas no fim de ano sejam muito melhores do que nos últimos anos.

A melhoria se deve também a baixa inflação e a liberação dos recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e cotas do PIS/Pasep, que devem injetar cerca de R$ 42 bilhões na economia.

Todos os empresários estão mais otimistas neste ano e especialistas da Confederação Nacional do Comércio (CNC), estimam que o consumo será muito maior em praticamente todos os setores do varejo.

Calendário de Pagamento do FGTS 2019 e 2020 oficial.

Inflação controlada

A inflação controlada ajuda nas vendas de fim de ano pois o poder de compra do cidadão brasileiro continua com um certo “poder”, algo que quando a inflação acaba chegando ao fim de ano em alta, há uma certa desestimulação, pois o salário não permite a aquisição de produtos nesta época.

Segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) o acumulado do ano sobre a alta dos preços é de apenas 2,89%.

Juros baixos

A Selic já está em 5,5% ao ano e essa queda durante o ano de 2019 pode chegar em dezembro ainda menor, próximo dos 4,75%. Esta baixa acaba barateando o custo do crédito, o que permite a aquisição de produtos com mais facilidade, como exemplo, um parcelamento com zero de juros ou taxas menores do que as que vem sendo praticadas nos últimos anos.

Crescimento nas vendas

A Confederação Nacional do Comércio acredita que as vendas de Natal devem crescer cerca de 5% em relação ao último ano, onde isso não acontece desde 2013. Para este ano quase 60% dos varejistas acreditam que as vendas de fim de ano irão crescer se comparadas ao cenário de incertezas de 2018.

Apesar dos modestos 5% da CNC, os varejistas acreditam que a alta deve se aproximar dos 17%.

Em 2018 as vendas de Natal chegaram a R$ 53,5 bilhões. Estimasse que 103 mil vagas sejam abertas, entre temporárias e efetivas para atender a demanda de fim de ano.