Comissão Nacional de Energia Nuclear realizará concurso para contratar servidores 0 66

comissao energia nuclear

A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) vai realizar concurso público para a contratação de 110 novos servidores. Órgão ligado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, a CNEN estará ofertando vagas em diversas áreas para profissionais de nível superior e médio nas unidades do Instituto no Rio de Janeiro, em São Paulo, Pernambuco, Goiás e Minas Gerais.

O período de inscrições, inicialmente previsto para 20 de julho a 3 de agosto, foi alterado em edital de retificação para 2 a 17 de agosto. Segundo informações da CNEN, a remuneração bruta para os cargos oferecidos varia de acordo com a especialização do servidor: cargos de nível médio entre R$ 1.176,95 a R$ 1.577,08; e de nível superior entre R$ 2.088,66 a R$ 5.071,87.

As inscrições, cujas taxas variam de R$ 30 a R$ 80, conforme o cargo a que se destina o pretendente, podem ser feitas via Internet através do site da Trade Census, empresa contratada pela CNEN para realizar o concurso.

Previous ArticleNext Article
Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu emprego pode estar na Web 0 35

empregos internet

O número de desempregados do país e a quantidade de vagas anunciadas em sites especializados são peças de um quebra cabeças que não se encaixam. Segundo o IBGE, são aproximadamente 1,9 milhão de pessoas desocupadas no Brasil. O fato é que cada site especializado oferece em média de 200 mil vagas, nas mais diversas áreas e regiões do país. Finalmente, se juntarmos todas as vagas disponíveis nestes “bancos de currúculo”, certamente daria para empregar todas essas pessoas apontadas na pesquisa. Mas será que as pessoas já descobriram esta nova ferramenta?

Segundo o gerente comercial da Catho João Pessoa, Antônio Sérgio, os paraibanos ainda não têm o hábito de procurar empregos pela internet, apesar da sistemática funcionar muito bem nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste do país. O número de pessoas que buscam o site para disponibilizar currículos (a empresa contabilizava no início do mês de agosto 275 currículos) é bem inferior ao número de vagas ofertadas no Estado (total de 5.944 vagas,no mesmo período).

“O percentual de paraibanos que procuram esse serviço é muito pequeno. Acredito que a baixa renda da população é um fator determinante”, anunciou o gerente comercial. Ao lado da Manager Online (www.manager.com.br), a Catho (www.catho.com.br) tem um dos sites especializados em empregos mais acessados do país. Atualmente eles somam quase 400 mil vagas anunciadas e 300 mil currículos no banco de dados.

Nos dois sites, anunciar vagas não custa nada às empresas, no entanto, os interessados nas vagas pagam uma taxa para disponibilizar seu currículo. Os candidatos podem fazer um período de experiência por sete dias gratuitos, mas o cancelamento dentro do prazo deverá ser efetuado pelo próprio candidato, caso contrário, o serviço será contratado, gerando boleto de cobrança. Além destas centrais de empregos, também é possível disponibilizar sua experiência profissional em sites completamente gratuitos como o Curriculum (www.curriculum.com.br) e o InfoJobs (www.infojobs.com.br).

O jornalista Flaviano Carvalho de Souza já experimentou sites como estes na busca pelo sucesso da carreira. Nunca foi contratado profissionalmente, mas conseguiu uma vaga de estágio quando ainda estava na universidade em 2004. “Não lembro através de qual site, mas foi uma experiência muito boa. O estágio num de provedor de internet era remunerado”, explicou.

A experiência do atual assessor de imprensa com sites especializados em empregos não terminou aí. Através de outras empresas de consultoria, Flaviano já chegou a ser entrevistado, mas não passou dessa fase. “Acredito que a vaga não era indicada para o meu perfil. Em todo caso o meu currículo ficou no banco de dados da empresa”, lembrou. Na opinião de Flaviano, que também é consultor de vendas, pelo tamanho de João Pessoa, a entrega do currículo corpo a corpo ainda é a maneira mais usual e o que surte melhor efeito. Esta não é a visão do gerente comercial da Catho, Antônio Sérgio. Segundo ele, o cruzamento dos perfis e vagas ofertadas faz com que empresas e candidatos poupem tempo, sola de sapato e papel. “Muitas empresas estão aderindo ao site de consultoria e os RH’s estão em busca de mão de obra qualificada. Ao invés de receber currículos indiscriminadamente, a empresa solicita ao site um currículo com o perfil que ela precisa para preencher determinada vaga”, exemplifica.

Bom currículo profissional é a chave do sucesso

Para o empregador, os quesitos mais avaliados em um currículo são a experiência profissional, objetivo e a formação acadêmica. Desta forma, é importante que ao elaborar o currículo o profissional dê destaque especial a estas informações, principalmente se possui bons tempos de atuação nas empresas, foi promovido e possui formação em boas escolas. Falar inglês fluente ou outros idiomas mais recorrentes também é muito apreciado, merecendo destaque no currículo.Em contrapartida, caso o profissional não tenha concluído seu curso de formação, ou permanecido por curtos períodos nas empresas em que atuou, inglês básico ou mais de 45 anos é recomendado que ele omita tais informações do currículo, deixando para explicitá-las na entrevista. A omissão de tais informações evita que o profissional seja eliminado de um processo seletivo logo no início, sem ter a chance de participar de uma entrevista.

Como elaborar um currículo para a internet

O currículo deve ser elaborado em uma ou duas páginas, seguindo a estrutura abaixo:

Dados pessoais – Neste campo informe o nome completo, endereço, cep, telefones para contato, e-mail, idade, nacionalidade e estado civil.

Objetivo – Neste campo deve-se mencionar o cargo e a área pretendidos.

Síntese de qualificações – Frases destacando as principais qualificações, adquiridas ao longo da vivência profissional. É indicado mencionar de cinco a sete frases.

Formação acadêmica – Cite o curso, nome da instituição em que o realizou e ano de conclusão do mesmo, por ordem de importância.

Idiomas – Mencione os idiomas e nível de conhecimento que possui.

Experiência profissional – Basicamente contém o nome das empresas nas quais trabalhou, período, cargo ocupado e suas atribuições.

Cursos – Cursos relacionados à área e nomes das instituições em que os realizou.

Informática – Conhecimentos nesta área.


Oferta de vagas. Comparativo entre PB, PE e RN*

Oferta de vagas. Comparativo entre PB, PE e RN*
ComparativoParaíbaRio Grande do NortePernambuco
Vagas ofertadas5.9446.7569.929
Currículos disponibilizados2754741.975
*Baseado em dados da Catho
Quanto custa anunciar um currículo na WEB
Catho – www.catho.com.brProfissionalEstagiário, operacional e PPD*
MensalR$ 69,90 à  vistaR$ 34,90 à  vista
Trimestral3x de R$ 49,00 sem juros (-30%)3x de R$ 24,50 sem juros (-30%)
Semestral6x de R$ 46,50 sem juros (-33%)6x de R$ 23,50 sem juros (-33%)
Anual6x de R$ 83,00 sem juros (-47%)6x de R$ 41,50 sem juros (-40%)
Curriex – www.curriex.com.brProfissionalEstagiário / Recém Formado
MensalR$ 38,00R$ 19,00
TrimestralR$ 102,60 (10% desconto)R$ 51,30 (10% desconto)
SemestralR$ 182,40 (20% desconto)R$ 91,29 (30% desconto)
AnualR$ 319,20 (30% desconto)R$ 159,60 (50% desconto)

Top 5 As áreas mais procuradas*

1. Comercial e Vendas – 61.731
2. Telemarketing – 22.697
3. Administração – 22.144
4. Informática – 11.781
5. Saúde – 11.241
*Com base nos dados da Catho

IDH: 30 crianças morrem a cada 1 mil nascidas no Brasil 0 36

idh brasil nascimento criancas

O Relatório de Desenvolvimento Humano de 2004, divulgado nesta quinta-feira, dia 15, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), aponta a redução da mortalidade infantil como um dos desafios do Brasil. De cada mil nascidos vivos, 30 acabam morrendo.

A média brasileira é maior que a da América Latina e Caribe, cujo índice é de 27 mortes para cada mil nascimentos. Na década de 70, de cada mil crianças nascidas no Brasil, 95 acabavam morrendo, nove a mais que a média verificada no mesmo período na América Latina e Caribe.

O levantamento divulgado nesta quinta-feira, dia 15, mostra que a taxa de mortalidade infantil brasileira supera a do Chile (10 mortes para cada mil nascidos), e a da Argentina (16 mortes no grupo de mil crianças). Mas os índices brasileiros são pouco melhores que os da China, por exemplo, país em que, de cada mil nascimentos, 31 crianças acabam morrendo.

Most Popular Topics

Editor Picks