Skip to content

Poker brasileiro entra em fase decisiva do ano com campeões a serem definidos

13 de dezembro de 2019
Marcelo Mesqueu poker

Mais uma temporada bem-sucedida do poker brasileiro está chegando ao fim. O Campeonato Brasileiro de Poker, oficialmente conhecido como Brazilian Series of Poker (BSOP), está próximo de sua etapa de encerramento.

Entre os dias 26 de novembro e 5 de dezembro, o Sheraton WTC, localizado na cidade de São Paulo, será sede do BSOP Millions — nome da etapa de encerramento do Campeonato Brasileiro de Poker.

Esta é a 14ª temporada do Campeonato Brasileiro de Poker. O circuito hoje é considerado o mais relevante de toda América Latina mas a realidade da competição mudou bastante desde o seu primeiro ano de disputa (2006). Não é nem preciso voltar muito no tempo para ter uma noção maior do crescimento do Campeonato Brasileiro de Poker a nível internacional. Em 2011, quando houve a primeira temporada do BSOP Million com os moldes atuais, Flávio Reis foi o grande campeão com premiação de R$ 443 mil e com direito a 1.446 jogadores.

No ano passado, o paranaense Leocir Carneiro foi campeão para cravar a premiação de R$ 1.1 milhões em um torneio que teve mais de 3.200 inscritos. Para este ano, a expectativa é que mais uma vez o BSOP Millions quebre recorde de participantes com milhões em jogo na etapa de poker mais importante da América Latina.

O melhor de tudo é que, além dos prêmios e da estrutura do torneio que atraem os jogadores, a disputa para a última etapa do ano deverá ser emocionante com vários competidores brigando pelo título de diferentes rankings.

Entendendo o sistema de disputa do Campeonato Brasileiro de Poker

Diferente das competições de esporte coletivo em que geralmente há uma temporada de pontos corridos para depois acontecer os playoffs, no poker os circuitos são disputados em diferentes etapas ao longo do ano – mais ou menos como acontece no tênis.

Desde 2013, o Campeonato Brasileiro de Poker tem um calendário consolidado no qual são realizadas sete etapas. Neste ano, São Paulo já foi sede de duas, enquanto Puerto Iguazú (Argentina) foi casa da primeira. Salvador, Rio Quente e Gramado receberam as outras.

No formato de disputa do Campeonato Brasileiro de Poker, os jogadores vão somando pontos durante as etapas e ganha quem tiver acumulado o maior número de pontos após a realização do BSOP Millions.

São três rankings em disputa: Geral, Omaha e Mixed Games. O Geral é o mais importante de todos e o vencedor dele é reconhecido oficialmente como o campeão brasileiro — além de ser disputado na variante Texas Hold’em, a mais popular da modalidade.

Já o Omaha e o Mixed Games são considerados rankings secundários, mas que também contam com grau de relevância no cenário nacional.

No ranking Geral, o título está nas mãos de Marcelo Mesqueu

Nunca antes em sua história o BSOP foi tão dominado por um jogador como agora. O carioca Marcelo Mesqueu, já bem experiente nas mesas de poker, está realizando uma temporada fantástica.

Líder e já com a maior premiação de todos os tempos, Marcelo está com uma mão e quatro dedos no troféu de campeão brasileiro. Ele conta com 4.114 pontos conquistados, enquanto o vice-colocado está com 2.469 pontos.

Como a última temporada do Campeonato Brasileiro de Poker contará com dezenas de torneios, Marcelo ainda não é o campeão matemático, mas as chances do carioca perder essa conquista são praticamente nulas.

Para se ter ideia da dominância de Marcelo, a vantagem dele para o sexto colocado (Pablo Almeida de Menezes) é mais que o dobro.

Marcelo também briga pelo título no Mixed Games

Como o próprio nome em inglês diz, a modalidade Mixed Games traz consigo diferentes variantes do poker em uma só. Para ser uma especialista nela, o jogador precisa contar com muita experiência, versatilidade e habilidade. Tudo isso Marcelo tem de sobra.

O atual líder do Mixed Games é o alagoano Rogério Siqueira, que está com 690 pontos acumulados. No entanto, Marcelo vem logo atrás com apenas 70 pontos de desvantagem e terá a chance clara de vencer o título no BSOP Millions.

O que mais impressiona no jogo de Marcelo é a sua consistência ao longo do ano. Ele pontuou em todas as seis etapas da temporada até o momento, sendo que foram cinco títulos conquistados.

“Eu tenho dois grandes objetivos, o maior é ser Campeão Brasileiro, mais até do que conquistar um bracelete da WSOP. Todo mundo quer ir para Vegas ganhar um bracelete, mas esse não é o meu sonho. Claro que a segunda opção é essa, mas o meu grande foco é o BSOP, onde tenho vários jogadores amigos muito bons”, afirmou Marcelo no início da temporada.

Ranking do Omaha também em aberto

A disputa também segue próxima no Omaha, que é o segundo ranking mais importante do Campeonato Brasileiro de Poker (atrás apenas do Geral). No Omaha, o líder é Pablo Almeida de Menezes com 1.010 pontos.

Na segunda colocação está Bruno Gazotto, com 850 pontos. A disputa está mais direcionada para os dois, tendo em conta que o terceiro no ranking é Rafael Caiaffa e ele está com quase 500 pontos de desvantagem para o líder.

Assim como acontece nos outros rankings do BSOP, os jogos de poker do Omaha são analisados em um espectro geral. Portanto, para ser campeão, o jogador precisa mostrar consistência durante toda temporada e ao que tudo indica Pablo tem a faca e o queijo na mão.

Campeonato Brasileiro de Poker volta no primeiro bimestre de 2020

Após o encerramento da atual temporada, a organização do Campeonato Brasileiro de Poker já começa a pensar na próxima edição. O calendário de 2020 ainda não foi divulgado, no entanto, é bem provável que a competição siga o curso dos últimos anos com a primeira etapa sendo realizada nos primeiros dois meses do ano.