Fim dos estacionamentos privativos 0 491

estacionamento brasil

Procurar um lugar para estacionar na capital está cada vez mais difícil. Quando não é a limitação da Zona Azul, são os estacionamentos ditos exclusivos espalhados pelas calçadas de farmácias, supermercados, clínicas e até bancos. O que muita gente não sabe é que essa prática não é permitida por lei. O Código de Trânsito Brasileiro estabelece que no momento em que a calçada é rebaixada, o espaço para o estacionamento passa a ser de uso público. Para alertar os estabelecimentos sobre o uso inapropriado de correntinhas e placas que restringem o uso das calçadas aos clientes em atendimento, a STTrans vai iniciar nos próximos dias notificações aos estabelecimentos que fazem uso dessa prática.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Empreendimentos têm colocado avisos com ameaça de reboque de carros argumentando que espaços são destinados, especificamente, a clientes em atendimento Foto: Fotos: Rafaela Tabosa/ON/D.A. Press “Algumas pessoas já estão se enquadrando, outras não. Por isso faremos notificações caso a caso. Se não houver adequação por parte dos estabelecimentos, vamos multar”, disse o diretor da Divisão de Estacionamento e Registro da Sttrans, Cristiano Nóbrega. O valor da multa ainda será estabelecido através de Portaria.

O Artigo 93 do Código de Trânsito exige que todo empreendimento com pólo gerador de tráfego é obrigado a ter um estacionamento. Baseado nisto, os responsáveis pelos empreendimentos fazem o recuo do imóvel e rebaixam as calçadas, impedindo que outros motoristas usem a rua para estacionar. “Vamos pensar na seguinte premissa: se todo mundo rebaixar a calçada, o espaço público da cidade vai acabar. Por isso é proibido restringir a calçada para o uso exclusivo de clientes. É como privatizar uma área pública”, explicou Nóbrega.

O professor Cláudio Roberto nunca estacionava em locais com placas que pudessem gerar algum constrangimento e desconhecia o direito de fazer uso da vaga independente de usufruir do estabelecimento em questão. “Gostei muito de saber disso. Espero que os órgãos responsáveis sejam rigorosos na fiscalização. Quando a gente para pra pensar, percebe que não faz sentido ocupar as calçadas, impedindo que as pessoas estacionem nas ruas que é um espaço público”, disse o motorista.

Cerca de 180 mil veículos circulam nas ruas da Capital. A previsão da STTrans é que haja um crescimento na frota de 10% ao ano. Se os estacionamentos das calçadas fossem realmente proibidos, muitos motoristas teriam que deixar seus veículos em casa, porque não conseguiriam um local para estacionar. No Centro da cidade, 1.250 vagas são restritas à Zona Azul. Para estacionar, o motorista é obrigado a pagar uma taxa de R$ 1,30 por duas horas. Se não retirar o veículo dentro do prazo, o motorista está passível a receber multa no valor R$ 53,21, além de perder três pontos na carteira.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bancos terão 30 dias para encerrar contas de clientes insatisfeitos 0 86

encerramentos de contas bancarias 30 dias

Uma ótima notícia para quem sempre teve dificuldades na hora de encerrar uma conta. O Conselho Monetário Nacional (CMN), logo após uma reunião nesta quinta-feira (26/09), determinou que o prazo máximo para o encerramento de uma conta bancária deve ser de 30 dias.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Todos os bancos no Brasil deverão atender o pedido de clientes que queiram encerramento da conta neste prazo, sob pena de multa no descumprimento da lei. Porém é preciso que o cliente esteja com todas suas obrigações em dia.

Mudança na lei

Essa mudança passa a valer a partir do próximo dia primeiro de janeiro de 2020. Hoje os 30 dias já estão estabelecidos, mas eles funcionam apenas como uma autorregulamentação no setor bancário, sem a força de “obrigação”.

Principais pontos da nova Lei de Liberdade Econômica.

Reclamações

Este prazo está sendo determinado pelo CMN, pois muitos clientes não conseguem encerrar suas contas em suas próprias agências, ficando muita das vezes “refém” dos bancos, havendo a necessidade do pagamento mensal da tarifa por pacote.

Neste segundo trimestre de 2019 o Banco Central teve mais de mil reclamações de clientes, com base em irregularidades no processo de encerramento de contas, mesmo com toda a situação regular. Mas essas reclamações divulgadas pelo BC não especificam quais foram as situações.

Entre os bancos com maior número de reclamações neste segundo trimestre estavam o Bradesco com 327 queixas, a Caixa Econômica Federal com 155 e o Itaú com 124 reclamações.

Encerramento de contas

Uma alternativa para encerrar a conta no mesmo dia ou em um prazo menor do que uma semana, era ir até outra agência e solicitar o cancelamento por ela, estando portando toda a documentação necessária.

Mas desde 2016 há uma regulamentação que permite que pessoas físicas possam abrir e fechar contas através da internet sem a necessidade de ir até uma agência bancária. Mas não são todos os bancos que oferecem essa possibilidade, pois é preciso que seja possível avaliar a identidade dos clientes.

Apesar de ser algo que pode ser resolvido em minutos, a obrigação de encerramento em 30 dias já é uma esperança a mais para quem está com dificuldades na hora de encerrar uma conta.

Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 0 129

Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 2

Neste sábado (14/09) foi revelado pela TV Globo as fotos da destruição que o incêndio provocou no Hospital Badim, no Rio de Janeiro.

>> Siga-nos no Google News e Concorra a um iPhone 10 – CLIQUE AQUI! e depois em SEGUIR⭐️

Estas são as primeiras fotos divulgadas sobre o incidente que ocorreu na última quinta-feira (11/09), onde onze pacientes idosos acabaram morrendo em decorrência do mesmo. O hospital ficava localizado no bairro Maracanã, na Zona Norte do Rio.

Nas imagens é possível observar leitos destruídos, muita sujeira, equipamentos quebrados e um clima muito triste.

Pele humana será fabricada em novo laboratório nacional.

Fotos do Hospital Badim

Confira as fotos que foram divulgadas pela Globo:

Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 3 Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 4 Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 5 Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 6 Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 7 Fotos da destruição do incêndio no Hospital Badim, são reveladas 8

Salas destruídas

Algumas salas foram completamente destruídas com o incêndio, mas uma onde ficava o tomógrafo acabou só restando as estruturas de ferro dos aparelhos existentes por ali.

No corredor que leva até o CTI, localizado no terceiro andar, está repleto de marcas de calçados aplicados sobre a fuligem que restou. neste mesmo setor só é possível reconhecer uma saboneteira, o resto só é ferro retorcido e camas completamente destruídas.

Em uma das fotos da enfermaria é possível observar leitos totalmente bagunçados, em meio a ruínas, onde em um primeiro momento é possível sentir o desespero daqueles que deixaram o ambiente às pressas. Todos que podiam saíram correndo e empurrando tudo o que havia pela frente.

Nos ambulatórios há muita sujeira e diversos medicamentos caídos e quebrados no chão. Há ambientes onde o caos está um pouco menor, mas é nítido as consequências do desastre no Hospital Badim.

Causas do incêndio

Em um primeiro momento acreditava-se de que fosse um incêndio criminoso. Porém neste sábado foi informado pelo delegado Roberto Ramos, da 18ª DP da Praça da Bandeira, que o incêndio foi em decorrência de um curto circuito no gerador de energia do hospital.

Foi informado que toda a perícia que deveria ser feita no local já acabou. Agora resta que os peritos analisem uma peça do gerador, que irá definir se realmente foi ou não o gerador o responsável.

O caso só será confirmado após técnicos da empresa que realiza a manutenção dos equipamentos, utilizarem ferramentas próprias para retirar essa peça que precisa ser avaliada para a conclusão do laudo técnico.

É provável que esta informação seja confirmada ainda nesta segunda-feira (16/09).

Most Popular Topics

Editor Picks